ISEC incorpora a ISEC Brasil (ex-SCCI)

A ISEC e a ISEC Brasil (nova denominação da SCCI) publicaram Fato Relevante para informar que seus conselhos de administração aprovaram a incorporação da segunda pela primeira. O protocolo de incorporação será objeto de deliberação em assembleia geral da ISEC e da ISEC Brasil, a serem realizadas no dia 1º de setembro de 2017. A incorporação é parte da reorganização societária envolvendo as companhias, que tem por objetivo simplificar a estrutura operacional do grupo ao qual pertencem. A ISEC já havia se tornado a principal acionista da ISEC Brasil em dezembro de 2016. Como resultado da incorporação, a ISEC Brasil será extinta, e a ISEC passará a ser a titular dos seus ativos e passivos, incluindo, neste aspecto, os CRI emitidos pela ISEC Brasil, todos sob regime fiduciário. A ISEC também detém participação acionária na Novasec, não contemplada pela incorporação.

Fitch atribui ‘AA+’ a CRI da RB Capital

Em 31/08/2017 a Fitch publicou relatório no qual informa a atribuição de classificação de risco ‘AA+’ à 159ª série da primeira emissão de CRI da RB Capital Companhia de Securitização, em montante de R$ 279,6 milhões. O CRI classificado tem como lastro uma CCI representativa de pagamentos de debêntures emitidas pela empresa Iguatemi Empresa de Shopping Centers. Com relação a remuneração, essa será caracterizada pela incidência de juros correspondentes a 96,0% da Taxa DI.

CRI da RB Capital será resgatado antecipadamente

A RB Capital Securitizadora, emissora do CRI da 83ª série da 1ª emissão, publicou Fato Relevante para informar sobre a recompra dos créditos imobiliários que servem de lastro à referida operação. A solicitação de recompra foi enviada pelo cedente, FII Patrimonial II. Consequentemente, a totalidade dos CRI será resgatada antecipadamente, uma vez confirmado pela securitizadora o pagamento dos recursos pelo cedente à securitizadora, previsto para ocorrer até 08 de setembro de 2017. Segundo o documento, o valor de resgate antecipado será calculado de acordo com a cláusula 6.2.1 do termo de securitização, considerando o prêmio de 1,50% sobre o saldo devedor dos CRI. O CRI tem como lastro CCI representativas de contrato de locação, na modalidade built-to-suit, devido pela Lojas Renner.

CRI da RB Capital recebe classificação preliminar da Fitch

A Fitch atribuiu ontem, dia 23/08/2017, classificação de risco preliminar ‘AA’ à 156ª série da primeira emissão de CRI da RB Capital Companhia de Securitização, em montante inicial de R$ 300,0 milhões. A remuneração estará atrelada à Taxa DI, em proporção ainda a ser definida. O lastro da operação consiste em uma CCI emitida pela empresa BSC Shopping Center, representando os pagamentos de debêntures emitidas pela Aliansce, empresa que controla a BSC.

S&P eleva 45 classificações de risco

A S&P anunciou, em 18/08/2017, que promoveu uma série de elevações de classificação de risco de emissões de operações estruturadas, entre CRI, CRA e FIDC. No entanto, tal decisão se pautou apenas em aspectos não ligados diretamente ao risco de crédito do lastro dos títulos. Segundo a agência, “A maior parte das referidas elevações de rating resulta meramente da revisão da tabela de mapeamento, a fim de distinguir de maneira mais apropriada os ratings na escala nacional. Elas não representam uma mudança de nossa opinião sobre a qualidade de crédito da emissão “. A exceção foi o FIDC Driver Brasil Two Volkswagen que, de acordo com a S&P, teve a classificação de suas cotas mezanino elevada devido a um acúmulo de proteção de crédito. Ao todo foram 45 elevações, sendo que 27 foram em relação a FIDC, 14 em relação a CRA e apenas duas de CRI.

CRI com risco Rede D’Or é classificado pela Fitch

A Fitch atribuiu, em 18/08/2017, a classificação de risco preliminar ‘AA+’ à 165ª série da primeira emissão de CRI da RB Capital Companhia de Securitização, em montante de R$ 198,8 milhões. Com relação ao lastro, este consiste em CCI referentes a pagamentos mensais instituídos em contrato de locação do imóvel Hospital Santa Helena, em Brasília, firmado entre o FII Northwest Investimentos Imobiliários em Saúde Fund I (locador) e a Rede D’Or (locatária). Segundo a agência, “O rating reflete a expectativa de pagamento pontual e integral do principal investido, corrigido anualmente pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), acrescido de cupom equivalente ao rendimento da NTN-B 2022 e spread-teto de 1,80% ao ano. ” Além disso, foi instituída alienação fiduciária de 100,0% do Hospital Santa Helena, que apresenta valor de mercado atual em R$ 311,0 milhões, de acordo com avaliação ocorrida em março deste ano.

Cibrasec informa inadimplemento de CRI

A Cibrasec publicou Fatos Relevantes para informar ao mercado que os pagamentos das parcelas de amortizações das séries 160 e 235 da 2ª emissão de CRI da securitizadora, previstos para ocorrer no último dia 11 de julho, não foram realizados no prazo e forma estabelecidos nos respectivos Termos de Securitização, em virtude de inadimplência por parte Sá Cavalcante Participações, devedora dos lastros de ambos os títulos. Ainda de acordo com o Fato Relevante, o investidor dos CRI e os cedentes estão em tratativas de negociação acerca do inadimplemento a fim de solucionar o ocorrido, e a securitizadora afirma que se utilizará dos mecanismos contratualmente previstos e envidará seus melhores esforços visando a proteção dos interesses dos titulares dos CRI. As séries têm como lastro CCI representativas de contratos de financiamento, tendo a Companhia Província de Crédito Imobiliário e o Banco Bradesco como cedentes, respectivamente. Além disso, as séries também compartilham garantias, como alienação fiduciária de imóvel e cessão fiduciária de recebíveis.

Senado aprova projeto que institui a Cédula Imobiliária Rural

O Senado Federal aprovou hoje, 14 de junho, o Projeto de Lei da Câmara nº212, de 2015. A matéria agora retornará à Câmara dos Deputados. Pelo projeto, o proprietário de imóvel rural fica autorizado a submeter sua área total, ou fração dela, ao regime de afetação. É este patrimônio de afetação que garantirá cedularmente a Cédula Imobiliária Rural (CIR), título que também é instituído pelo projeto. A CIR poderá ser emitida pelo proprietário rural, e será representativa da obrigação de entrega de coisa certa ou de pagamento em dinheiro. Pela lei a CIR poderá contar com garantia de terceiro, podendo esse ser instituição financeira ou seguradora.

Proposta de CRI de R$ 300,0 milhões recebe ‘AAA’

No dia 07/06/2017, a agência de classificação de risco Fitch atribuiu a nota ‘AAA’, de maneira preliminar, à 288ª Série da 2ª emissão de CRI da Cibrasec. A proposta de emissão desses títulos considera um montante de R$ 300,0 milhões e juros remuneratórios correspondentes a 95,0% do CDI. Já o lastro da operação consiste em CCI representativa de pagamentos provenientes de debêntures da empresa Multiplan Empreendimentos Imobiliários.

Fitch classifica proposta de emissão de CRI com risco MRV

A Fitch atribuiu hoje, dia 08/06/2017, a classificação de risco preliminar ‘AA-’ à 91ª série da primeira emissão de CRI da Ápice, que pode alcançar o montante de R$ 101,25 milhões. Uma CCI relacionada ao pagamento de principal e juros de debêntures de emissão da MRV Engenharia corresponde ao lastro da série em questão. De acordo com relatório divulgado pela agência, os juros remuneratórios dos CRI equivalem a 102,0% da Taxa DI.

Rankings
Mais Lidos