Pela segunda vez no ano, as emissões mensais de Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) lastreados em créditos residenciais superaram aquelas com lastro em créditos corporativos. No mês de novembro, R$ 330,0 milhões, ou 57,6% das emissões de CRI, foram lastreados em créditos residenciais, enquanto que os outros R$ 242,8 milhões emitidos no mês foram lastreados em créditos corporativos. O outro mês no qual o crédito residencial havia superado o crédito corporativo tinha sido outubro, por conta da mega operação da Caixa Econômica Federal (ver artigo de 09-nov “R$ 2,02 bilhões é o novo recorde de emissão de uma operação de CRI”). No entanto, no acumulado do ano, crédito residencial representa apenas 33,2% das emissões.

Com os R$ 572,8 milhões emitidos em novembro, as emissões de CRI no ano alcançaram a marca histórica de R$ 10,84 bilhões, o que representa um crescimento de 56,2% em relação ao mesmo período do ano anterior, quando havia sido emitido R$ 6,94 bilhões, e de 27,0% em relação ao ano inteiro de 2010, que teve emissão total de R$ 8,54 bilhões.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Rankings
Mais Lidos