Em março de 2010, o mercado secundário de cotas de Fundo de Investimento Imobiliário (FII) voltou a apresentar um nível de liquidez condizente com uma trajetória de crescimento, que havia sido interrompida em novembro passado. Muito em função do crescente volume de ofertas primárias no final do ano passado, o mercado secundário vinha recentemente operando em níveis de liquidez bem abaixo do que foi visto no terceiro trimestre de 2009. Mas neste último mês houve um salto de volume, com direito a recorde histórico pelo critério de número de negócios.

A estrela do mês foi a cota do FII Rio Bravo Renda Corporativa. Só para este fundo foram R$ 4,9 milhões negociados em cima de 914 negócios. O Rio Bravo Renda Corporativa prepara uma nova emissão, cujo registro ainda não foi concedido pela CVM e que deve triplicar o valor de mercado do fundo se esta for inteiramente subscrita. O preço da cota ofertado deve ser de R$ 1,37 para novos cotistas e de R$ 1,25 para os atuais cotistas. No começo de março, quando o preço da cota no secundário estava sendo negociado por volta de R$ 1,37, houve dois dias em que o volume negociado e o número de negócios subiram substancialmente. Foram R$ 3,6 milhões negociados, sendo que o preço médio em um dos dias, quando R$ 2,2 milhões trocaram de mãos, foi de R$ 1,46. A partir daí o preço da cota caiu um pouco, fechando ontem a R$ 1,34.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Rankings
Mais Recentes
fii