Cotistas do Trendbank Multicredit e do Ideal Educação decidem pela liquidação dos fundos

Veja abaixo esta e outras decisões tomadas no âmbito de assembleias de FIDC divulgadas entre 20/01 e 24/01 de 2014.


Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Negócios Cetip (FIDC) – 20-24/Jan/14


Na semana passada foram registrados 86 negócios com cotas de FIDC na Cetip que totalizaram R$ 65,1 milhões. A cota sênior 1 do FIDC BICBanco Crédito Corporativo II apresentou o maior montante negociado (R$ 37,0 milhões) e o maior número de negócios (38). Administrado pela Concórdia Corretora, este fundo investe em recebíveis oriundos de operações de crédito a pessoa jurídica, cedidas pelo BICBanco. Além das cotas do fundo acima, negócios com cotas de outros treze FIDC foram registrados na Cetip. Não houve registro de qualquer negócio na BM&FBOVESPA.

Indústria de FIDC fecha dezembro em alta; Não-Padronizados batem recorde


Encerrado o ano de 2013, o valor consolidado de Patrimônio Líquido (PL) dos 387 Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC), incluindo aqueles Não Padronizados (FIDC NP), somava R$ 53,09 bilhões*. A maior marca registrada ao logo de todo o ano de 2013. Tomando-se a variação mensal a indústria cresceu moderadamente, 3,1% frente a novembro, mês em que o valor de PL consolidado era de R$ 51,48 bilhões. Ante o final de 2012, contudo, a indústria registrou ligeira queda de 0,3%. Em dezembro daquele ano o montante de PL alcançava R$ 53,26 bilhões.


Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Cotas sênior e mezanino do Empírica Goal One recebem classificação final

A S&P atribuiu hoje as classificações de risco finais ‘brAA (sf)’ e ‘brBBB (sf) à 4ª série de cotas sênior e à classe única de cotas mezanino, respectivamente, do FIDC Empírica Goal One. Não ocorreram alterações na estrutura do FIDC desde a atribuição de mesmo rating em base preliminar em agosto de 2013. O reforço de qualidade de crédito disponível é proporcionado pela subordinação de cotas, com mínimo de 24% para as cotas sênior e de 18,5% para as cotas mezanino. A 4ª série de cotas sênior possui rentabilidade alvo equivalente à taxa DI acrescida de um spread de 4,5% a.a. enquanto a classe única de cotas mezanino possui rentabilidade alvo equivalente à taxa DI acrescida de um spread de 5,5% a.a., sendo que ambas as classes de cotas têm vencimento previsto para abril de 2016. O Empírica Goal One é estruturado como um condomínio fechado, cujos direitos creditórios são recebíveis comerciais performados, representados por duplicatas e cheques, e originados de operações realizadas nos segmentos comercial, industrial e de prestação de serviços.

Trendbank encerra 2013 entre os fundos com maior nível de atrasos


Ao fim de dezembro de 2013, o Fundo de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC) Trendbank Multisetorial, um dos maiores FIDC de factoring, figura entre as primeiras colocações dos fundos com maior indicador de Atraso Normalizado (Atrason¹). Com nível de atrasos em 69,4% do valor de seus direitos creditórios, este fundo teve suas cotas sênior rebaixadas em outubro, de ‘brAA-(sf)’ para ‘brB(sf)’, justamente em função de rápida e substancial elevação do montante relativo de seus créditos vencidos. Com o maior valor de Atrason, contudo, se encontra o FIDC VID Indústria. Três quartos do valor total dos Direitos Creditórios (DC) em sua carteira, os quais têm como cedente a Votorantim Cimentos, se referem a créditos inadimplentes. Já o FIDC com o segundo maior valor de Atrason no final de dezembro, o FIDC Multi Infra, um fundo que adquire DC vencidos ou vincendos, tinha este indicador em 72,1%.


Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Classificação das cotas sênior do AGN Fornecedores Petrobras é retirada

A S&P retirou hoje a classificação de risco ‘brA (sf)’ atribuída às cotas sênior do FIDC AGN Fornecedores Petrobras. A classificação foi retirada em razão do resgate integral da 1ª série de cotas sênior em 27 de dezembro de 2013. O FIDC AGN Fornecedores Petrobras é lastreado por direitos creditórios performados e a performar, oriundos de contratos de prestação de serviços, compra e venda e/ou fornecimento de bens à Petróleo Brasileiro S.A.. As cotas sênior buscavam uma rentabilidade equivalente a 100% da taxa DI, e tinham vencimento previsto para dezembro de 2015. Além das cotas sênior, o fundo emitiu cotas subordinadas e cotas mezanino. Em dezembro de 2013 a cota subordinada não tinha mais valor e o valor patrimonial das cotas mezanino equivalia a R$ 23.995,70, totalizando um patrimônio líquido para esta classe de R$ 12.957.300,00.

Mais dez FIDC se adaptam à ICVM 531

Veja abaixo esta e outras decisões tomadas no âmbito de assembleias de FIDC divulgadas entre 13/01 e 17/01 de 2014.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Negócios Cetip (FIDC) – 13-17/Jan/14

Na semana passada foram registrados 64 negócios com cotas de FIDC na Cetip que totalizaram R$ 47,0 milhões. A cota sênior 1 do FIDC Driver Two Banco Volkswagen apresentou o maior montante negociado (R$ 16,9 milhões). O fundo é administrado pela BEM DTVM e tem como objetivo adquirir recebíveis oriundos de operações de financiamento de veículos realizadas pelo Banco Volkswagen. A cota sênior 1 do FIDC Lecca registrou o maior número de negócios (21). Administrado pela Lecca DTVM, este fundo investe em recebíveis oriundos de operações comerciais, de financiamento de veículos e de operações de crédito tanto para pessoa física quanto para pessoa jurídica, todos eles previamente analisados e selecionados pela Epanor Lecca. Além das cotas do fundo acima, negócios com cotas de outros doze FIDC foram registrados na Cetip. Não houve registro de qualquer negócio na BM&FBOVESPA.

CVM registra oferta publica de cotas sênior do Ourinvest Veiculos II

Foi registrada ontem (16/01) na CVM a oferta pública da 3ª série de cotas sênior do FIDC Ourinvest Veiculos II, antigo FIDC OMNI Veiculos III, em montante total de R$ 70,0 milhões. A distribuição será a cargo do Banco Ourinvest e será encerrada até 15 de julho de 2014. O Ourinvest FIDC II é um fundo que investirá em créditos relacionados ao financiamento de motocicletas, automóveis, caminhões, ônibus, carretas e utilitários pesados para transporte de carga e de passageiros, originados pela Omni Crédito, Financiamento e Investimento. Os devedores são consumidores das classes C e D, que financiam veículos com idade média superior a quinze anos. A 3ª série de cotas sênior teve a classificação “AA-“ atribuída em novembro pela agência Fitch. Esta série tem rentabilidade alvo equivalente à taxa DI acrescida de um spread de 2,85% ao ano.

FIDC que investe em CRI lastreado em debênture é classificado

A Fitch atribuiu a classificação de risco ‘A sf(bra)’ à classe única de cotas emitida pelo FIDC BRZ Créditos Imobiliários no montante nominal de R$ 26,4 milhões. Esta emissão é lastreada exclusivamente pela 66ª série da quarta emissão de CRI da Gaia Securitizadora, em montante nominal de R$ 26,0 milhões. Este CRI por sua vez, é lastreado por Cédulas de Crédito Imobiliário que representam uma debênture emitida pela PPR Par Participações, controlada pela PPR Brookfield Participações.  As cotas têm prazo de sessenta meses e as amortizações ocorrerão conforme o regime de caixa dos recebimentos dos CRI adquiridos. A 66ª série de CRIs tem prazo de 36 meses, com vencimento final em 18 de janeiro de 2017. Após um período inicial de carência de 15 meses, os CRI terão amortizações esperadas em quatro parcelas: em abril de 2015, maio de 2016, setembro de 2016 e janeiro de 2017. O FIDC BRZ é um fundo de condomínio fechado. É administrado pela Gradual CCTVM e gerido pela BRZ Investimentos. O Banco Paulista exercerá a função de custodiante dos ativos pertencentes ao fundo. 
Rankings

Mais Lidos