Artigos Relacionados

Gaia mantém liderança nos rankings de CRI em 2012 até maio

Após realizar dezoito operações de Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) no valor total de R$ 3,12 bilhões em 2011, ocupando naquele ano a primeira e quarta posições nos rankings de montante e número de operações respectivamente, a Gaia está na liderança de ambos os rankings para o ano de 2012 até maio. Neste ano, a securitizadora imobiliária já emitiu R$ 437,5 milhões de CRI divididos em 15 operações.

Comparando o desempenho de emissão nos cinco primeiros meses de 2012 com o do mesmo período de 2011, a Gaia juntamente com a Infrasec foram as únicas securitizadoras que aumentaram o montante emitido de CRI este ano. Em 2011 até o mês de maio a Gaia havia emitido R$ 302,7 milhões, implicando em um crescimento de 44,6% em 2012 em relação àquele número. Já a Infrasec apresentou um crescimento de 52,3%, R$ 40,3 milhões emitido em 2012 contra R$ 26,5 milhões em 2011. Cibrasec, Brazilian Securites, PDG e RB Capital apresentaram variação negativa no montante emitido de CRI entre os períodos dos primeiros cinco meses de cada ano de 94,5%, 89,4%, 89,4% e 84,1% respectivamente. As outras quatro companhias que emitiram em 2012, que foram Brazil Realty, Polo Capital, Habitasec e TRX, não haviam emitido CRI nos cinco primeiros meses de 2011.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Gaia mantém liderança alcançada em 2011 no ranking de emissões de CRI

No ranking cujo critério é o montante emitido de Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) durante o ano de 2012 até março, a Gaia manteve a liderança que foi conquistada no ranking referente ao montante emitido de CRI ao longo do ano de 2011. Foram nove operações realizadas que totalizaram R$ 279,5 milhões, ou 37,2% do total emitido por todas as securitizadoras no período. Na sequência do ranking aparecem a Brazilian Securities com R$ 154,0 milhões (20,5%), a Polo Capital com R$ 122,7 milhões (16,3%), a RB Capital com R$ 108,4 milhões (14,4%) e a Cibrasec com R$ 87,5 milhões (11,6%).

As suas nove operações realizadas este ano fizeram a Gaia liderar também o ranking de número de operações realizadas em 2012, com uma participação de 52,9%. As demais quatro securitizadoras que emitiram em 2012 realizaram, cada uma, duas operações (11,8%), totalizando assim dezessete operações realizadas neste trimestre.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Divulgação preliminar dos Rankings Uqbar 2011 de Securitizadoras Imobiliárias

O ano de 2011 registrou o novo recorde anual de emissões de Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI). Foram R$ 13,58 bilhões emitidos, um crescimento de 59,8% em relação a 2010, quando foram registrados R$ 8,50 bilhões de CRI emitidos.

No ranking de Securitizadoras Imobiliárias por montante emitido de CRI a liderança foi decidida por poucos milhões de reais. Com R$ 3,12 bilhões (23,1%) emitidos em 2011, a Gaia ocupou pela primeira vez na história a primeira posição deste ranking anual. Na segunda posição ficou a Cibrasec, com R$ 3,08 bilhões (22,9%). Brazilian Securities, RB Capital e PDG completam a lista das cinco primeiras com os seguintes montantes emitidos: R$ 2,62 bilhões (19,4%), R$ 2,42 bilhões (18,0%) e R$ 1,33 bilhão (9,9%) respectivamente. Juntas essas cinco securitizadoras representaram 93,3% das emissões totais de CRI em 2011. Os outros 6,7% foram emitidos por onze Securitizadoras Imobiliárias.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Gaia e Brazilian Securities mantêm posição de liderança nos rankings de CRI

Desde o último ranking de emissões de Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) divulgado em outubro não houve nenhuma alteração nas posições dos participantes, seja na consolidação por montante emitido ou por número de operações realizadas em 2011. Com R$ 300,0 milhões emitidos durante o mês de novembro, a Gaia mantém a liderança do ranking por montante emitido no ano, somando até agora R$ 3,01 bilhões, o equivalente a uma participação de 27,7% do total do mercado. Por outro lado, a Brazilian Securities, que realizou trêsoperações em novembro, lidera o ranking por este critério, com um total de 48 operações no acumulado do ano, o equivalente a uma participação de 38,7% do mercado.

A segunda e a terceira posição no ranking por montante emitido no ano pertencem à Brazilian Securities, com R$ 2,34 bilhões (21,6%) e Cibrasec, com R$ 1,98 bilhão (18,3%) emitidos respectivamente. No mês de novembro a Brazilian Securities emitiu R$ 104,2 milhões, enquanto que a Cibrasec não realizou nenhuma operação. A RB Capital segue como a quarta companhia securitizadora que mais emitiu certificados este ano, totalizando R$ 1,93 bilhão (17,8%), sendo que R$ 168,6 milhões foram emitidos em novembro. A PDG com R$ 947,3 milhões (8,7%) emitidos no ano, sendo nula a emissão em novembro, completa a lista das cinco primeiras colocadas do ranking. Juntas, estas cinco securitizadoras imobiliárias representam 94,1% das emissões de CRI de 2011. Os outros R$ 639,5 milhões (5,9%) foram emitidos por outras nove securitizadoras.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Operação Caixa/FGTS altera ranking de montante emitido de CRI em 2011

Como era esperado, a maior operação de Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) já realizada no mercado nacional (ver artigo “R$ 2,02 bilhões é o novo recorde de emissão de uma operação de CRI” do último dia 09) trouxe uma mudança na liderança do ranking de montante emitido de CRI no ano até outubro.

Após a emissão das duas séries de CRI no valor de R$ 2,02 bilhões, lastreadas nos recebíveis imobiliários cedidos pela Caixa Econômica Federal e adquirida, no caso da cota sênior (R$ 1,86 bilhão), pelo Fundo de Garantia por Tempo de Serviço, a Gaia passou a liderar o ranking de montante emitido com uma participação de 26,4% do total emitido até outubro. No ano, a securitizadora realizou dezessete operações que somam R$ 2,71 bilhões. Até setembro a Gaia ocupava a quinta posição neste rankingSecuritizadora1/1/2011 a 31/10/20111/1/2011 a 30/09/2011PosiçãoMontante Emitido (R$ milhões)Participação(%)PosiçãoParticipação(%)Gaia12.70726,458,6Brazilian Securities22.21021,6126,8Cibrasec31.98419,4224,5RB Capital41.75817,2320,9PDG59479,3411,8Outras-6396,3-7,4

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Brazilian Securities lidera os rankings de emissões de CRI

Em agosto, pela primeira vez no ano, a Brazilian Securities assumiu a primeira colocação no ranking de montante emitido de Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI). Com R$ 152,3 milhões emitidos nas três operações realizadas neste último mês, a securitizadora totaliza R$ 1,99 bilhão emitido nos primeiros oito meses do ano, o que representa 27,3% de todas as emissões de CRI no mercado em 2011.

O desempenho do mês de agosto fez a Brazilian Securities superar a, até então líder, Cibrasec. Esta última, após a não realização de qualquer emissão nos meses de junho e julho, voltou a realizar uma operação em agosto no montante de R$ 26,1 milhões. No ranking de emissões de CRI em 2011 a Cibrasec ocupa a segunda posição com R$1,87 bilhão, ou 25,7% das emissões.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Ranking de emissões de CRI em 2011 segue tendo disputa acirrada entre securitizadoras

Ao final do mês de julho, o mercado de Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) alcançou a marca de R$ 6,37 bilhões em montante emitido no ano. Este valor representa um crescimento de 108,5% em relação aos sete primeiros meses de 2010. Além do contínuo crescimento do setor, também fica claro a disputa pela liderança do ranking de montante emitido entre as securitizadoras.

Com R$ 1,86 bilhão em emissões, a Cibrasec mantém a primeira colocação do ranking de montante emitido, com uma participação de mercado equivalente a 29,1%, quando esta tem como base o total emitido no ano.Logo em seguida aparece a Brazilian Securities com um total em emissões de R$ 1,83 bilhão, ou 28,7% das emissões destes sete primeiros meses de 2011.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Pentágono ganha espaço no mercado de agentes fiduciários de CRI

O mercado de agente fiduciário de operações de Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) é composto por um número muito pequeno de empresas que prestam esse serviço no Brasil. Historicamente, a Oliveira Trust DTVM ocupava a posição de liderança em todos os rankings da Uqbar que medem a competitividade deste mercado. Essa posição, no entanto, começa a ser ameaçada pela Pentágono DTVM, que no final do primeiro semestre liderava o ranking anual que tem como critério o montante de títulos emitidos em 2011.

A nova líder por este critério presta serviços para operações que totalizaram R$ 3,29 bilhões de emissões no semestre, ou 53,5% do total emitido no período. Por sua vez, a Oliveira Trust DTVM detém uma participação de 43,2%, que equivale a operações que totalizaram R$ 2,66 bilhões. Os outros dois agentes fiduciários que aparecem no ranking são: Planner Corretora e Pavarini DTVM, que juntas somam 3,4% do total emitido no ano.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Cibrasec e Brazilian Securities lideram rankings de emissões de CRI no semestre

O primeiro semestre do 2011 foi marcado por um alto nível de atividade no mercado de Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) e uma disputa acirrada pela liderança do ranking de montante emitido destes títulos.

Com R$ 1,84 bilhões em emissões, a Cibrasec ficou com a primeira colocação do ranking de montante emitido, uma participação de mercado equivalente a 30,0%, quando esta tem como base o total emitido no semestre. Logo em seguida, aparece a Brazilian Securities com emissões de R$ 1,79 bilhão, ou 29,2% das emissões do ano. Na terceira posição está a RB Capital com R$ 1,15 bilhão, com uma participação de 18,7%. A PDG e a Gaia continuam ocupando as quarta e quinta posições com R$ 473,5 milhões (7,7%) e R$ 458,1 milhões (7,5%), respectivamente.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Cibrasec lidera ranking anual de emissões de CRI

O ranking de montante emitido de CRI, de janeiro a maio de 2011, conta com a volta da Cibrasec à primeira colocação, posição não ocupada pela companhia desde o ranking anual de 2008. Durante os cinco primeiros meses do ano, a Cibrasec emitiu R$ 1,71 bilhão de CRI, aproximadamente 33,0% do total emitido em 2011. Na sequência do ranking encontram-se a Brazilian Securities e a RB Capital, com 28,5% e 20,4%, respectivamente. As outras duas securitizadoras que vem se destacando no mercado, PDG e Gaia ocupam as quarta e quinta colocações, nesta ordem.

Os cinco primeiros meses de 2011 apresentam mudanças nas participações de mercado das principais securitizadoras do país, comparativamente ao ano anterior. Em 2010, o ranking foi composto, nesta ordem, pela Brazilian Securities, RB Capital, Gaia, Cibrasec e PDG. As principais mudanças foram a Gaia caindo da terceira para a quinta posição e a Cibrasec subindo da quarta para a primeira.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Mais Recentes