Tendo em vista duas mega-operações suas realizadas recentemente, envolvendo a Petrobras como devedora e o Banco Bradesco como cedente, em que foram emitidos, conjuntamente, R$ 4,00 bilhões¹ em Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI), a securitizadora imobiliária Cibrasec liderou o ranking de emissões de CRI pelo critério de montante emitido no primeiro trimestre do ano. No total, esta securitizadora somou o equivalente a R$ 4,01 bilhões em emissões de CRI (80,8% do mercado consolidado) nos primeiros três meses de 2014, montante este que se refere a apenas quatro operações.

Em segundo lugar no ranking por montante emitido no primeiro trimestre de 2014 aparece a RB Capital, com R$ 418,5 milhões (8,4% do total), referentes a três operações realizadas. Grande parte do montante emitido por essa securitizadora no período correspondeu a uma única operação, que foi integralizada em março, e tem na BR Malls a devedora dos títulos, que somam R$ 339,5 milhões². Em seguida, na terceira e quarta colocações, com diferença de apenas R$ 36,7 milhões entre elas, figuram a Ápice, com R$ 227,0 milhões (4,6% do total emitido), e a Gaia, com R$ 190,4 milhões (3,8% do montante). Já a Brazilian Securities, neste mesmo período, emitiu apenas R$ 56,5 milhões (1,1% do total emitido).

A Figura 1 retrata graficamente a composição, por entidade emissora, das emissões de CRI em 2014 até 31 de março de 2014.

Fig 1 - Composição do montante de CRI emitido no primeiro trimestre de 2014 por securitizadora



A Cibrasec também lidera o ranking em termos de número de operações de CRI, com 4 operações concretizadas em 2014 (21,0% do total consolidado no trimestre).  A RB Capital se coloca em segundo lugar por este critério, juntamente com a Ápice e a Gaia, todas com 3 operações realizadas (15,8% do total consolidado no trimestre). As securitizadoras Brazilian Securities e Nova Securitização aparecem logo em seguida, cada uma com duas operações realizadas (10,5% do total).

Entre janeiro e março de 2014 o mercado primário de CRI totalizou R$ 4,96 bilhões em emissões, referentes a 19 operações, que por sua vez foram realizadas por oito securitizadoras. No mesmo período em 2013 o montante emitido era equivalente a R$ 996,7 milhões, referentes a 30 operações que haviam sido realizadas por oito securitizadoras. Como mostrado no artigo “Recorde: emissões de CRI no primeiro trimestre”, publicado pela Uqbar, esse foi o melhor primeiro trimestre da história para o mercado primário de CRI em termos de montante emitido, o que indica, ao mesmo tempo, a continuidade do crescimento deste mercado como alternativa viável de financiamento para o mercado imobiliário e a possibilidade concreta de que o montante emitido em 2014 venha a superar o desempenho recorde registrado em 2013.

Para maiores informações, acesse a seção de Rankings no Portal Tlon. (Home> CRI> Rankings)

¹ Ver artigo: “Operações de CRI da Cibrasec envolvendo a Petrobras somam R$ 4,00 bilhões”
² Ver artigo: “Recorde: emissões de CRI no primeiro trimestre”
Rankings
Mais Lidos