Artigos Relacionados

Instituições nacionais ampliam liderança no mercado de custódia de FIDC

Salvo diferenças pontuais, o mercado de custódia de ativos de FIDC em 2015 apresentou comportamento muito próximo daquele descrito em artigo referente ao mercado de administração destes fundos: redução do número de participantes e aumento dos níveis de concentração. Adicionalmente, os principais participantes em ambos os mercados se revelaram os mesmos. Em relação à diferença das estratégias de intensificação de atuação e de participação neste mercado no futuro breve, entre instituições nacionais e instituições estrangeiras, 2015 não deixa espaço para dúvidas, conforme se verá abaixo.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Ranking de Administradores de FIDC em 2015 apresenta aumento da hegemonia dos líderes

Em 2015, o mercado de administração de FIDC caracterizou-se pela redução no número de participantes que obtiveram mandatos para administrar novos fundos e pelo aumento da hegemonia das instituições líderes, que conseguiram manter um alto nível de atividade durante todo o ano. Como consequência, o mercado de administradores, um pouco mais concentrado, começa a se assemelhar àquele de custódia de ativos para estes fundos.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Volume de atribuições de classificação de risco cai em 2015

Durante o primeiro semestre de 2015 as agências Austin, Fitch, Liberum, Moody’s e S&P foram as que realizaram atribuições de classificação de risco a cotas de Fundos de Investimentos em Direitos Creditórios (FIDC). Conjuntamente, estas agências realizaram 67 atribuições de classificação de risco, totalizando um montante de R$ 2,28 bilhões no período. Na comparação com o volume referente às atribuições no mesmo período de 2014, quando ocorreram 74 delas, referentes a um montante consolidado de R$ 4,91 bilhões de cotas de FIDC, as cifras de 2015 indicam redução relevante, mais especificamente de 9,5% e de 53,6%, respectivamente. Mas se visto apenas pelo prisma do número de atribuições, a queda é menor e, conforme ilustrado na Figura 1, o indicador se sustenta como um dos melhores desempenhos desde 2010.

S&P é responsável por mais de um terço do montante dos FIDC classificados


Em 2013 a S&P foi a agência de classificação de risco que mais classificou cotas de Fundos de Investimentos em Direitos Creditórios (FIDC) – em termos de montante. Ao classificar R$ 3,42 bilhões em cotas, ou 38,8% do montante total classificado – pouco menos do dobro do segundo colocado, a Fitch, - aquela agência alcançou a primeira colocação do ranking de agências de classificação de risco para o ano de 2013. Sob a ótica do número de cotas que receberam classificação de risco, porém, a agência líder foi a Austin, com 53 classificações, representando 30,6% do total.


Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Fitch e Liberum dividem liderança de Rankings de FIDC


No primeiro semestre de 2013 a Fitch e a Liberum alcançaram a liderança dos Rankings de Agências de Classificação de Risco do mercado de Fundos de Investimentos em Direitos Creditórios (FIDC). A primeira obteve a liderança sob a ótica do montante total classificado no período e a segunda pelo critério do número de títulos que receberam classificação de risco. Juntas, as agências responderam por mais da metade do mercado de classificação de risco de cotas de FIDC, segundo os dois critérios, correspondendo a um total de 28 cotas, referentes a um montante de R$ 1,15 bilhão.


Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Integral lidera o pulverizado mercado de gestores de FIDC

O segmento de gestão de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC) é um dos maiores dentre aqueles de prestadores de serviços para o mercado de securitização. No final de março existiam 100 instituições atuantes na gestão de FIDC, contra 30 que prestavam o serviço de administração e 14 de custódia.

Bradesco e Itaú lideram como custodiantes

O mercado de custódia de direitos creditórios dos Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC) tem se mostrado concentrado nas mãos dos maiores bancos privados no país. A liderança deste mercado, medida através do critério de Patrimônio Líquido (PL) consolidado dos fundos sob custódia de cada participante, tem sido exercida pelo Banco Bradesco (Bradesco) desde o final de 2010. Porém, caso seja contabilizado o FIDC Sistema Petrobras NP, o Itaú Unibanco (Itaú) passa a superar atualmente o Bradesco. A Uqbar normalmente exclui este fundo de análises consolidadas devido ao seu tamanho relativamente desproporcional e a algumas de suas especificidades.

Bradesco se mantém na liderança no ranking de administradores de FIDC

Passado um período recente de transformações no mercado de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC), transformações estas que acabaram por diminuir o tamanho de alguns dos maiores fundos do mercado, faz-se interessante uma atualização da participação de mercado dos principais administradores de FIDC. Neste exercício, vale a pena voltar atrás alguns anos e avaliar a trajetórias destes participantes à luz dos eventos marcantes desde a crise financeira de 2008/2009 e, a partir daí, passando pelo período que apresentou problemas associados a alguns bancos de médio porte, como o Banco Panamericano e o Banco Cruzeiro do Sul, que atuavam de cedentes de fundos de peso no mercado.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

O histórico dos principais administradores atuais de FIDC

Abaixo a Uqbar produz históricos dos atuais maiores cinco administradores de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC), medido de duas formas: pelo montante de Patrimônio Líquido consolidado (PL) sob administração de cada um e pelo número de FIDC sob administração de cada um. Ambos históricos cobrem o período de 2005 até 2012 e os dados apresentados se referem ao mês de junho de cada um destes anos.

O Itaú Unibanco foi excluído desta análise pelo fato deste administrador ser responsável por apenas um fundo, o FIDC Sistema Petrobras NP, que normalmente é excluído das estatísticas consolidadas produzidas pela Uqbar devido às suas enormes dimensões comparativamente aos outros fundos do mercado. O FIDC Sistema Petrobras NP tem um PL individual atual de R$14,77 bilhões, maior que o PL consolidado referente a cada um dos outros administradores e equivalente a 19,5% de todo o mercado. O Itaú Unibanco pertence ao mesmo grupo econômico da Intrag DTVM.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

O concentrado mercado de custodiantes de FIDC

O histórico de participação na indústria de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC) no que tange à função de custodiante destas operações indica um grau de concentração elevado das principais empresas atuantes.

Abaixo a Uqbar apresenta duas tabelas distintas, trazendo o histórico do nível de atuação dos líderes deste segmento, medido através do montante consolidado de Patrimônio Líquido (PL) e do número consolidado de FIDC nos quais cada um atua como custodiante. O período coberto vai do final do primeiro semestre de 2005 até o final do primeiro semestre de 2012.

Mais Lidos