O panorama do mercado primário de CRI no primeiro trimestre de 2017, pela ótica dos investidores desses títulos, se apresenta de maneira significativamente distinta do cenário que se afigurou em 2016. De súbito, as Pessoas Físicas passaram a ser as responsáveis por adquirir a maior parcela do montante de títulos emitidos entre janeiro e março de 2017. Em comparação, em 2016 o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) havia sido a principal categoria adquirente de CRI, e as pessoas físicas ocupavam apenas o quarto lugar entre as principais classes de investidores.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Rankings
Mais Lidos