Jornal

Com garantia em euros, oferta de cotas de FIDC da Enel RIO deve mirar mercado internacional

A agência de classificação de risco Moody’s atribuiu na última quinta-feira, dia 29 de novembro de 2018, classificação de risco para a segunda emissão de cotas sênior do FIDC Global TR. A nota atribuída foi um ‘Aaa’ e a agência levou em consideração o montante máximo de emissão da ordem de R$ 400,0 milhões. Segundo a agência, os recursos captados pelo fundo nessa nova emissão serão destinados ao resgate da primeira emissão de cotas sênior.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

CRI tem lastro alterado para viabilizar compra de imóvel pelo FII BC Fund

Veja abaixo o resumo de decisões tomadas no âmbito de assembleias de CRI divulgadas na CVM entre 26 e 30 de novembro de 2018.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Investidores de CRI concedem dispensa de pagamento de remuneração e amortização programadas por vários meses

Veja abaixo o resumo de decisões tomadas no âmbito de assembleias de CRI divulgadas na CVM entre 19 e 23 de novembro de 2018.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Índice de atrasos se eleva e cotas de FIDC MM são rebaixadas pela S&P

A S&P rebaixou ontem, 26 de novembro de 2018, as classificações de risco da 8ª série de cotas sênior e das 5ª e 6ª séries de cotas mezanino do FIDC Sul Invest Multisetorial, um fundo pertencente ao segmento Multicedente/Multissacado (MM). No caso das cotas sênior, a nota foi alterada de ‘AA-’ para ‘A’, enquanto as duas séries de cotas mezanino passaram a ser classificadas com ‘CCC’, ante ‘BB-’.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

FII TRX Edifícios Corporativos venderá imóvel por R$ 21,5 milhões

Veja abaixo o resumo das atas publicadas na CVM entre 19 e 23 de novembro de 2018.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Oliveira Trust lidera ranking de PL de FIDC lançados em 2018

Com perfis de atuação distintos, Oliveira Trust e Socopa assumem, cada uma, a liderança dos rankings Uqbar de administradores de FIDC para 2018, sob o critério de patrimônio líquido (PL) administrado e de número de novas operações, respectivamente. Enquanto a primeira instituição registra PL administrado de R$ 2,67 bilhões, distribuídos em sete fundos, a segunda inverte o placar, com 50 fundos perfazendo R$ 2,26 bilhões.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Cotas de FIDC de precatórios têm classificação de risco rebaixada

Os Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC) possuem algumas particularidades em comparação a outros tipos de fundos de investimento, como por exemplo a possibilidade da existência de mais de uma classe de cotas em seu passivo, com diferentes características. Refletindo essas diferenças, destaca-se uma ordem de senioridade quanto ao direito de recebimento dos pagamentos advindos da carteira do fundo, ou seja, a existência de uma subordinação de uma classe em relação a outra. A subordinação é um importante reforço de crédito estrutural para investidores da classe sênior de cotistas, sendo que eventuais alterações em seu regramento tendem a impactar o risco incorrido por estes investidores. Em comunicado divulgado ontem, dia 21 de novembro de 2018, a agência de classificação de risco Austin pôs essa lógica em prática em relação ao FIDC Precatórios Selecionados I NP.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

GTIS propõe comprar Cenesp por R$ 265 milhões

O BTG Pactual, administrador do FII BTG Pactual Corporate Office Fund (BRCR11), divulgou Fato Relevante para informar que recebeu proposta de aquisição de um imóvel investido indiretamente pelo fundo.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

Governo Federal abre consulta pública que trata de FII de imóveis da União

O governo federal abriu, nesta quarta-feira, 21 de novembro, consulta pública que trata das diretrizes para a estruturação do primeiro FII de imóveis de propriedade da União. Segundo o Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, o objetivo é modernizar a gestão do patrimônio da União, com o aumento da rentabilidade e redução de gastos. O fundo terá como lastro parte da carteira de imóveis administrada pela Secretaria do Patrimônio da União (SPU), atrelada ao referido ministério.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

Cedente notifica investidor de CRI sobre recompra de direitos creditórios

Veja abaixo o resumo de decisões tomadas no âmbito de assembleias de CRI divulgadas na CVM entre 12 e 16 de novembro de 2018.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Rankings
fii
fidc
cri
cra
Mais Lidos