Investidores de CRI liberam recursos para devedora quitar despesas pré-operacionais

Veja abaixo o resumo de decisões tomadas no âmbito de assembleias de CRI divulgadas na CVM entre 04 e 08 de março de 2019.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

CRI da Novasec é classificado em ‘A-’

Na última sexta-feira, dia 01 de março de 2019, a agência Fitch atribuiu a classificação de risco ‘A-’ à 31ª série da emissão de Certificado de Recebível Imobiliário (CRI) da Novasec, em montante de R$ 110,0 milhões. O lastro do CRI consiste em uma Cédula de Crédito Imobiliário (CCI) referente aos pagamentos da Cédula de Crédito Bancário (CCB) emitida pela RNI Negócios Imobiliários. Os CRI terão prazo de dez anos e remuneração equivalente à Taxa DI acrescida de 1,7% ao ano.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

Lançamento Exclusivo! Anuário Uqbar: Certificados de Recebíveis Imobiliários – Edição 2019

A Uqbar lança hoje o Anuário Uqbar 2019 dedicado aos Certificados de Recebíveis Imobiliários para os assinantes TLON.

Seguindo o sucesso da edição anterior, lançamos mais um Anuário Uqbar dedicado exclusivamente ao mercado de CRI. Este Anuário Uqbar CRI 2019 traz o retrato do mercado deste título em 2018, juntamente com uma análise sobre qual caminho e quais desvios vamos trilhando. Como no ano passado, esta publicação será seguida de três outras dedicadas aos demais segmentos do mercado de Finanças Estruturadas, compondo em conjunto a edição 2019 dos Anuários Uqbar.

No capítulo Dados os Infográficos ilustram os destaques de desempenho no mercado de CRI em 2018. Além da análise textual de mercado, que precede o capítulo Dados, este Anuário, como de praxe, apresenta os conhecidos Rankings Uqbar dos participantes e operações do segmento. Fechando, o capítulo Regulamentação e Legislação é de autoria do escritório Koury Lopes Advogados.

Número de cedentes em operações de CRI decresce em 2018

Uma das consequências da retração de 9,8% do número de operações de Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) emitidas em 2018, frente a 2017, parece ter sido uma retração também no número de cedentes distintos envolvidos nestas operações. Foram 138 os cedentes distintos no ano passado, 9,2% a menos do que o observado em 2017. Destes 138, quase a integralidade, 137, são pessoas jurídicas. Em 2017, comparativamente, todos os 152 cedentes haviam sido pessoas jurídicas.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

CRI de R$ 300,0 milhões são classificados pela Fitch

Na semana passada a agência Fitch atribuiu classificação de risco para mais uma emissão de Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI) que tem a Rede D’Or São Luiz (Rede D’Or) como devedora. Mais precisamente, trata-se das 208ª e 209ª séries de CRI da RB Capital Companhia de Securitização, que receberam, em caráter preliminar, um ‘AAA’. O montante avaliado foi de R$ 300,0 milhões, referente às duas séries de forma conjunta.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

Fundos de Investimento são maioria entre os investidores de CRI

O déficit habitacional é sem dúvida um dos principais obstáculos a se superar para aprimorar o bem-estar da sociedade brasileira. Na tentativa de combater o problema, foi criado o Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI), que hoje figura como o principal título de securitização imobiliária do país. No entanto, o mercado de CRI ainda não alcançou magnitude suficientemente elevada para solucionar o problema do financiamento imobiliário para pessoas físicas. Uma maneira de atestar essa situação é observar o perfil de investidores de CRI emitidos em 2018.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

Polo acusa Gafisa de alterar boletos e raptar fluxo de pagamentos de CRI

A Polo Capital Securitizadora divulgou Fato Relevante para informar que a Gafisa, cedente de diversas operações de CRI emitidas pela referida securitizadora, tem descumprido suas obrigações de gestão e cobrança dos créditos que lastreiam os títulos, conforme previsto nos contratos de cessão firmados entre as partes. Desse modo, a incorporadora e construtora teria passado a receber indevidamente o fluxo de pagamento dos recebíveis que lastreiam os CRI. 

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

S&P classifica CRI da True em ‘AAA’

Na última terça-feira, dia 29 de janeiro de 2019, a agência S&P atribuiu a classificação de risco final ‘AAA’ à 164ª série da 1ª emissão de Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) da True, anteriormente denominada Ápice. De acordo com o comunicado da agência, o montante emitido do CRI foi de R$ 130,0 milhões. No dia 24 de agosto de 2018 a agência já havia indicado uma classificação de risco idêntica, mas em caráter preliminar.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

True foi a securitizadora que mais emitiu CRI em 2018

O mercado primário de Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) terminou o ano apresentando um volume total de emissões de R$ 9,01 bilhões, cifra construída através de 129 operações. Dentre as securitizadoras imobiliárias que contribuíram para estas marcas, destaca-se a atuação da True, anteriormente denominada Ápice, que participou de 35 operações que perfizeram o montante de R$ 2,57 bilhões. Essas marcas representam 27,1% do total de operações e 28,5% do total emitido no ano. Com isso, a True encerrou o ano como a líder dos rankings Uqbar de securitizadoras imobiliárias de 2018, tanto pelo critério do montante emitido quanto pelo número de operações.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

Conveste mantém liderança em rankings de servicers de CRI de 2018

O mercado de Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) é hoje um dos assuntos mais discutidos dentro da área da securitização. O funcionamento saudável e eficiente das operações que compõem este mercado passa pela atuação especializada de diversos tipos de prestadores de serviço. Um prestador de serviço que em muitos casos exerce papel importante na dinâmica dos investimentos em CRI é o servicer. Este prestador de serviço pode exercer inúmeras atividades dentro da estrutura de securitização, dentre as quais pode-se citar a administração, o controle e cobrança dos créditos imobiliários.

Rankings
Mais Lidos