Artigos Relacionados

Responsável por metade do mercado primário até agora, RB Capital lidera ranking de 2019

Somente durante o mês de março, cinco securitizadoras realizaram suas primeiras emissões de Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) de 2019. Isso elevou para onze o número total de participantes do ranking Uqbar de securitizadoras imobiliárias para este ano. Apesar do aumento de disputantes à coroa, o lugar mais alto do pódio permaneceu, por mais um mês, nas mãos da RB Capital.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

CRI da Novasec é classificado em ‘A-’

Na última sexta-feira, dia 01 de março de 2019, a agência Fitch atribuiu a classificação de risco ‘A-’ à 31ª série da emissão de Certificado de Recebível Imobiliário (CRI) da Novasec, em montante de R$ 110,0 milhões. O lastro do CRI consiste em uma Cédula de Crédito Imobiliário (CCI) referente aos pagamentos da Cédula de Crédito Bancário (CCB) emitida pela RNI Negócios Imobiliários. Os CRI terão prazo de dez anos e remuneração equivalente à Taxa DI acrescida de 1,7% ao ano.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

S&P classifica CRI da True em ‘AAA’

Na última terça-feira, dia 29 de janeiro de 2019, a agência S&P atribuiu a classificação de risco final ‘AAA’ à 164ª série da 1ª emissão de Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) da True, anteriormente denominada Ápice. De acordo com o comunicado da agência, o montante emitido do CRI foi de R$ 130,0 milhões. No dia 24 de agosto de 2018 a agência já havia indicado uma classificação de risco idêntica, mas em caráter preliminar.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

True foi a securitizadora que mais emitiu CRI em 2018

O mercado primário de Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) terminou o ano apresentando um volume total de emissões de R$ 9,01 bilhões, cifra construída através de 129 operações. Dentre as securitizadoras imobiliárias que contribuíram para estas marcas, destaca-se a atuação da True, anteriormente denominada Ápice, que participou de 35 operações que perfizeram o montante de R$ 2,57 bilhões. Essas marcas representam 27,1% do total de operações e 28,5% do total emitido no ano. Com isso, a True encerrou o ano como a líder dos rankings Uqbar de securitizadoras imobiliárias de 2018, tanto pelo critério do montante emitido quanto pelo número de operações.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

Conveste mantém liderança em rankings de servicers de CRI de 2018

O mercado de Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) é hoje um dos assuntos mais discutidos dentro da área da securitização. O funcionamento saudável e eficiente das operações que compõem este mercado passa pela atuação especializada de diversos tipos de prestadores de serviço. Um prestador de serviço que em muitos casos exerce papel importante na dinâmica dos investimentos em CRI é o servicer. Este prestador de serviço pode exercer inúmeras atividades dentro da estrutura de securitização, dentre as quais pode-se citar a administração, o controle e cobrança dos créditos imobiliários.

Três agentes fiduciários concentram mercado

O ranking de agentes fiduciários de Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) emitidos em 2018 apresentou, na comparação com 2017, tanto pelo critério do montante emitido quanto pelo critério do número de operações, os mesmos participantes nas três primeiras colocações, apesar destes terem permutado entre si. No caso do ranking pelo critério de montante emitido, houve alteração na primeira colocação, com a Pentágono assumindo a liderança que no ano anterior pertencia à Vórtx. Já no caso do ranking por número de operações, a Vórtx manteve-se na liderança.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

S&P atribui ‘AA+’ a CRI da Ápice

A agência S&P divulgou ontem, dia 10 de dezembro de 2018, comunicado sobre a atribuição de classificação de risco definitiva da 175ª série da 1ª emissão de Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) da Ápice. Os CRI foram classificados em ‘AA+’, mesma nota atribuída preliminarmente pela agência, em 16 de novembro.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

Ápice lidera rankings de securitizadoras imobiliárias

O mercado primário de Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) alcançou em 2018, até o mês de setembro, a marca de R$ 5,98 bilhões em montante emitido, através de 85 operações. Ao analisar a cifra realizada até agora, é possível notar que a Ápice e a RB Capital Companhia de Securitização (RB Capital) são as securitizadoras que mais contribuíram para esta marca, emitindo cada uma um montante bastante parecido. Já no campo do número de operações, a Ápice é quem detém o maior destaque.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

RB Capital e Ápice assumem liderança de rankings de emissores de CRI

Em 2018, até maio, foram emitidos R$ 2,09 bilhões de CRI, distribuídos em 37 operações. Respondendo por mais de um terço da cifra emitida, a RB Capital, uma das onze securitizadoras que emitiram CRI em 2018, é a líder do Ranking Uqbar de Securitizadoras Imobiliárias organizado por esse critério. Quando o critério é o número de operações, a Ápice é quem ocupa o lugar de destaque, com sete operações emitidas nos primeiros cinco meses do ano.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

Liderança dupla do ranking Uqbar de securitizadoras é conquistada pela Ápice

Em um contexto de predominância de Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) mais genuinamente de mercado, tendo somado R$ 8,93 bilhões em montante e 134 operações em 2017, 23 diferentes emissoras disputaram o ranking Uqbar de securitizadoras imobiliárias. A predominância das operações de mercado em 2017 se combina com um movimento de diminuição do montante emitido por securitizadoras ligadas aos grandes bancos ou construtoras, ao passo que um novo conjunto de securitizadoras ingressou ou ressurgiu no mercado, se destacando por atuar com um conjunto diversificado de captadores de recursos, por exemplo. Apesar do maior número de securitizadoras já registrado, a Ápice conquistou, pela primeira vez, o posto mais alto dos rankings de emissões de 2017 por montante emitido e por números de operações.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Mais Lidos