Jornal

Rentabilidade dos FII de Imóveis supera média do mercado em 2017

Com 2017 quase completo, algumas categorias de ativo de Fundos de Investimento Imobiliário (FII) já se destacam pela significativa rentabilidade efetiva¹ acumulada auferida no ano. A rentabilidade efetiva média dos FII que investem em imóveis atingiu 26,0% em 2017 até novembro, seguida de perto pela rentabilidade da categoria de fundos que investem em cotas de outros FII, denominada Renda Variável, com 22,2%. Por outro lado, fundos cuja carteira se centra em CRI e LCI, compondo a categoria Renda Fixa, apresentaram rentabilidade efetiva média de 4,1%, que, embora positiva, se situa bem abaixo da média geral do mercado, de 22,3%.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Cotistas transformam FIDC em “padronizado” e substituem a gestora

Veja abaixo o resumo desta e de outras decisões tomadas no âmbito de assembleias de FIDC divulgadas na CVM entre 04 e 08 de dezembro de 2017.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Operações de mercado de CRI alteram perfil de prazo e indexação do segmento

O mercado primário de Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) apresentou em 2017, até novembro, uma redução no prazo médio, ponderado pelo montante emitido, em comparação com 2016, e com anos anteriores, evidenciando um encurtamento no vencimento dos títulos. Este indicador alcançou a marca de 90 meses no último ano até novembro, equivalente a um pouco mais de sete anos, sendo que no ano anterior havia atingido 177 meses, ou quase quinze anos. Essa grande diferença tem explicação, em boa parte, no fato de que em 2017 foram emitidos apenas CRI associados a operações de mercado, enquanto que em 2016, e antes, foi frequente  as emissões deste título que não se enquadram nessa categoria de operação, as quais tendiam a apresentar prazos mais longos e indexação à TR. 

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Emissões de CRA já superam R$ 11 bi em 2017; investidor pessoa física aumenta participação

Ao longo dos dez primeiros meses do ano de 2017 o mercado primário de Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRA) manteve tendência de crescimento, mesmo em relação ao ano anterior, que coroou período multianual de forte expansão. Entre janeiro e outubro de 2017 o volume de emissões de CRA atingiu R$ 11,04 bilhões, referentes a mais de 43 operações realizadas. Intensificando tendência registrada nos últimos anos, o investidor pessoa física aumentou ainda mais sua participação em 2017, levando 80,2% das emissões até agora no ano.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Páginas de Participantes
Mais Lidos
Rankings
fii
fidc
cri
cra