A ECO Securitizadora publicou Fato Relevante para informar que, ao acompanhar e monitorar as garantias outorgadas nos lastros da 50ª e 51ª série de CRA de sua primeira emissão, constatou que a formação da garantia foi prejudicada. A securitizadora informa que, conforme relatório de monitoramento de campo emitido em 23 de dezembro, com propósito de atestar o plantio da lavoura de soja outorgada em garantia de penhor à CPRF nº 001-2014 – RA, um dos recebíveis-lastro dos CRA, foi constatado o não plantio desta lavoura. Conforme o Termo de Securitização, a garantia dada à respectiva CPRF é o penhor agrícola e mercantil de 170 mil sacas de soja. A ECO Securitizadora acrescenta que, em vista deste fato, e juntamente com o Agente Fiduciário dos CRA (SLW), está analisando a capacidade financeira de pagamento dos devedores dos lastros dos CRA, bem como eventuais ações judiciais ou procedimentos extrajudiciais relativos a atos expropriatórios impetrados contra estes devedores, em especial de consolidação de outras propriedades outorgadas em garantia a outras dívidas que não os CRA, de forma a garantir a adimplência dos títulos. O CRA foi emitido em janeiro de 2013, em valor total de R$ 17,0 milhões, sendo que a classe sênior foi emitida em R$ 11,0 milhões conta com o reforço de crédito proporcionado pela subordinação (52ª série). Com prazo de 5 anos, os CRA são lastreados em cinco CPRF emitidas em favor da securitizadora, cada qual com prazo de vencimento equivalente a uma safra anual. Além do penhor de 170 mil sacas de soja para cada CPRF, os títulos contam com garantias de cessão fiduciária de direitos creditórios e aval, além de alienação fiduciária de imóvel, que, segundo o Fato Relevante, encontra-se em perfeito estado de conservação, nos moldes atestados quando da sua formalização.
Mais Lidos