Agora com remuneração defasada, CSHG propõe taxa de performance para HGBS11

Depois de uma ruidosa disputa entre cotistas e CSHG sobre a taxa de administração do FII CSHG Brasil Shopping (HGBS11) na segunda metade de 2017, acabou prevalecendo a vontade dos primeiros, e consignou-se a redução da referida taxa. Agora, seis meses depois dos cotistas do HGBS11 terem aprovado a redução da taxa de 1,5% a.a. para 0,6% a.a., o CSHG, constatando que o patamar atual pode ser considerado baixo tendo em vista os outros fundos de shoppings, propõe que seja instituída uma taxa de performance. Adicionalmente, o administrador sugere uma nova emissão de cotas do HGBS11, da ordem de R$ 600,0 milhões.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

FII de Shopping antecipa pagamento de CRI

A Vinci Real Estate e a BRL Trust, respectivamente o gestor e o administrador do FII Vinci Shopping Centers (VISC11), publicaram Fato Relevante para comunicar o pré-pagamento parcial de CRI cujo lastro é devido pelo fundo.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

Cotistas do FII TRX Realty Logística Renda I aprovam termos de locação para Coca-Cola FEMSA

Veja abaixo o resumo das atas publicadas na CVM entre 07 e 11 de maio de 2018.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

“Problemas operacionais internos” fazem Anhanguera atrasar pagamento de aluguel

O BTG Pactual, administrador do FII Anhanguera Educacional (FAED11), comunicou ontem, 10 de maio, que a locatária realizou o pagamento do aluguel referente à competência abril de 2018, após ter atrasado o pagamento no prazo devido.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

Suspensão de oferta de cotas do HGCR11 é revogada pela CVM

A Superintendência de Registro de Valores Mobiliários (SRE) da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) revogou a suspensão da oferta pública de distribuição da 3ª Emissão do FII CSHG Recebíveis Imobiliários que havia sido anunciada na última segunda-feira. A decisão decorre do fato da CSHG CV ter adotado medidas para sanear as irregularidades que motivaram a suspensão.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

Oferta de cotas do HGCR11 é suspensa pela CVM

A Superintendência de Registro de Valores Mobiliários (SRE) da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) determinou à CSHG CV, em 7/5/2018, a suspensão, pelo prazo de até 30 dias, da oferta pública de distribuição da 3ª emissão de cotas do FII CSHG Recebíveis Imobiliários. A oferta havia sido registrada em 27 de abril último num montante total de mais de R$ 170 milhões.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

Cotistas do FII Capitânia Securities II aprovam emissão de até R$ 100,0 milhões

Veja abaixo o resumo das atas publicadas na CVM entre 30 de abril e 04 de maio de 2018.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Disputa entre Caixa e FII Edifício Almirante Barroso ganha novo capítulo

Não é novidade que existe um conflito entre os cotistas do FII Edifício Almirante Barroso e a Caixa Econômica Federal (CEF), locatária do edifício que leva o mesmo nome do fundo, localizado na Avenida Rio Branco, na cidade do Rio de Janeiro. Já faz alguns anos que o fundo tentou instituir um aumento do valor do aluguel mensal para algo próximo de R$ 3,6 milhões, através de ação revisional, ajuizada em 2010. No entanto, a CEF mostrou-se relutante em aceitar essa mudança. Desde então o que tem se observado é uma contínua disputa entre as partes, com direito a vários recursos no âmbito judicial, de ambos os lados. Nesta semana, esta disputa ganhou um novo capítulo.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

Novo contrato de locação reduz vacância do FII Brascan em mais de 10 p.p.

Detentor de andares de dois imóveis localizados em São Paulo-SP e no Rio de Janeiro-RJ, o FII BM Brascan Lajes Corporativas (BMLC11B) comunicou a celebração de um novo contrato de locação do edifício carioca.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

FII, o melhor ainda por vir

Muito se propaga sobre as vantagens de se investir em Fundos de Investimento Imobiliário (FII). Normalmente isto se dá através de um pacote padrão de meia dúzia de razões simples endereçadas ao investidor pessoa física. Aborda-se aspectos como a liquidez, a diversificação, a rentabilidade, a simplificação, os custos, a informação e a gestão profissional. Na verdade, a venda da ideia que é realizada é bem embasada e faz todo o sentido. E é por isto que nos últimos quase dez anos o mercado de FII adquiriu grande popularidade e penetração junto ao investidor pessoa física. Mas a questão que se coloca é se a importância deste segmento se restringe ao alcance das razões deste pacote mercadologicamente bem divulgado ou, ainda não propriamente revelado, tem neste pacote meramente uma semente de algo muito mais poderoso e sistemicamente relevante.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Rankings

Mais Lidos