Jornal

Socopa dominou administração de novos FIDC em 2018

Em 2018, 152 Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC) entraram em operação, perfazendo, no encerramento do ano, um patrimônio líquido (PL) de R$ 13,02 bilhões. Dentro deste universo, foi a Socopa a empresa que mais se destacou na administração destes novos FIDC, levando-se em conta a quantidade e o valor total de PL associado a estes. Assim, a empresa se consagrou líder dos Rankings Uqbar de administradores de FIDC iniciados em 2018, tanto pelo quesito do PL total administrado quanto pelo de número de operações.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

Patrimônio consolidado dos FIDC ultrapassa os R$ 100 bi

O mercado de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC), pela primeira vez em sua história, encerrou um ano com patrimônio líquido (PL) superior à marca de R$ 100,00 bilhões. Mais precisamente, a cifra alcançada foi de R$ 102,52 bilhões, o que simboliza um crescimento de 26,3% em relação a 2017, quando o PL do mercado encerrou o ano em R$ 81,20 bilhões. A expressiva captação líquida da indústria em 2018, da ordem de R$ 11,85 bilhões, praticamente o dobro dos R$ 6,47 bilhões de 2017, é um dos fatores que contribuíram para que o recorde fosse alcançado.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

Lançamento exclusivo! Anuário Uqbar: Fundos de Investimento Imobiliário – Edição 2019

Depois da publicação do Anuário de Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI), a Uqbar lança hoje o Anuário Uqbar 2019 dedicado aos Fundos de Investimento Imobiliário, exclusivo para os assinantes TLON.

Este Anuário Uqbar 2019: Fundos de Investimento Imobiliário traz a análise dos principais acontecimentos e do desempenho no último ano deste segmento de papel crescente no mercado de capitais.

Como característica editorial desta publicação, seus principais dados são exibidos através de um conjunto de infográficos. Como de praxe, o Anuário traz também os Rankings Uqbar, cobrindo o desempenho das operações e dos prestadores de serviço do setor. No capítulo Regulamentação e Legislação, esta publicação usufrui mais uma vez de um artigo de autoria do escritório Cescon, Barrieu, Flesch & Barreto Advogados.

A Uqbar investe em educação e informação qualitativa e quantitativa voltada para o mercado de FII desde seus primórdios depois da edição da ICVM 472. O incontestável avanço deste segmento, em termos de mercado e, concomitantemente, de marco jurídico-regulamentar, nos significa enorme satisfação. Porém, estamos sempre cientes de que é apenas o começo, de que não se deve nunca acomodar por conta daquilo que foi conquistado, e de que mais desenvolvimento exigirá melhor educação e melhor informação. Esta é a nossa orientação e a nossa motivação.

O Anuário Uqbar 2019: Fundos de Investimento Imobiliário tem como objetivo a nossa recorrente contribuição neste interminável processo de melhoria. Nada como o real e trabalhado progresso. Desejamos a todos uma boa leitura!  

Equipe Uqbar

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Fitch conjectura default e rebaixa cotas mezanino de FIDC da Pirelli

O Fundo de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC) Revendedores Oficiais Pirelli – ROP atravessa momento conturbado, sendo real a probabilidade de default das suas cotas mezanino B. Este é o cenário previsto pela agência de classificação de risco Fitch caso haja inadimplência de qualquer direito creditórios da carteira do fundo até o vencimento-limite da operação, em abril de 2019. Além disso, é esperado que até hoje, 26 de fevereiro, a Pirelli efetue a recompra de três direitos creditórios inadimplidos, o que deverá dar novo fôlego à operação. Considerando esses fatos, a agência comunicou, na última sexta-feira, 22 de fevereiro, o rebaixamento de nota das cotas mezanino B do fundo, de ‘B-’ para ‘CCC’.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

Universo FII expande mais 23% em 2018

Em 2018 atingiu-se novo patamar dimensional na indústria de Fundos de Investimento Imobiliário (FII). Olhando-se o patrimônio líquido (PL) consolidado do universo completo de FII, constata-se o alcance de R$ 89,71 bilhões ao final do mês de dezembro, referentes a 380 fundos. O crescimento em relação ao quadro observado em 2017 foi de 22,9%, para o PL, e de 16,6% para o número de fundos. Assim, é possível inferir que o crescimento dimensional resultou em boa parte de emissões de novas cotas de fundos já existentes, além do ingresso de novos fundos no mercado e de eventuais valorizações. A figura 1, abaixo, demonstra a evolução do PL e do número de FII da indústria ao longo de anos recentes.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

Volume ofertado em cotas de FII alcança patamar recorde em 2018

O mercado de Fundos de Investimento Imobiliário (FII) encerrou 2018 com números consolidados que ilustram de maneira clara o momento benéfico que este segmento do mercado de capitais vive em decorrência da melhora dos fundamentos, sejam eles macro, setoriais ou individuais. Um bom exemplo desta dinâmica se faz presente no movimento de ofertas públicas de distribuição de cotas de FII, de acordo com a Instrução nº 400 (ICVM 400). Estas ofertas foram registradas na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) em volume recorde no ano passado.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

FIDC de cartão de crédito tem R$ 1 bi em cotas classificadas com ‘Aaa’

A classificação de risco ‘Aaa’ foi atribuída ontem, 14 de fevereiro de 2019, às cotas sênior do FIDC Fenix do Varejo II. A operação é lastreada por recebíveis comerciais cedidos pelas empresas Lojas Americanas (LASA) e B2W Companhia Digital (B2W), que atuam no setor varejista. Tais recebíveis comerciais são originados das vendas de produtos e serviços das cedentes para seus clientes e pagos por meio de cartões de crédito.  Essas transações, por sua vez, são processadas pela Cielo, que, na estrutura de uma transação via cartão de crédito, figura como a devedora dos recebíveis.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

Lançamento Exclusivo! Anuário Uqbar: Certificados de Recebíveis Imobiliários – Edição 2019

A Uqbar lança hoje o Anuário Uqbar 2019 dedicado aos Certificados de Recebíveis Imobiliários para os assinantes TLON.

Seguindo o sucesso da edição anterior, lançamos mais um Anuário Uqbar dedicado exclusivamente ao mercado de CRI. Este Anuário Uqbar CRI 2019 traz o retrato do mercado deste título em 2018, juntamente com uma análise sobre qual caminho e quais desvios vamos trilhando. Como no ano passado, esta publicação será seguida de três outras dedicadas aos demais segmentos do mercado de Finanças Estruturadas, compondo em conjunto a edição 2019 dos Anuários Uqbar.

No capítulo Dados os Infográficos ilustram os destaques de desempenho no mercado de CRI em 2018. Além da análise textual de mercado, que precede o capítulo Dados, este Anuário, como de praxe, apresenta os conhecidos Rankings Uqbar dos participantes e operações do segmento. Fechando, o capítulo Regulamentação e Legislação é de autoria do escritório Koury Lopes Advogados.

Número de cedentes em operações de CRI decresce em 2018

Uma das consequências da retração de 9,8% do número de operações de Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) emitidas em 2018, frente a 2017, parece ter sido uma retração também no número de cedentes distintos envolvidos nestas operações. Foram 138 os cedentes distintos no ano passado, 9,2% a menos do que o observado em 2017. Destes 138, quase a integralidade, 137, são pessoas jurídicas. Em 2017, comparativamente, todos os 152 cedentes haviam sido pessoas jurídicas.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

CRI de R$ 300,0 milhões são classificados pela Fitch

Na semana passada a agência Fitch atribuiu classificação de risco para mais uma emissão de Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI) que tem a Rede D’Or São Luiz (Rede D’Or) como devedora. Mais precisamente, trata-se das 208ª e 209ª séries de CRI da RB Capital Companhia de Securitização, que receberam, em caráter preliminar, um ‘AAA’. O montante avaliado foi de R$ 300,0 milhões, referente às duas séries de forma conjunta.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

Rankings
fii
fidc
cri
cra
Mais Lidos