Vórtx agora renuncia à posição de agente fiduciário de CRI da REAG

Depois de ter renunciado à prestação de serviços fiduciários da 68ª série da primeira emissão de CRI Habitasec, a Vórtx agora renuncia às atividades de agente fiduciário de dois CRI emitidos pela REAG, conforme informa a securitizadora.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Impasse entre Esser e investidores de CRI da ISEC permanece

Veja abaixo o resumo de decisões tomadas no âmbito de assembleias de CRI divulgadas na CVM entre 13 e 17 de agosto de 2018.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Vórtx renuncia às atividades de agente fiduciário de CRI da Habitasec

A Habitasec Securitizadora, emissora do CRI da 68ª série da primeira emissão, publicou Fato Relevante para informar sobre a renúncia da Vórtx às atividades de agente fiduciário do referido CRI.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Alterado o cronograma de remuneração de CRI da Cibrasec

Veja abaixo o resumo de decisões tomadas no âmbito de assembleias de CRI divulgadas na CVM entre 06 e 10 de agosto de 2018.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Mercado de CRI, e financiamento imobiliário, agradecem alterações regulatórias recentes

O mercado de Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI), apesar de seu crescimento, há anos padece das consequências de um modelo precário de financiamento imobiliário no país. Além disto, por conta de sua regulação específica, o mercado de CRI vem sendo praticado sem as condições mínimas de transparência que possibilitariam o nascimento de um mercado secundário que valesse o seu nome e, consequentemente, a expansão do segmento que decorreria de tal evolução. Nas últimas semanas, contudo, duas alterações regulatórias auspiciosas sopraram ventos corretivos destas vulnerabilidades.

Investidores de CRI da Cibrasec decidem não declarar vencimento antecipado

Veja abaixo o resumo de decisões tomadas no âmbito de assembleias de CRI divulgadas na CVM entre 30 de julho e 03 de agosto de 2018.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Securitizadora executa garantia de CRI e leiloa ações da construtora do condomínio Frad.e

A Polo Capital Securitizadora divulgou Fato Relevante, em 03 de agosto, para informar que cumpriu deliberação tomada pelos investidores da 13ª série da primeira emissão de CRI da securitizadora. A deliberação diz respeito à execução extrajudicial das garantias do título, declarado vencido antecipadamente em julho de 2017.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

Decisão de proibir participação da Vórtx em ofertas (e sua revogação) provoca discussão sobre papel do agente fiduciário

“Surpresa” e “estupefação” foram algumas das expressões utilizadas pela Vórtx DTVM e pela LFRating para se referir à determinação de que ambas (em conjunto com a Orla DTVM e a Venture Capital Participações e Investimentos (Venture)) se abstivessem de realizar ou atuar em novas ofertas públicas com esforços restritos de distribuição, nos termos da Instrução CVM nº 476, pelo período de um ano. A deliberação da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), em 20 de julho, foi motivada, segundo a autarquia, pelas quatro não terem atendido as suas respectivas atribuições normativas no âmbito da oferta restrita de debêntures de emissão da Venture. A singular medida da CVM, não obstante ter sido revogada pelo colegiado da CVM em 31 de julho – pelo menos no que diz respeito à Vórtx, motiva discussão sobre o papel dos prestadores de serviços em uma emissão de valores mobiliários, em especial do agente fiduciário, e principalmente no âmbito de ofertas com esforços restritos.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Investidores alteram fluxo de pagamentos de CRI da Gaia

Veja abaixo o resumo de decisões tomadas no âmbito de assembleias de CRI divulgadas na CVM entre 23 e 27 de julho de 2018.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Nova resolução altera direcionamento de poupança; segundo BC, R$ 80 bi serão injetados no crédito imobiliário

O Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou ontem, 31 de julho, a Resolução 4.676 que altera profundamente as regras de direcionamento dos recursos dos depósitos de poupança. Como principal mudança, o novo regramento deixa de estabelecer que 52% dos recursos sejam destinados obrigatoriamente a operações contratadas nas condições do Sistema Financeiro da Habitação (SFH), bastando que sejam destinados efetivamente ao financiamento para a aquisição, construção, reforma e ampliação de imóveis residenciais. Segundo o Banco Central, o conjunto de ajustes trazidos pela nova resolução “irá injetar cerca de R$ 80 bilhões ao direcionamento de crédito imobiliário”.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

Rankings

Mais Lidos