Jornal

Primeira oferta pública de um Fundo de FII

Ontem, 11 de fevereiro, foi concedido pela CVM o registro para a primeira oferta pública de cotas de um Fundo de Investimento Imobiliário (FII) que será dedicado a investimentos em cotas de outros FII. Trata-se do BC Fundo de Fundos de Investimentos Imobiliários FII. Serão R$ 30,0 milhões relativos a uma emissão de 300 mil cotas a um valor unitário de R$ 100,00.

O valor mínimo para aplicação será de R$ 10.000,00, correspondente ao nível mínimo da faixa de valores comumente praticados para as aplicações mínimas em ofertas públicas de cotas de FII. Após a integralização das cotas, as mesmas serão negociadas no mercado secundário na BM&FBOVESPA.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Petra assume controladoria de onze FIDC

A PETRA - Personal Trader CTVM (Petra) assumiu a responsabilidade pela controladoria de onze Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC) que antes era realizada pelo Banco Santander. A corretora, que já era responsável pela administração e gestão destes fundos, passa, a partir de janeiro, a responder também pela controladoria destes.

A corretora entrou no mercado de FIDC em 2005 com atuação em estruturação, gestão e administração de fundos originados junto a empresas de fomento mercantil. No final de 2006, a Petra contava com a administração de cinco FIDC, que somavam um patrimônio líquido de R$ 49,7 milhões. Em dezembro de 2009, a corretora administrava dezenove fundos, totalizando um patrimônio líquido de R$ 442,5 milhões, e ocupava a 15° posição no ranking de administradores de FIDC por montante de patrimônio liquido.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Valorização de cotas de FII nos últimos doze meses continua alta

A rentabilidade do setor de Fundos de Investimento Imobiliário (FII) negociáveis no mercado secundário da BM&FBOVESPA, medida em períodos anuais, continuou a apresentar alto desempenho.

Somente a parte da rentabilidade das cotas devida à variação de preço fechou o período de doze meses terminado em janeiro de 2010 com uma valorização média de 29,0%. Levando-se em conta que a rentabilidade efetiva das cotas é composta pela valorização de preço e pelos rendimentos mensais distribuídos, e que estes últimos por si só provêm, em média, uma rentabilidade líquida acima da taxa de DI, tem-se um quadro de uma indústria que continua a apresentar altos níveis de desempenho.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Maioria de cotas de FII se valorizam em janeiro

No mês de janeiro de 2010, o mercado secundário de cotas de Fundos de Investimento Imobiliário (FII) voltou a apresentar tendência de alta. Desde o pico do mercado, em outubro passado, o mercado vinha sofrendo um ajuste baixista. Mas, a partir do começo do ano, a grande maioria dos FII negociados na BM&FBOVESPA passou a mostrar valorização de preços de suas cotas.

Publicamos abaixo o ranking de variação mensal de preço de cotas de FII no mês de janeiro de 2010, conforme série iniciada em dezembro, dentro da cobertura completa da rentabilidade no setor de FII que a Uqbar vem desenvolvendo. Dos vinte FII que tiveram negociação em dezembro e janeiro, 15 apresentaram movimento de alta. Se não considerarmos variações em termos de valor de mercado e montante negociado dos diferentes fundos, a média de variação mensal de preço de cotas no mês de janeiro de 2010, para todos os fundos, foi de 2,59%. Para efeito de comparação, a mesma média calculada para o mês de dezembro de 2009 foi de - 0,91%.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Montante de secundário de FIDC encolhe em janeiro

O montante consolidado de negócios no mercado secundário de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC) caiu drasticamente no mês de janeiro de 2010, apesar do número de negócios ter aumentado em relação aos últimos dois meses de 2009.

Foram R$ 8,5 milhões de montante em negociações registradas na Cetip e R$ 9,8 milhões na BM&FBOVESPA, fazendo que o valor total negociado na bolsa paulista superasse o valor total registrado na Cetip, feito incomum neste mercado. Em termos de número de negócios, foram 16 na BM&FBOVESPA e 18 na Cetip.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Preço de secundário de FII aponta para cima, apesar de volume baixo

Apesar de um volume de negociação relativamente baixo, a tendência dos preços de cotas de Fundos de Investimento Imobiliário (FII) negociados na BM&FBOVESPA durante o mês de janeiro foi de ligeira alta. Tal movimento se contrapõe ao comportamento de queda de preços observado neste mercado nos últimos dois meses de 2009, depois do pico de outubro.

O volume negociado no mercado secundário de FII no mês de janeiro foi equivalente aos níveis registrados nos últimos dois meses de 2009, a saber, R$ 6,7 milhões no início deste ano contra R$ 6,6 milhões e R$ 6,3 milhões em novembro e dezembro passados, respectivamente.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Assembléias FIDC - Dezembro 2009

ADMINISTRATIVO

FIDC VERAX IAAData da Assembleia: 01/12/2009Objetivo:Aprovação das demonstrações financeiras do fundo, relativas ao exercício social encerrado em 31/08/2009.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Ofertas de FIDC e FII na CVM começam janeiro em ritmo mais leve

O ritmo forte e crescente, do final de 2009, de ofertas públicas de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC) e Fundos de Investimento Imobiliário (FII) sendo registradas na CVM se arrefeceu um pouco no primeiro mês de 2010.

No mês de janeiro deste ano, foram R$ 475,0 milhões em ofertas registradas de FIDC, referentes a seis operações distintas (além de uma operação com dispensa de registro de um FIDC Não Padronizado de precatórios de R$ 500,0 milhões), e R$ 70,2 milhões de uma única oferta registrada de FII. Estes montantes contrastam com os R$ 4,7 bilhões de ofertas registradas de FIDC e R$ 1,8 bilhão de ofertas registradas de FII no mês de dezembro de 2009.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Ofertas de FIDC e FII na CVM começam janeiro em ritmo mais leve

O ritmo forte e crescente, do final de 2009, de ofertas públicas de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC) e Fundos de Investimento Imobiliário (FII) sendo registradas na CVM se arrefeceu um pouco no primeiro mês de 2010.

No mês de janeiro deste ano, foram R$ 475,0 milhões em ofertas registradas de FIDC, referentes a seis operações distintas (além de uma operação com dispensa de registro de um FIDC Não Padronizado de precatórios de R$ 500,0 milhões), e R$ 70,2 milhões de uma única oferta registrada de FII. Estes montantes contrastam com os R$ 4,7 bilhões de ofertas registradas de FIDC e R$ 1,8 bilhão de ofertas registradas de FII no mês de dezembro de 2009.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Retorno estimado dos rendimentos de FII sobe em dezembro

Publicamos hoje o ranking de rendimentos no setor de Fundos de Investimento Imobiliário (FII) para o universo de fundos negociados no mercado secundário. Este é o segundo ranking desta série mensal iniciada em dezembro de 2009. Como explicado na Curta de 23/12/09, Uqbar publica ranking de rendimentos dos FII, esta série vai trazer o ranking dos FIIbaseado exclusivamente no retorno estimado das distribuições de rendimentos nos próximos doze meses.

Os três FII que indicam maior retorno estimado de rendimentos nos próximos doze meses são, por ordem, o FII Panamby, o FII ABC Plaza Shopping e o FII Nossa Senhora de Lourdes, com taxas de 15,99%, 15,91% e 10,27%, respectivamente. No caso do FII Panamby, no mês de novembro de 2009, houve uma distribuição em caráter extraordinário que aumentou substancialmente o nível de rendimentos do fundo e, consequentemente, seu retorno estimado calculado desta forma. Ademais, como indicam as colunas da tabela abaixo referentes aos dados de liquidez (volume negociado e número de negócios), os dois fundos de maior retorno estimado de rendimentos apresentaram um nível de liquidez relativamente baixo.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Rankings
fii
fidc
cri
cra
Mais Lidos