Jornal

FIDC NP operou por mais de dois anos sem que tivesse contratado custodiante

Os assíduos leitores do TLON vão se lembrar do curioso caso do Fundo de Investimento em Direitos Creditórios Não Padronizado (FIDC-NP) cuja cotas foram as mais negociadas em 2014, mas que, no entanto, nunca havia apresentado Informe Mensal. Agora, em meados de 2018, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) retoma o caso, em julgamento da Estratégia Investimentos, que administrava o FIDC Rio Forte NP.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

Planner renuncia administração de dois FII

Veja abaixo o resumo das atas publicadas na CVM entre 23 e 27 de julho de 2018.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Gestor tem papel protagonista em FIDC NP de Créditos Vencidos

A série iniciada com o artigo A diversidade de possibilidades no segmento de FIDC NP tem aqui neste artigo seu desenrolar com a abordagem dos Fundos de Investimento em Direitos Creditórios Não Padronizados (FIDC NP) de Créditos Vencidos. Dentre os FIDC NP, aqueles que investem em créditos inadimplidos respondem por 26% do total de fundos e por 21% do patrimônio líquido consolidado, representando assim o segundo maior segmento deste universo, por ambos os indicadores, ficando atrás somente da categoria Recuperação Judicial, já tratada pela Uqbar em outro artigo. Caso o leitor tenha interesse em se aprofundar sobre o tema, em 16 de agosto a Uqbar realizará o Workshop FIDC NP, em São Paulo, no qual o tema FIDC NP será abordado de forma completa e didática, em um contexto de intensa participação por parte dos inscritos.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

Fazenda mantém multa da Oliveira Trust mas reduz a do Bradesco no caso Union

Condenados pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) ao pagamento de multas que somam R$ 4,5 milhões, a Oliveira Trust e o Banco Bradesco recorreram da decisão ao Conselho de Recursos do Sistema Financeiro Nacional (CRSFN). As multas foram aplicadas no âmbito do processo administrativo instaurado pelo regulador para apurar irregularidades na operação dos emblemáticos FIDC Union National e Eco Multi, cujas carteiras haviam sido selecionadas por uma mesma empresa de fomento mercantil.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

Em transação sigilosa, HGRE11 paga sinal de R$ 10 mi por AAA em São Paulo

O Credit Suisse Hedging-Griffo, administrador do FII CSHG Real Estate (HGRE11), publicou Fato Relevante para informar que o fundo firmou um compromisso de venda e compra de imóveis e outras avenças referente à aquisição de parcela de um edifício AAA localizado em São Paulo-SP.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

FIDC NP impulsiona captação líquida positiva do mercado no ano

Os Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC) do segmento Não Padronizado (NP) impulsionaram o mercado no primeiro semestre com mais de R$ 3,00 bilhões em captação líquida. O mercado de FIDC como um todo apresentou captação líquida positiva total de R$ 3,34 bilhões no período. A marca representa uma relevante melhora de desempenho, em termos de expansão, quando comparado ao realizado em mesmo período em 2017, de captação líquida negativa. Este indicador resulta da diferença entre os montantes de emissões e de amortizações* de cotas no ano. Juntamente com a captação líquida consolidada situada no campo positivo em 2018, observou-se a elevação do Patrimônio Líquido (PL) no período, de R$ 80,81 bilhões, em dezembro de 2017, para R$ 86,97 bilhões, ao final de junho, este último um recorde para esse mercado.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Fitch classifica preliminarmente cotas de FIDC com risco Contour

Na última quarta-feira, 25 de julho de 2018, a agência Fitch Ratings divulgou relatório atribuindo classificação de risco preliminar às cotas do Fundo de Investimento em Direitos Creditórios Contour Global Brasil (FIDC Contour Global Brasil). As cotas correspondem à primeira e à segunda série da classe sênior e ambas receberam a nota ‘AA-’, em montantes de até, respectivamente, R$ 325,0 milhões e R$ 150,0 milhões.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

FFCI11 conclui aquisição de imóvel

A Rio Bravo Investimentos DTVM, administradora do FII Rio Bravo Renda Corporativa (FFCI11), em continuidade ao Fato Relevante divulgado em 17/04/2018, comunicou ao mercado que concluiu a aquisição da totalidade do Edifício Parque Santos, localizado na cidade de São Paulo. Com a aquisição o FII passa a contar com oito imóveis em sua carteira de ativos.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

FII RBR Properties passa a ser negociado na B3

A Planner Corretora, na qualidade de administradora do FII RBR Properties, informou aos cotistas e ao mercado que, nos termos do regulamento, as cotas do fundo foram registradas para negociação no mercado de bolsa administrado pela B3. As cotas estarão disponíveis para negociação a partir de 27 de julho de 2018, com o código de negociação RBRP11.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

Aprovadas novas taxas de juros em CRI da Barigui

Veja abaixo o resumo de decisões tomadas no âmbito de assembleias de CRI divulgadas na CVM entre 16 e 20 de julho de 2018.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Rankings
fii
fidc
cri
cra
Mais Lidos