Ao longo do ano de 2016 o mercado primário de Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRA) mostrou robusto crescimento, atingindo mais de R$ 14,0 bilhões em emissões. No entanto, no tocante ao formato de remuneração destes títulos, o cenário permanece dominado pela preferência pela taxa de Depósitos Interfinanceiros (DI) como indexador, tal qual ocorreu nos últimos sete anos. Já em relação ao prazo das operações, as emissões de CRA de 2016 permaneceram, em sua maioria, tendo vencimento final menor que quatro anos.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Mais Lidos