A CVM publicou, em 26 de dezembro, o Planejamento Estratégico da autarquia, com o intuito de direcionar sua atuação pelos próximos 10 anos. O Plano Estratégico da CVM 2013-2023 foi elaborado a partir de conclusões de trabalho feito ao longo de 2013, que teve colaboração direta dos servidores da CVM, participantes do mercado, jurisdicionados e entidades reguladoras e autorreguladoras. A partir da visão projetada para 2023, qual seja, Ser reconhecida pela sociedade como uma instituição essencial, dotada de credibilidade e capaz de regular de maneira eficiente o funcionamento do mercado, proteger os investidores e contribuir positivamente para o desenvolvimento do país, a autarquia também estabeleceu quinze objetivos estratégicos. Entre estes o décimo terceiro declara a intenção da CVM em assumir um papel de liderança na área de educação financeira. Para a definição dos objetivos estratégicos para 2023 a autarquia considerou cenários de crescimento do mercado de capitais brasileiro. Assim, a CVM projeta, por exemplo, que o patrimônio líquido dos FDIC (sic) atingirá R$ 182,0 bilhões em 2023 em moeda constante de 2012, um crescimento real de 9,7% a.a.. Segundo a CVM, o estoque de CRI pode ultrapassar a cifra de R$ 160,0 bilhões, em 2023, no cenário otimista, chegando a R$ 149,0 bilhões no cenário conservador. Já quanto a indústria de FII, a CVM prevê que em 2023 a indústria terá tamanho entre R$ 180,0 bilhões e R$ 197,0 bilhões, dependendo do cenário conservador ou otimista, mas não informa sob qual indicador foi realizada a projeção. Voltando a 2013, mais precisamente ao fim de novembro, a indústria de FIDC havia somado PL de R$ 79,07 bilhões, o estoque de CRI, R$ 42,65 bilhões, e o PL de FII, R$ 51,96 bilhões.
Mais Lidos