Negócios Cetip (FIDC) – 10-14/Mar/14



Na semana passada foram registrados 44 negócios com cotas de FIDC na Cetip que totalizaram R$ 27,1 milhões. A cota sênior 1 do FIDC Mercantil Credito Consignado INSS apresentou o maior montante negociado (R$ 16,0 milhões). O fundo é administrado pela Oliveira Trust e tem como objetivo adquirir recebíveis, oriundos de operações de crédito pessoal aos aposentados e pensionistas do INSS, cedidos pelo Banco Mercantil do Brasil. A cota sênior 1 do FIDC Lecca registrou o maior número de negócios (20). Administrado pela SOCOPA, este fundo investe em recebíveis oriundos de operações comerciais, de financiamento de veículos e de operações de crédito tanto para pessoa física quanto para pessoa jurídica, todos eles previamente analisados e selecionados pela Epanor Lecca. Além das cotas dos fundos acima, negócios com cotas de outros seis FIDC foram registrados na Cetip. Não houve registro de qualquer negócio na BM&FBOVESPA.

Cotistas do Vinci Crédito e Desenvolvimento I aprovam mudanças no cálculo do benchmark das cotas sênior

Veja abaixo esta e outras decisões tomadas no âmbito de assembleias de FIDC divulgadas entre 10/03 e 14/03 de 2014.


Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Cotistas do BER Capital Corporate aprovam minuta de acordo judicial para recuperação de crédito

Veja abaixo esta e outras decisões tomadas no âmbito de assembleias de FIDC divulgadas entre 03/03 e 07/03 de 2014.


Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Negócios Cetip (FIDC) – 05-07/Mar/14


Na semana passada foram registrados 49 negócios com cotas de FIDC na Cetip que totalizaram R$ 32,4 milhões. A cota subordinada do FIDC SCE apresentou o maior montante negociado (R$ 10,2 milhões). O fundo é administrado pela BNY Mellon Serviços Financeiros DTVM e tem como objetivo adquirir recebíveis comerciais originados por empresas dos setores industrial e de prestação de serviços. A cota sênior 1 do FIDC Lecca registrou o maior número de negócios (22). Administrado pela Lecca DTVM, este fundo investe em recebíveis oriundos de operações comerciais, de financiamento de veículos e de operações de crédito tanto para pessoa física quanto para pessoa jurídica, todos eles previamente analisados e selecionados pela Epanor Lecca. Além das cotas do fundo acima, negócios com cotas de outros dez FIDC foram registrados na Cetip. Não houve registro de qualquer negócio na BM&FBOVESPA.

Cotistas do GIF III Jus Créditos Judiciais NP aprovam emissão de R$ 375,8 milhões

Veja abaixo esta e outras decisões tomadas no âmbito de assembleias de FIDC divulgadas entre 24/02 e 28/02 de 2014.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Multissetorial Master chega a mais de 90,0% de Atrasos

Ao fim de janeiro de 2014, o Fundo de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC) Multissetorial Master, um dos FIDC do Banco BVA, figura como o fundo com maior indicador de Atraso Normalizado (Atrason¹). Com nível de atrasos em 92,2% do valor de seus direitos creditórios, este fundo teve suas cotas sênior rebaixadas no dia 17 deste mês, de ‘brCCC(sf)’ para ‘brD(sf)’. Foi o quarto rebaixamento sofrido por essa classe de cotas em menos de 12 meses. Tendo o segundo maior valor de Atrason, o FIDC BBR, que investe em Direitos Creditórios (DC) cedidos por empresas do Grupo Bunge , possuía ao final de janeiro 83,3% do valor de seus direitos creditórios em atraso. Já o FIDC com o terceiro maior valor de Atrason no final de janeiro, o FIDC Multi Infra, um fundo que adquire DC vencidos ou vincendos, tinha este indicador em 83,1%.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Credit Brasil Multissetorial tem cotas sênior classificadas

A S&P atribuiu a classificação de risco ‘brAA (sf)’ à 5ª série de cotas sênior do FIDC Credit Brasil Multissetorial. Ao mesmo tempo, atribuiu a classificação de risco final ‘brAA (sf)’ à 3ª série de cotas sênior, após o encerramento da oferta e recebimento da documentação apropriada. A carteira de direitos creditórios do fundo é composta por recebíveis performados originados por diferentes cedentes nos segmentos mercantil, financeiro e de prestação de serviços. Os direitos creditórios elegíveis incluem duplicatas, cheques e notas promissórias originados por diversas pequenas e médias empresas. A 5ª série de cotas sênior do fundo, no montante de R$ 15,0 milhões, busca uma rentabilidade alvo equivalente à Taxa DI acrescida de um spread de 4,5% ao ano e será amortizada em 18 parcelas mensais após um período de carência de 18 meses. A 3ª série sênior, no montante de R$ 30,6 milhões, tem rentabilidade alvo equivalente a 130,0% da taxa DI e será amortizada em 6 parcelas após um período de carência de 25 meses.

Indústria consolidada de FIDC se retrai, mas Não-Padronizados crescem


No primeiro mês de 2014, o valor consolidado de Patrimônio Líquido (PL) dos 379 Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC), incluindo aqueles Não Padronizados (FIDC NP), somava R$ 52,02 bilhões*. Frente a dezembro do ano passado, mês que teve o maior nível de PL em 2013 (R$ 53,30 bilhões), a indústria apresentou retração de 2,4%. Quando a comparação é com janeiro de 2013 o percentual de redução é similar: 2,0%. No primeiro mês daquele ano o montante de PL era da ordem de R$ 53,08 bilhões.


Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Agência atribui classificação às cotas do FIDC BRZ Agronegócio

A Fitch atribuiu a classificação de risco de Longo Prazo ‘A+sf(bra)’ à classe única das cotas emitida pelo FIDC BRZ Agronegócio, no montante de R$ 26,4 milhões. O ativo-lastro do FIDC é composto, exclusivamente, pela 3ª série da 1ª emissão de CRA da Gaia Agro. Este CRA adquirido pelo fundo tem prazo de 60 meses, com vencimento em março de 2019. Após um período de carência de 24 meses, será iniciado o período de amortizações mensais, em 36 parcelas. O CRA também foi classificado pela Fitch: ‘A+sf(bra)’. O fundo ainda conta com uma reserva inicial de caixa, no valor de R$ 200,0 mil, para arcar com as despesas operacionais da operação. O FIDC BRZ Agronegócio é um condomínio fechado, com prazo determinado de 60 meses. O FIDC é administrado pela Gradual CCTVM e gerido pela BRZ Investimentos, e os ativos são custodiados pelo Banco Paulista.

Orion Multissetorial LP tem subordinação mínima alterada

Veja abaixo esta e outras decisões tomadas no âmbito de assembleias de FIDC divulgadas entre 17/02 e 21/02 de 2014.


Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Rankings

Mais Lidos