Agência rebaixa classificação de cotas sênior do FIDC Multissetorial Valor

A S&P rebaixou a classificação de risco atribuída às 4ª, 5ª e 6ª séries de cotas sênior do FIDC Multissetorial Valor, de ‘brAAA (sf)’ para ‘brAA (sf)’, e reafirmou a classificação ‘brA (sf)’ atribuída às 2ª, 3ª e 4ª séries de cotas mezanino. O FIDC Multissetorial Valor é estruturado como um condomínio fechado, cujos direitos creditórios são recebíveis comerciais, originados por diferentes cedentes nos segmentos industrial, comercial, financeiro, agrícola, hipotecário e imobiliário, bem como nos de operações de arrendamento mercantil ou de prestação de serviços, representados por duplicatas, cheques e cédulas de crédito bancário. O reforço de qualidade de crédito disponível às cotas seniores é proporcionado pela subordinação de cotas, com um mínimo de 30% para as cotas seniores e de 17% para as cotas mezanino. O FIDC também pode se beneficiar de um spread excedente, quando houver, proporcionado pela taxa de desconto aplicada na aquisição dos recebíveis elegíveis, que deve ser maior ou igual a 200% da taxa DI. A agência considera a Valor Gestão de Negócios (Consultora de crédito), que é a responsável pela originação e seleção, acompanhamento e cobrança dos direitos creditórios, uma participante da operação cujo papel pode afetar o desempenho da carteira do FIDC. Assim, a agência avaliou o impacto desta participante na transação, definindo como altos os riscos de severidade (sensibilidade dos ativos-lastro em relação à continuidade dos serviços prestados), de portabilidade (avaliação de um conjunto de elementos, incluindo o histórico limitado de transferências de responsabilidades e o conflito de interesses relacionado ao direito contratual de rescisão dos serviços do participante), e de ruptura (avaliação das condições operacionais).

Nichos de mercado estimulam crescimento da indústria de FIDC

Como é sabido, as cotas de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC) são os principais títulos de securitização no mercado brasileiro, sendo os únicos que correspondem a operações de financiamento e investimento em diversos segmentos econômicos, além de poderem contar com direitos creditórios em suas carteiras de natureza variada. Num dos tipos de segmentação possíveis, a Uqbar classifica os fundos da indústria em catorze diferentes categorias de ativo-lastro, tendo sido publicado artigo no TLON sobre aquelas que apresentaram crescimento recente. Alternativamente, outras segmentações são possíveis, podendo revelar, inclusive, nichos de atuação do mercado de FIDC em franca expansão, cada qual respondendo a determinados incentivos econômicos.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Uqbar lança publicação anual sobre o mercado de finanças estruturadas

A Uqbar lança hoje, dia 07/04, o Anuário Uqbar: Finanças Estruturadas, agora em sua 7ª edição. O Anuário destrincha a composição, histórica e atual, do mercado de finanças estruturadas, apresentando uma cobertura abrangente dos mercados de títulos de crédito (geral, imobiliário e do agronegócio) e de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC).

Cotistas do FIDC Renegociação de Débitos NP aprovam amortização de cotas subordinadas.

Veja abaixo esta e outras decisões tomadas no âmbito de assembleias de FIDC divulgadas entre 30 de março e 03 de abril de 2015.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Classificação do FIDC Ático Imobiliários sofre reflexos do rebaixamento de seu devedor

A Fitch rebaixou a classificação de risco da série única do FIDC Ático Imobiliários, no montante nominal de R$ 53,7 milhões, de Asf(bra) para BBB+sf(bra). A operação tem como lastro recebíveis imobiliários comerciais oriundos de contrato atípico de locação, na modalidade build-to-suit, entre a Abengoa Brasil Administração Predial (Cedente) e a Abengoa Concessões Brasil Holding (Abengoa). O rebaixamento reflete, principalmente, o forte vínculo à qualidade de crédito da locatária Abengoa. A companhia citada é fonte exclusiva de repagamento das cotas do fundo e teve sua classificação rebaixada em 26 de março último de ‘Asf(bra) para BBB+sf(bra).

Na esteira da conjuntura macroeconômica, indústria de FIDC se transforma em 2014

A trajetória do mercado de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC) em 2014, segmento que sofreu transformação no período, refletiu preponderantemente oportunidades de financiamento e de investimento que se apresentaram no contexto dos desenvolvimentos macro e microeconômico que prevaleceram ao longo do ano. Tomando-se por eixo de análise o Patrimônio Líquido (PL), consolidado de todo o mercado e referente às principais categorias de ativo-lastro do setor, nota-se que, embora a dimensão desta indústria como um todo tenha se mantido praticamente estática ao longo do ano, uma reconfiguração ocorreu no seu interior em relação às fatias de mercado referentes às suas categorias de ativo-lastro. Assim, é valioso que se analise também os valores anuais de emissão, para cada uma das categorias, que fornecem evidências sobre esta reconfiguração.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Agência rebaixa 4ª e 5ª séries de cotas sênior do FIDC Multissetorial Vale

A S&P rebaixou a classificação atribuída às  4ª e 5ª séries de cotas sênior do FIDC Multissetorial Vale, de ‘brAA+ (sf)’ para ‘brA+ (sf), e reafirmou a classificação ‘brA-(sf)’ atribuída à 2ª série de cotas mezanino. O FIDC Vale é estruturado como um condomínio fechado, cujos direitos creditórios são recebíveis comerciais, originados por diferentes cedentes nos segmentos industrial, comercial, financeiro, agrícola, hipotecário e imobiliário, bem como de operações de arrendamento mercantil ou do segmento de prestação de serviços, sendo representados por duplicatas e cheques. Os cotistas contam ainda com o reforço de qualidade de crédito que é proporcionado pela subordinação mínima de cotas, equivalente a 35,0% para as cotas sênior e 23,0% para as cotas mezanino.

Agência realiza diversas ações relacionadas ao FIDC Multisetorial Lego II

A S&P rebaixou as classificações atribuídas às 3ª e 4ª séries de cotas sênior do FIDC Multisetorial Lego II, de ‘brAAA(sf)’ para ‘brA­ (sf)’, e às cotas mezanino Classes C e D, de ‘ brBBB (sf)’  para ‘ brB (sf). Ao mesmo tempo, as cotas foram colocadas em CreditWatch com implicações negativas. O identificador “UCO”, sigla em inglês para Under Criteria Observation (Sob Observação por Alteração de Critério), da classificação das cotas sênior e mezanino, foi retirado após a aplicação do critério de riscos operacionais. Por último, retiraram as classificações atribuídas à 4ª série de cotas sênior e às cotas mezanino classe D a pedido do administrador do FIDC, uma vez que essas séries de cotas não foram emitidas. O FIDC Multisetorial Lego II é estruturado como um condomínio fechado, cujos direitos creditórios são recebíveis comerciais, representados por cheques ou duplicatas, originados nos segmentos comercial, industrial, financeiro e de prestação de serviços. O reforço de qualidade de crédito disponível é proporcionado pela subordinação de cotas, com um mínimo de 33,2% para as cotas sênior e 21,2% para as cotas mezanino.

Cotista do FIDC Intermedium Créditos Consignados II aprova liquidação do fundo

Veja abaixo esta e outras decisões tomadas no âmbito de assembleias de FIDC divulgadas entre 23 e 27 de março de 2015.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Errata - Universo FIDC se reduz em fevereiro, NPs aumentam fatia

Em artigo publicado no portal TLON em 27/03/15, com o título acima, foi apontado que o FIDC Onix Prime não se incluía mais entre os fundos em operação no mês de fevereiro. Esta informação se fundamentou no fato de que no site da CVM não havia Informe Mensal para este fundo referente ao mês de fevereiro. Entretanto, contrário ao apontado no artigo, o FIDC Onix se encontra em operação. Em contato realizado pela Onix Credit, empresa de consultoria especializada do FIDC, esta informou a Uqbar que: “As informações do FIDC ONIX PRIME referente ao mês de fevereiro/2015 não estão aparecendo no portal da CVM por conta de uma falha de comunicação/sistema entre o administrador do FIDC (Socopa) e CVM.”

Rankings

Mais Recentes
fii
cri