Jornal

Nível de rendimentos de FII registra trajetória declinante em 2016

Em 2016, sob os efeitos de uma profunda alteração na curva de juros da economia ao longo do ano, o mercado secundário de cotas de Fundos de Investimento Imobiliário (FII) vivenciou momentos de relativa bonança. A redução da curva de juros futuros acabou por fomentar uma expressiva valorização do preço médio das cotas dos fundos imobiliários. Por outro lado, fatores restritivos relacionados à economia real do setor imobiliário, como valores de aluguel, vacância, inadimplência etc, também se fizeram presentes em 2016. Quando se observa os indicadores históricos de rendimento médio mensal setoriais, quociente percentual entre montante distribuído e capitalização do mercado, revela-se uma inclinação negativa em 2016, notadamente entre os fundos que investem em imóveis.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Cotistas do FIDC Leme Multisetorial IPCA alteram possibilidades de quitação de títulos em atraso

Veja abaixo o resumo desta e de outras decisões tomadas no âmbito de assembleias de FIDC divulgadas na CVM entre 13 e 17 de fevereiro de 2017.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Ranking de escritórios de advocacia computa 25 participantes em 2016

O ranking Uqbar de escritórios de advocacia para o mercado de Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) sempre desfrutou de um grande número de participantes. Em 2016 não foi diferente. O ano se encerrou com um total de 25 escritórios participantes, três a mais do que em 2015. Com a grande variedade de participantes, a concentração de mercado dos dez maiores escritórios (Top 10), pelo critério de número de operações, se reduziu em quase dez pontos percentuais. Por outro lado, em termos de montante a concentração do Top 10 se manteve praticamente estável.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Estoque de CDCA voltou a subir em 2016

Apesar do principal impulso do forte crescimento recente nas emissões anuais de Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRA) vir de operações de lastro único corporativo, observa-se também um avanço no volume de emissões de operações de lastro pulverizado, conforme abordado no portal TLON. Em sua maioria, as operações de lastro pulverizado têm este composto por Certificados de Direitos Creditórios do Agronegócio (CDCA) e/ou Cédulas de Produto Rural – Financeira (CPR-F). Tratam-se de títulos de crédito destinados a financiar os participantes da cadeia do agronegócio. Em 2016 os montantes anuais de emissão, estoque e negociação de CDCA se elevaram. Por outro lado, o montante em negociações de CPR-F se reduziram no mesmo período.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Páginas de Participantes
Mais Lidos
Rankings
fii
fidc
cri
cra