Ofertas e emissões de cotas de FII crescem em 2017

A melhora do cenário macroeconômico percebido em 2017 parece ter fomentado a disposição de emissores e a inclinação do investidor no mercado primário de Fundos de Investimento Imobiliário (FII), o que foi refletido no volume de ofertas e de emissões de cotas no ano. O volume das ofertas públicas de distribuição de cotas de FII registradas na CVM em 2017, nos termos da Instrução Nº 400 (ICVM 400), supera a marca dos três anos anteriores, enquanto o número de ofertas é o maior desde 2012, ano consagrado pelo elevado número de IPOs.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

FII iniciam 2018 com TIR média mensal superior a 2%

Ao fim do primeiro mês de 2018, o conjunto de 94 cotas de Fundos de Investimento Imobiliário (FII) listadas para negociação na B3 e que atenderam os critérios de liquidez¹ registraram rentabilidade efetiva média mensal de 2,2%. Das categorias de ativo, Imóvel é aquela de maior rentabilidade média, logo à frente de Multiclasse, ao passo que os fundos de Renda Fixa e de Renda Variável marcaram rentabilidade inferior à média.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

FII aprova antecipação de recebimento de valores de aluguel

Veja abaixo o resumo da única ata de FII publicada na CVM entre 12 e 16 de fevereiro de 2018.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

TBOF11 é figura comum na carteira dos FII de Renda Variável

Embora seja uma classe de ativo em expansão, os Fundos de Investimento Imobiliário (FII) de Renda Variável ainda representam um percentual tímido do patrimônio líquido total da indústria. Ao fim de 2017 esta classe de ativo somava um total de oito fundos com cotas listadas para negociação em bolsa, correspondendo a 3,4% do PL consolidado, o que se compara com os sete identificados em fins de 2016, à época representando 2,8% do PL. No total, os oito fundos de Renda Variável investem em um total de 62 cotas distintas de outros FII, totalizando montante de R$ 1,09 bilhão.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Três FII aprovam emissões que somam mais de R$ 800 mi

Veja abaixo o resumo desta e de outras decisões tomadas no âmbito de assembleias de FII divulgadas na CVM entre 5 e 9 de fevereiro de 2018.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

SP e RJ concentram ¾ da área total dos imóveis investidos por FII

Embora os investimentos em títulos de renda fixa tenham recebido destaque nos últimos anos, os investimentos diretos em imóveis predominam por larga margem nas carteiras de Fundos de Investimento Imobiliário (FII). Dos fundos com cotas listadas para negociação na B3, aqueles elencados na categoria de ativo Imóveis representam a maioria. Em termos de área, o total dos imóveis investidos por estes fundos já somam mais de 5 milhões de metros quadrados, dos quais 75% estão localizados nos dois estados mais populosos do país.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

FII se valorizam em janeiro; fundos de imóvel impulsionam alta

O mercado secundário de cotas de Fundos de Investimento Imobiliário (FII), negociadas na B3, encerrou o primeiro mês de 2018 em nível médio de preço acima daquele verificado em dezembro do ano passado. Durante janeiro houve valorização média¹ de 2,2% do preço de negociação das 94 cotas de FII consideradas nesta análise. Deste total, foram 73 as cotas que registraram variação positiva de preço, com o nível máximo de uma cota individual atingindo 13,4%, ao passo que para as de variação negativa o nível mínimo alcançou -7,7%. Fundos que possuem parte ou a totalidade de suas respectivas carteiras de investimentos em Shoppings Center e Escritórios, maiores categorias de FII de imóveis, se destacaram no mês, com variações médias de preço superiores à média do mercado.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Dois FII decidem por mudanças em remuneração de prestadores de serviços

Veja abaixo o resumo desta e de outras decisões tomadas no âmbito de assembleias de FII divulgadas na CVM entre 29 de janeiro e 2 de fevereiro de 2018.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

FII de Renda Fixa investem principalmente em CRI de lastro corporativo

Desde que tiveram sua existência admitida pela Instrução da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) Nº 472, em 2008, os Fundos de Investimento Imobiliário (FII) que investem em títulos de renda fixa se tornaram relevante categoria de ativo do mercado. Embora os fundos contidos nessa categoria possam alocar seus investimentos em Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI), Letra de Crédito Imobiliário (LCI) e até mesmo Letra Imobiliária Garantida (LIG) (quando vierem a ser emitidas), é notável que é o primeiro título que domina as carteiras dos fundos de Renda Fixa. A demanda por investimentos dos FII em CRI ainda tem grande potencial de avanço, principalmente quando visto sob a perspectiva do investidor pessoa física. Esta categoria de investidor, movida, entre outros, pela isenção tributária a que lhe diz respeito, se beneficia da capacitação de um gestor profissional para a seleção e monitoramento destes títulos estruturados.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Negócios com cotas de FII movimentam mais de R$ 800 mi no início de 2018

O mercado secundário de cotas de Fundos de Investimento Imobiliário (FII) negociadas no âmbito da B3, movimentou, em janeiro de 2018, cifra e número de negócios superiores às médias mensais verificadas durante os anos de 2016 e 2017. Enquanto o montante negociado no primeiro mês superou os R$ 800,0 milhões, o número de negócios atingiu o ponto mais alto dos últimos cinco meses. Além disso, o mês de janeiro também marcou a saída do BTG Pactual Corporate Office Fund (BRCR11) da posição de fundo mais líquido, em termos de montante e de número de negócios, sendo destronado pelo Kinea Rendimentos Imobiliários (KNCR11) e pelo BB Progressivo II (BBPO11), respectivamente.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Páginas de Participantes

Mais Lidos