Nova oferta de CRA da Ápice recebe registro

Foi registrada na CVM a oferta pública de distribuição da 2ª série da 1ª emissão de Certificados de Recebíveis do Agronegócio da Ápice Securitizadora, no montante total de R$ 862,5 milhões. A oferta será coordenada pelo Banco Itaú BBA. A operação terá como lastro debêntures devidas pela Companhia Brasileira de Distribuição. Os juros remuneratórios dos CRA serão equivalentes a 97,5% da Taxa DI Over e o vencimento da operação será em dezembro de 2019.

Pessoas físicas adquirem mais de dois terços dos CRA

O ano de 2016 tem se mostrado como mais um ano de forte crescimento do mercado primário de Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRA). Até o encerramento de novembro último, haviam sido realizadas mais de 20 operações neste mercado, totalizando quase R$ 9,00 bilhões emitidos, equivalente a um crescimento de quase 100,0% em relação ao mesmo período do ano passado. Além disso, a presença do investidor Pessoa física no mercado primário de CRA tem sido novamente preponderante em 2016, tal qual ocorreu em 2015.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Nova oferta da Octante recebe registro

No último dia 14 de dezembro a CVM concedeu registro de oferta pública à 1ª série da 13ª emissão de CRA da Octante Securitizadora, no montante de R$ 258,0 milhões. A oferta terá a coordenação do Banco Santander. O objetivo da operação é financiar produtores rurais e distribuidores de insumos para compra de defensivos e outros insumos de produção fornecidos pela empresa Bayer Brasil. O lastro da emissão são CPR Financeiras, emitidas por produtores rurais, e CDCA, lastreados por notas promissórias, emitidos por distribuidores.

Primeira operação de CRA da Vert Securitizadora recebe registro de oferta

Foi registrada na CVM a ofertas pública de distribuição das 1ª e 2ª séries da 1ª emissão de Certificados de Recebíveis do Agronegócio da Vert Securitizadora, no montante total de R$ 1,26 bilhão. A oferta será coordenada pelo Bradesco BBI. Os títulos terão como lastro compromissos de pagamento firmados em contratos de fornecimento de produtos envolvendo a BRF, a BRF Global GmbH, a SHB e a BRF Foods GmbH. Esta é a primeira emissão de CRA a ser realizada por esta securitizadora.

Novo CRA da Ápice recebe registro

Recebeu registro na CVM, no dia 12 de dezembro, a oferta pública da 3ª série da 1ª emissão de Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRA) da Ápice Securitizadora. A oferta totaliza um montante de R$ 115,0 milhões e será coordenada pelo XP Investimentos CCTVM. O lastro consiste em uma CPR-Financeira, emitida pela Jalles Machado, e a remuneração do título corresponde à taxa DI mais 2% ao ano.

EcoSec é responsável por quase metade dos CRA emitidos em 2016

O mercado primário de Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRA) no ano de 2016 vem sendo marcado por um expressivo volume de emissões. No cômputo até o fim de novembro, o montante emitido total já atinge R$ 8,46 bilhões, distribuídos em 26 operações de seis securitizadoras. No que diz respeito ao montante individual emitido por essas securitizadoras, a que mais se destaca é a EcoSec, que detém a marca de R$ 3,92 bilhões em CRA emitidos nos onze primeiros meses do ano. Quando se observa o critério de número de operações, pode-se constatar que a EcoSec também é a securitizadora que realizou mais operações em 2016, conquistando, assim, a dupla liderança nos rankings Uqbar de securitizadoras do agronegócio.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Oferta de R$ 402 milhões em CRA recebe registro

Recebeu registro na CVM, no dia 08 de dezembro, a oferta pública das 91ª e 92ª séries da 1ª emissão de Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRA) da Eco Securitizadora. A oferta totaliza um montante de R$ 402,3 milhões e será coordenada pelo Bradesco BBI. Os direitos creditórios do agronegócio serão representados por debêntures devidas pela empresa Camil Alimentos. Os juros remuneratórios das 91ª e 92ª séries serão equivalentes a 99% e a 100% da Taxa DI Over, respectivamente. A Camil atua no mercado de alimentos com mais de 50 tipos de produtos nos segmentos em que atua. O grupo possui também em seu portfólio as marcas União e Coqueiro

CRA com lastro em fornecimento de madeira recebe classificação ‘AA-’

Em 02/12/2016 a S&P atribuiu a classificação de risco ‘AA-’, de forma preliminar, aos CRA correspondentes à 5ª série da 2ª emissão da Ourinvest Securitizadora. Esses títulos, a serem emitidos em montante de R$ 700,0 milhões, serão lastreados por um contrato de fornecimento de madeira celebrado entre a Duratex, na posição de devedora, e a Duratex Florestal, a fornecedora, além de cedente da operação. Tal contrato obriga a devedora a adquirir, semestralmente, um volume específico de madeira da fornecedora. Segundo relatório, “O volume a ser adquirido em cada data será definido de acordo com a razão entre o montante a ser pago aos detentores dos CRAs da Ourinvest 5-2 na próxima data de pagamento dos juros ou da amortização e o preço por metro cúbico de madeira estabelecido na respectiva solicitação de compra. ” A remuneração dos CRA será de 98% da Taxa DI.

CRA de R$130,0 milhões classificado como ‘Aaa’ pela Moody’s

Um montante de aproximadamente R$ 130,0 milhões de CRA foi avaliado preliminarmente no dia 28/11/2016 pela agência de classificação risco Moody’s. Na avaliação foi analisada a primeira série da 14ª emissão (CRA sênior) da Octante Securitizadora e a classificação concedida alcançou ‘Aaa’.  O lastro da emissão consistirá em CDCA, emitidos por distribuidores, e CPR-Financeiras, emitidas por produtores rurais. De acordo com relatório da agência, os recebíveis que irão lastrear a operação contarão com benefício de uma apólice de seguro emitida pela empresa AIG Canada e com suporte de apólice de resseguro concedida pela empresa AIG Europe. O propósito da operação é servir como financiamento para que produtores rurais e distribuidores de insumos agrícolas realizem compras de insumos em suas cadeias de produção, insumos estes fornecidos pela empresa Syngenta Brasil.

CRA lastreado em CPR-F emitida pela Jalles Machado recebe classificação

Em 25/11/2016 a S&P atribuiu a classificação de risco final ‘A’ à 3ª série da primeira emissão de CRA da Ápice, no valor de R$ 135,0 milhões. O lastro consiste em CPR-Financeira, emitida pela Jalles Machado, e a remuneração do título corresponde a taxa DI mais uma sobretaxa de 2% ao ano. De acordo com a agência de classificação de risco, “Os CRAs estão sujeitos à repactuação programada a ser realizada até abril de 2019, circunstância em que a Jalles Machado poderá propor elevar ou manter a remuneração em relação às condições inicialmente definidas.” 

Rankings

Mais Lidos