Mercado de agentes fiduciários volta a se concentrar em 2020

O mercado de agentes fiduciários de operações de CRI sempre foi composto por um número limitado de participantes. Até hoje, não mais do que doze instituições já atuaram nesse ramo. Em paralelo, o ranking anual de 2018 bateu o recorde de agentes fiduciários que atuaram simultaneamente: oito. O mesmo ranking de 2018 foi também o mais disperso e o último liderado pela Pentágono, que em 2020 ocupa a terceira colocação.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

True consolida liderança em ranking de securitizadoras

Em 2020, até maio, foram emitidos R$ 4,60 bilhões em CRI, distribuídos em 82 operações. Desse total, uma única securitizadora imobiliária foi a responsável por quase 30,0% do montante emitido e por mais de um quarto do número de operações, conquistando, pelo segundo mês seguido, a liderança dos rankings sob cada um desses critérios. Isso, no entanto, não implica em um primeiro lugar conquistado com folga, já que as vice-líderes de cada ranking estão a pouca distância.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Maio arremata recorde de operações de CRI no período de cinco primeiros meses do ano

No acumulado entre janeiro e maio de 2020, o mercado primário de CRI parece não ter sido gravemente impactado pela recente crise sanitária e econômica. Tanto o montante emitido como o número de operações se situam em patamares comparáveis aos do mesmo período de anos anteriores. Isso se deve, em parte, ao bom desempenho registrado nos dois primeiros meses do ano.  

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Aprovada renegociação de aluguéis que lastreiam CRI da True

Nesta semana, através da divulgação por parte da True de uma ata de assembleia geral de investidores, se fez pública mais uma operação de CRI que passou por alterações em seus termos originais. Essa tem sido uma situação bem comum no mercado.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

Contexto de adversidade dos shoppings afeta CRI da Gaia

Como já é de amplo conhecimento de quem acompanha os desdobramentos econômicos recentes, o setor de shopping centers está atravessando uma gigantesca dificuldade. Naturalmente, os títulos de crédito cujos pagamentos se relacionam de alguma forma com o desempenho de empreendimentos deste setor também acabam adentrando em um cenário problemático.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

Um Certificado para chamar de seu

No último dia 20, o Senado Federal aprovou o Projeto de Lei (PL) Número 1.886/2020. De acordo com a proposta, que agora segue para aprovação da Câmara dos Deputados, fica instituído o Certificado de Recebíveis da Educação (CRE). À maneira dos CRI e dos CRA, os CRE são títulos de crédito emitidos por companhias securitizadoras exclusivamente constituídas para securitização de direitos creditórios educacionais. Mas será que a criação de mais um título de securitização, específico para um segmento da economia, é a melhor maneira de enfrentar o alegado “subfinanciamento histórico” do setor educacional?

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

Empresa de shopping solicita alteração em pagamentos de lastro de CRI

No atual contexto da economia, a necessidade de alteração dos termos originais acordados em diversas operações do mercado de finanças estruturadas já se tornou algo mais corriqueiro, e até mesmo esperado. Seguindo tal padrão, nesta semana se fez pública a informação da ocorrência de uma assembleia de investidores convocada para deliberar a respeito do cronograma de pagamento de um CRI emitido pela True.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

Investidores de CRI optam por não aprovar recompra compulsória

Ocorreu na última segunda-feira uma assembleia de investidores de um CRI da Habitasec cuja pauta de deliberações continha uma medida importante para a continuidade da vigência da operação. O que estava em jogo era a recompra, por parte da cedente, dos direitos creditórios que lastreiam o CRI.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

[ATUALIZAÇÃO] Avaliação de CRI vinculado a resort é afetada por histórico, que inclui default em outro CRI

Atualização: Após a publicação deste artigo a Austin, emissora da opinião de crédito aqui relatada, entrou em contato conosco para informar que o texto original do comunicado no site da agência continha imprecisões, especialmente em relação ao uso do termo default. Tão logo a agência retifique o comunicado, republicaremos este artigo para melhor refletir os fatos.

CRI da ISEC tem objetivo de financiar obras de edifício residencial no RS

Apesar do cenário de grandes adversidades econômicas em que o país se encontra, o mercado de capitais não parou. Neste sentido, novas operações continuam vindo à tona, mesmo que em número menor do que no contexto de outrora. Um exemplo disso pode ser visualizado em uma recente ação da Austin, que na última quarta-feira concedeu classificação de risco a um CRI de emissão da ISEC.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

Rankings
Mais Recentes
fii