A agência de classificação de risco Standard and Poor's (S&P) rebaixou a classificação de risco de seis séries de cotas de classe sênior do FIDC Crédito Universitário, de 'AA+' para 'AA-', na última sexta-feira (15/08). A agência identificou uma tendência de crescimento de créditos inadimplentes há mais de 180 dias, cujos devedores celebraram o primeiro contrato entre os anos de 2007 e 2010, o que motivou a ação de classificação de risco. O fundo investe em recebíveis educacionais originados por "contratos de financiamento ligados ao segmento educacional, incluindo contratos de Crédito Direto ao Consumidor para pagamento de prestação de serviços educacionais ou Contratos de Mútuo para financiar débitos de serviços educacionais". O gestor do fundo, Ideal Invest, esclareceu a S&P que isso é consequência de uma análise de crédito inicial mais fraca por conta dos critérios de seleção de alunos (devedores) utilizados no período acima mencionado e do concomitante aumento do custo financeiro do financiamento para esses alunos. A gestora do fundo propôs ainda aos cotistas uma alteração na estrutura do FIDC, a ser deliberada na próxima assembleia geral de cotistas. Por consequência disto, a S&P inseriu as classificações de risco na listagem CreditWatch com implicações negativas, pois acredita que existe a possibilidade, dependendo de decisão dos cotistas do fundo, da proteção de crédito do fundo não ser reforçada.

Rankings
Mais Lidos