Jornal

Com aquisição, ISEC pode ter 32,6% do mercado de CRI

A ISEC Securitizadora e a Cibrasec divulgaram ontem, 18 de julho, fatos relevantes para informar o mercado a respeito das notícias envolvendo as duas securitizadoras. De acordo com o relato jornalístico, a ISEC estaria prestes a fechar a compra da Cibrasec, em um negócio que atingiria R$ 80,0 milhões.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

Por R$ 120 mi, RBVA11 adquire três imóveis

Ontem, dia 17 de julho de 2019, a Rio Bravo Investimentos (Rio Bravo), administradora do Fundo de Investimento Imobiliário (FII) Rio Bravo Renda Varejo (RBVA11), divulgou fato relevante informando sobre novas aquisições do fundo. De acordo com o documento, o total a ser desembolsado na operação será de R$ 119,6 milhões.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

Investidor aprova alteração na remuneração de CRI

Veja abaixo o resumo de decisões tomadas no âmbito de assembleias de CRI divulgadas na CVM entre 08 e 12 de julho de 2019.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Decisão do Cade beneficia avaliação de CRI

Recentemente esteve em evidência o acordo entre a Aliansce Shopping Centers (Aliansce) e a Sonae Sierra Brasil (Sonae) para realizar a fusão de seus negócios. No início deste mês de julho o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou a fusão das duas gestoras de shopping centers, e esta decisão acabou por surtir efeitos em alguns Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) da RB Capital Companhia Securitizadora (RB Capital).

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

R$ 1 bi é emitido em cotas de FIDC de financiamento de veículos

O mercado de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC) conta agora com mais um FIDC estruturado para adquirir direitos creditórios originados pelo Banco Volkswagen. Após o término das operações de outros três fundos pensados nesse contexto, agora foi a vez do FIDC Driver Brasil Four Banco Volkswagen Financiamento de Veículos (FIDC Driver Brasil Four) emitir cotas.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Cotistas do FII Challenger aprovam aquisição de imóvel

Veja abaixo o resumo das atas publicadas na CVM entre 08 e 12 de julho de 2019.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Aumento de investimentos em infraestrutura passa por reformulação de incentivos

Uma semana antes da realização do 3º Congresso Uqbar de Finanças Estruturadas, o Ministério de Minas e Energia publicou a Portaria nº 252, que inclui projetos no setor de biocombustíveis no enquadramento para emissão de debêntures incentivadas. O ministério justifica a decisão como uma forma de ampliar a capacidade de financiamento dos projetos envolvidos na Política Nacional de Biocombustíveis. Mas será que ampliar o escopo de emissão de um título cuja vantagem é o incentivo tributário ao investidor pessoa física é a solução mais adequada para alcançar esse objetivo? É o que dois diferentes painéis do Congresso tentaram responder, Infraestrutura e Investidores, cada um por uma ótica diferente.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

Os CRA deixaram de fora o produtor rural?

Questões essenciais e estratégicas de desenvolvimento de mercado foram debatidas no painel sobre o tema Agronegócio, dia 26 de junho, durante o Congresso Uqbar de Finanças Estruturadas. Isto foi possível a partir de uma composição de painelistas bastante rica e diversificada, em conhecimento e experiência, formada por  Ivandré Montiel da Silva, vice-presidente de agronegócios no Banco do Brasil, Jean-Pierre Cote Gil, sócio e gestor na GPS, João Bento, gerente de operações estruturadas e commodities na BASF, e Tiago Lessa, sócio do Pinheiro Neto Advogados, e da moderação de Carlos Lopes, sócio da Uqbar.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

XPCM reencena drama do Torre Almirante

Em apenas dois dias, o preço de mercado das cotas do FII XP Corporate Macaé (XPCM11) perdeu aproximadamente 40% de seu valor, saindo de R$ 101,99 para os R$ 56,06. A queda se dá após o fundo comunicar que o único imóvel da carteira seria desocupado pelo seu único inquilino. O XPCM11, mono-ativo e mono-inquilino, portanto, repete os aspectos mais deletérios para a sustentabilidade de longo prazo de um FII, em um contexto e sequência de eventos que faz lembrar o que ocorreu com o FII Torre Almirante, dois anos antes.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

CRI da Cibrasec tem liquidação aprovada

Veja abaixo o resumo de decisões tomadas no âmbito de assembleias de CRI divulgadas na CVM entre 01 e 05 de julho de 2019.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Rankings
fii
fidc
cri
cra
Mais Lidos