O mercado primário de CRI registrou, no cômputo do montante emitido entre janeiro e maio de 2019, crescimento de 5,5% frente ao mesmo período do ano anterior. Ainda assim, o perfil das emissões em 2019 se mostra concentrado entre as operações de risco corporativo, denotando que o espaço no mercado de capitais para um aprimoramento visando uma maior eficiência no financiamento imobiliário ainda é pouco ocupado pelos títulos de securitização.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Rankings
Mais Lidos