No cômputo da composição das emissões de Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI), pelas securitizadoras do mercado, ocorridas entre janeiro e novembro de 2014, nota-se a repetição de um comportamento já verificado no ano anterior: pelo critério de montante emitido, houve forte concentração em poucas securitizadoras, muito em função de poucas e grandes operações. Assim, resultou-se em uma lacuna entre as primeiras colocadas do ranking, pelo critério de montante emitido, e o restante das participantes. Por outro lado, dado o elevado número de entidades emissoras de CRI que realizaram operações ao longo dos primeiros onze meses de 2014, um recorde de 20, o nível de concentração verificado em termos de montante emitido não se repetiu quando o critério considerado foi o número de operações executadas.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Rankings
Mais Lidos