Jornal

FLMA11 se valoriza 27% em outubro, mas média do mercado fica em 1,1%

O FII Square Faria Lima (FLMA11) se destaca no cômputo das variações de preços de cotas dos 131 Fundos de Investimento Imobiliário (FII) negociados na B3 em setembro e outubro de 2019¹. Enquanto a média do mercado se fixou em variação de preço de 1,1% no período, as cotas do FLMA11 registraram alta de preço de 27,1%.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Cotistas rejeitam venda do Edifício Faria Lima 4.440

Veja abaixo o resumo das atas publicadas na CVM entre 04 e 08 de novembro de 2019.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

BNY Mellon comunica impacto negativo em PL de FIDC

O BNY Mellon comunicou na última segunda-feira, via fato relevante, que, no fechamento do dia primeiro de novembro, um dos FIDC em que exerce as funções de administrador sofreu um impacto negativo no valor de R$ 6,2 milhões, representativos de 7,46% de seu patrimônio líquido (PL). Tal impacto ocorreu, de acordo com o administrador, em razão da alienação privada de um imóvel da carteira do fundo.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

Cotas de FII já trocaram de mãos 10 milhões de vezes em 2019

No mês de outubro os negócios envolvendo cotas de FII movimentaram R$ 3,68 bilhões, consagrando um novo recorde mensal. A cifra é superior ao que foi negociado em todo o ano de 2012. Em termos de número de negócios, dois recordes: não só o mês de outubro, ao registrar 1.686.067 negócios, fixou um novo recorde mensal, como o último dia de negociação do mês também assinalou o maior número de negócios já computados em um mesmo dia (100.198).

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Investidor solicita, e CRI são transferidos para a Travessia Securitizadora

Veja abaixo o resumo de decisões tomadas no âmbito de assembleias de CRI divulgadas na CVM entre 28 de outubro e 01 de novembro de 2019.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Oferta do primeiro FII dedicado ao agronegócio obtém registro

Na última segunda-feira, 04 de novembro, obteve registro na CVM a primeira oferta pública de distribuição de cotas do FII Quasar Agro (QAGR11). A oferta perfaz o montante inicial de aproximadamente R$ 420,0 milhões em cotas. Trata-se do primeiro FII listado dedicado prioritariamente ao investimento em imóveis utilizados no segmento do agronegócio. Com esta nova oferta o mercado de fundos imobiliários chega a 51 ofertas no ano, totalizando quase R$ 17,0 bilhões, maior nível em base anual para este setor.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

Um ciclo (quase) encerrado e outro a iniciar: o informe mensal de CRI e CRA

No último dia 31 de outubro, as securitizadoras começaram a enviar ao sistema Fundos.NET os respectivos Informes Mensais dos CRI e CRA emitidos. Tema sobre o qual a Uqbar dedica especial atenção, o regime informacional, com os novos dados trazidos pelos relatórios, poderá, enfim, prover algum suporte ao esperado desenvolvimento sustentável do mercado de securitização.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

FII tem emissão de quase R$ 1,5 bi aprovada

Veja abaixo o resumo das atas publicadas na CVM entre 28 de outubro a 01 de novembro de 2019.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Chegando aí a nova 356

O mercado de securitização, depois da edição em 2018 da Instrução da Comissão de Valores Mobiliários (ICVM) nº 600, que finalmente normatizou em específico as operações de Certificados de Recebíveis do Agronegócio, aguarda para muito em breve edital de audiência pública referente a nova norma para o mercado de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC). Tal norma deve alterar de forma significativa a ICVM 356, que é a norma-mãe do mercado de FIDC, o principal veículo do mercado brasileiro de securitização.

Por que a alteração da ICVM 356 neste momento e quais pontos deverão ser abordados pela nova norma?

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

CRA indexados ao IPCA ganham espaço no mercado

Antes dominado amplamente por emissões atreladas à Taxa DI, o mercado de Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRA) observa alguma mudança ao longo dos últimos meses, com operações indexadas ao IPCA ganhando espaço. Em um cenário de Selic em queda os investidores deste segmento parecem estar cada vez mais direcionando seu interesse por títulos deste tipo que sejam indexados à inflação. Em 2019 já foram emitidos mais de R$ 2,00 bilhões de CRA com indexação ao IPCA, montante que está próximo dos 40% do total emitido no mercado neste ano. Em termos absolutos, trata-se do maior nível histórico, em base anual, de emissões de CRA deste tipo, já superando todo o montante emitido com este indexador nos últimos dois anos.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Rankings
fii
fidc
cri
cra
Mais Lidos