Em assembleias realizadas no começo do ano, os cotistas de três Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC), que têm o Banco BVA como cedente, foram informados pelo administrador destes fundos que recursos que compõem o patrimônio líquido de cada um dos fundos não foram repassados pelo agente de cobrança, no caso o próprio Banco BVA. Neste sentido, o índice de subordinação das cotas (chamado pelo administrador de “razão de garantia”), em desenquadramento desde dezembro de 2012, só poderia vir a ser recomposto caso o fluxo de repasses fosse reestabelecido. Os fundos em questão são o FIDC BVA Master, o FIDC BVA Master II e o FIDC BVA Master III.

 

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Mais Lidos