Agência eleva classificação de risco de cotas do FIDC Onix Prime

A Liberum elevou as classificações de risco das cotas sênior e mezanino do FIDC Onix Prime. As cotas sênior foram elevadas de AA-(fe) para AA(fe) e as cotas Mezanino de BBB(fe) para BBB+(fe). A carteira de direitos creditórios do fundo é composta por operações de crédito, de giro elevado, representadas principalmente por duplicatas e cheques, originados por operações de compra e venda de produtos e/ou prestação de serviços, com prazo médio ponderado máximo de 60 dias. A agência fundamenta sua classificação no bom histórico desempenhado pelo fundo que tem mostrado bons indicadores de qualidade de sua carteira e ainda na capacidade de geração de ativos demonstrada pela consultora do fundo Onix Credit. A rentabilidade alvo é de 125,0% da taxa DI para as cotas sênior e de 150,0% da taxa DI paras as cotas mezanino. A agência manteve a classificação de risco B(fe) atribuída às cotas subordinadas júnior do fundo.

Negócios Cetip (FIDC) – 04 a 08/ago/14

Na semana passada foram registrados 52 negócios com cotas de FIDC na Cetip que totalizaram R$ 5,63 milhões. A cota com maior montante negociado foi a cota sênior série 6 do FIDC Multisetorial Silverado Maximum, com R$ 1,84 milhão. O fundo é administrado pelo Banco BNY Mellon e tem a carteira composta por recebíveis comerciais performados, representados por duplicatas e cheques, originados em operações de compra e venda e prestação de serviço, previamente selecionados pela empresa Silverado Serviços de Informações. A cota com maior número de negócios foi a cota sênior 1 do FIDC Lecca, com um total de 32 negócios. Administrado pela SOCOPA, este fundo investe em recebíveis oriundos de operações comerciais, de financiamento de veículos e de operações de crédito tanto para pessoa física quanto para pessoa jurídica, todos eles previamente analisados e selecionados pela consultora Epanor Lecca. Além das cotas deste fundo acima, negócios com cotas de outros 6 FIDC foram registrados na Cetip. Não houve registro de qualquer negócio na BM&FBOVESPA.

Cotistas de três FIDC do Banco BVA aprovam demonstrações financeiras

Veja abaixo esta e outras decisões tomadas no âmbito de assembleias de FIDC divulgadas entre 04 e 08 de agosto de 2014

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Cotas de FIDC de recebíveis comerciais originados pela Braskem recebem classificação

A Moody's atribuiu as classificações de risco preliminares Aaa.br e Ba1.br para as cotas sênior e mezanino, respectivamente, a serem emitidas pelo FIDC Chemical IX Indústria Petroquímica. As emissões corresponderão aos valores de R$ 544,8 milhões para as cotas sênior e de R$ 43,2 milhões para as cotas subordinadas mezanino. Este fundo é uma operação lastreada por uma carteira de recebíveis comerciais originados pela Braskem e suas subsidiárias integrais, Braskem QPar e Braskem Petroquímica. Os cotistas sênior contam com reforço de crédito na forma de subordinação, que poderá variar entre 9,09% e 13,04%. O Chemical IX Indústria Petroquímica é a nona securitização de uma carteira de recebíveis comerciais do Grupo Braskem. Segundo a agência, o grupo Braskem apresenta um histórico sólido na originação de operações de securitização e um desempenho estável nas operações anteriores. O fundo é constituído sob formato de condomínio fechado e terá um prazo de 72 meses. As cotas sênior e mezanino terão suas rentabilidades alvo indexadas à taxa DI e logo após o encerramento da fase inicial da operação será decidido qual o spread adicional para cada uma das classes de cotas.

Três FIDC de futebol já somam R$ 219 milhões

Em 26 de março de 2014 o FIDC SP Recebíveis Premium II obteve registro da CVM para iniciar suas operações. A denominação do fundo não traduz a natureza de seus direitos creditórios. Trata-se de mais um Fundo de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC) voltado para o mercado futebolístico, no caso para securitizar um empréstimo concedido pela SPE Complexo Maracanã Entretenimento (SPE Maracanã) ao Clube de Regatas do Flamengo (Flamengo), time de futebol de maior torcida no Brasil, com cerca de 40 milhões de torcedores. Esse é historicamente o quarto FIDC constituído envolvendo clubes de futebol e demais participantes desse respectivo universo, sendo que, destes quatro fundos, três encontram se em operação e somam juntos R$ 219,0 milhões em patrimônio líquido.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

Nova série sênior do Multisetorial Delta NP recebe classificação

A Liberum atribuiu a classificação de risco A+(fe) à 4 ª série de cotas sênior do FIDC Multisetorial Delta NP. Este fundo investe preponderantemente em direitos creditórios oriundos dos segmentos comercial, industrial e de prestação de serviços, especialmente de micro, pequenas e médias empresas. Todos os recebíveis são previamente selecionados pela empresa Delta Fomento Mercantil, consultora do fundo. O regulamento do fundo ainda permite que a carteira tenha cedentes em recuperação judicial e até 15,0% de sua composição com operações a performar. A agência destaca, em seu news release, que o fundo vem apresentando alto nível de atrasos, recompras em nível considerado médio e alta concentração nos maiores cedentes. Segundo dados do informe mensal de junho, o último disponível no site da CVM, o fundo terminou aquele com 46,9% dos direitos creditórios em inadimplência e teve R$ 1,5 milhão de créditos recomprados durante o mês, o equivalente a 3,0% do total de direitos creditórios no final daquele mês . A 4ª série de cotas sênior terá prazo de vencimento de 28 meses e meta de rentabilidade de 125,0% da taxa DI.

Cota sênior do FIDC SC Sky Financiamento a Concessionárias recebe classificação

A Moody's atribuiu a classificação de risco Aaa.br (sf) para a primeira série de cotas sênior a serem emitidas pelo FIDC SC Sky Financiamento a Concessionárias em montante de até R$ 200,0 milhões. A operação tem seus direitos creditórios lastreados por uma carteira revolvente de financiamentos de floor plan originados pela BMW Financeira Crédito, Financiamento e Investimento (subsidiária integral indireta da BMW AG), para diversas concessionárias BMW, MINI e Motorrad no Brasil. Recentemente a Moody's revisou a carteira provisória dos direitos creditórios cedidos à operação, consistindo em recebíveis de financiamento de floor plan relativos à BMW (78%), MINI (14%) e Motorrad (8%). Segundo a agência, em dezembro de 2013, a carteira provisória do fundo era composta por recebíveis adimplentes de 46 concessionárias pertencentes a 24 grupos econômicos, para um montante total de principal de R$ 286,2 milhões. A agência cita alguns pontos que contribuíram positivamente para esta atribuição de classificação de risco, tais como: (a) o reforço de crédito proporcionado pela subordinação de 19,0% para as cotas sênior; (b) a não existência do risco de fungibilidade, com todos os pagamentos dirigidos para uma conta em nome do FIDC; (c) o suporte de liquidez para o próximo pagamento de juros e despesas; e (d) a experiência da BMW Financeira, o originador e agente de cobrança dos direitos creditórios securitizados, e a força financeira da controladora BMW AG. Em contrapartida a agência também menciona alguns pontos negativos, tais como: (a) a ausência de um direito de garantia real constituído nos veículos que dão suporte aos financiamentos de floor plan. Risco este que, segundo a agência, é mitigado pelos padrões robustos de originação e monitoramento da BMW Financeira; (b) uma elevada concentração dos sacados, com as duas principais concessionárias representando 9,5% cada. A agência atenta para o fato de que o nível de subordinação em 19,0% possibilita cobrir pelo menos esse inadimplemento das duas maiores concessionárias; (c) a possibilidade de que a documentação dos financiamentos de floor plan cedidos à operação não esteja finalizada até 30 dias após o desembolso, em decorrência do tempo exigido para formalizar o financiamento por meio da assinatura dos documentos.

Negócios Cetip (FIDC) – 28/jul a 01/ago/14

Na semana passada foram registrados 67 negócios com cotas de FIDC na Cetip que totalizaram R$ 195,1milhões. A cota com maior montante negociado foi a cota subordinada do FIDC Rio Forte NP com R$ 174,0 milhões. Administrado pela Estratégia Investimentos CVC, o fundo possui carteira composta por direitos de crédito contra a União - precatórios decorrentes de ações judiciais já transitadas em julgado -,  cujo pagamento poderá ou não ser realizado ao amparo do art. 78 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias. A cota com maior número de negócios foi a cota sênior 1 do FIDC Lecca com um total de 24 negócios. Administrado pela SOCOPA, este fundo investe em recebíveis oriundos de operações comerciais, de financiamento de veículos e de operações de crédito tanto para pessoa física quanto para pessoa jurídica, todos eles previamente analisados e selecionados pela consultora Epanor Lecca. Além das cotas deste fundo acima, negócios com cotas de outros 11 FIDC foram registrados na Cetip. Não houve registro de qualquer negócio na BM&FBOVESPA.

 

Cotistas de dois FIDC decidem por liquidação de fundos

Veja abaixo esta e outras decisões tomadas no âmbito de assembleias de FIDC divulgadas entre 28 de julho e 1 de agosto de 2014

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Negócios Cetip (FIDC) – julho/14

No último mês foram registrados 378 negócios com cotas de FIDC na Cetip que totalizaram R$ 302,5 milhões. A cota subordinada do FIDC Rio Forte NP apresentou o maior montante negociado (R$ 166,0 milhões). Administrado pela Estratégia Investimentos CVC, o fundo possui carteira composta por direitos de crédito contra a União - precatórios decorrentes de ações judiciais já transitadas em julgado -,  cujo pagamento poderá ou não ser realizado ao amparo do art. 78 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias. Todos os direitos creditórios adquiridos pelo fundo são previamente analisados pela consultora JG Administração de Recursos. A cota sênior 1 do FIDC Lecca registrou o maior número de negócios (119). Administrado pela SOCOPA, este fundo investe em recebíveis oriundos de operações comerciais, de financiamento de veículos e de operações de crédito tanto para pessoa física quanto para pessoa jurídica, todos eles previamente analisados e selecionados pela consultora Epanor Lecca. Além das cotas dos fundos acima, negócios com cotas de outros 38 FIDC foram registrados na Cetip. Não houve registro de qualquer negócio na BM&FBOVESPA.

Rankings

Mais Recentes