Chuvas no Rio danificam estrutura de imóvel de FII

A Oliveira Trust DTVM e a TRX Gestora de Recursos, respectivamente administrador e gestor do FII TRX Realty Logística Renda I (TRXL11), publicaram Fato Relevante para informar que realizarão manutenção corretiva no empreendimento “TRX DUTRA/RJ”, localizado na Pavuna, município do Rio de Janeiro/RJ. A necessidade da manutenção foi motivada, segundo o administrador, pela ocorrência das fortes chuvas que acometeram o município do Rio de Janeiro nas últimas semanas. Tais serviços compreenderão a manutenção das calhas de captação de água pluvial e a recuperação parcial da cobertura do empreendimento. Dado que as estruturas danificadas estão prejudicando as atividades da atual locatária Motus Serviços LTDA., que ocupa 2.321,29 m² do empreendimento, e haja vista o período de chuvas intensas na região, não será possível aguardar a nova emissão de cotas proposta pelo gestor como ordem do dia da assembleia geral extraordinária de cotistas que ocorrerá em 08 de março de 2018. Conforme cotação realizada com empresas especializadas, a manutenção foi orçada em aproximadamente R$ 23.550,00 e será arcada pela locatária, que descontará do pagamento do segundo aluguel, devido até o dia 05 de maio de 2018. Desta forma, os prestadores de serviços do fundo estimam uma redução de 2,71% na receita imobiliária no mês de maio de 2018, com consequente impacto nos rendimentos a serem distribuídos no referido mês.

Falência da Schahin pode impactar FII

A Caixa Econômica Federal (CEF), administrador do FII Caixa TRX Logística Renda (CXTL11), publicou Fato Relevante motivado pela decretação de falência da Schahin Engenharia S.A., locatária do imóvel do fundo localizado no município de Macaé-RJ. O documento rememora que o fundo havia sido arrolado em outubro de 2017 na lista de credores da recuperação judicial, porém, diante da inconsistência nos valores apresentados, havia contratado o escritório BRTA, que continua os assessorando nos autos. É informado que a locatária vem descumprindo com as obrigações contratuais desde agosto de 2017, o que tem sido divulgado pelo administrador. A CEF e a consultora imobiliária TRX afirmam estar notificando a Schahin desde o primeiro momento do inadimplemento, alertando sobre o descumprimento contratual e a possibilidade de tomadas de medidas judiciais pelo CXTL11. De qualquer forma, ambos informam que permanecerão acompanhando a situação da locatária e tomarão todas as medidas necessárias para a defesa dos interesses do fundo.

Locatário comprará imóvel do FFCI11, mas administrador prepara novas aquisições

A Rio Bravo Investimentos, administrador do FII Rio Bravo Renda Corporativa (FFCI11), publicou Fato Relevante para comunicar que, em 02 de março de 2018, recebeu uma carta da Avenues São Paulo Educação Ltda., locatária do Edifício Morumbi Park, confirmando a sua intenção de exercer a opção de compra do imóvel, conforme previsto no contrato de locação. A Rio Bravo informa que um novo fato relevante será publicado após a conclusão da venda do imóvel, que deverá ser integralmente pago até a lavratura da escritura de compra e venda, prevista para 16 de março de 2018. Ademais, esclarece o administrador, não haverá alteração na distribuição de rendimentos do FII até que a venda do imóvel se concretize. Em contrapartida, a Rio Bravo informa trabalhar com um cronograma de novos ativos para substituir o imóvel da carteira do FFCI11, com perspectiva de reinvestimento dos recursos oriundos da venda em até 180 dias. Já foram enviadas propostas para aquisição de novos ativos que possuem uma expectativa de risco e retorno igual ou melhor que o Edifício Morumbi Park e totalizam aproximadamente R$ 500,0 milhões. O documento finaliza acrescentando que a venda gerará um lucro contábil que deverá ser informado e distribuído aos cotistas tão logo seja apurado.

FII Torre Almirante receberá devolução de ITBI

O BTG Pactual Serviços Financeiros, administrador do FII Torre Almirante (ALMI11), proprietário de 40% do edifício homônimo, localizado no Rio de Janeiro-RJ, publicou Fato Relevante para informar que o Processo Administrativo nº 04/451.466/2010 referente a Nota de Lançamento de ITBI nº 0491/2010 foi julgado favorável e que o administrador diligenciará junto à Prefeitura do Rio de Janeiro para obter a devolução do valor atualizado do depósito de R$ 533.195,84, feito em abril de 2013.

Oferta da 3ª emissão de cotas do KNIP11 recebe registro

A CVM concedeu ontem, 26 de fevereiro, o registro definitivo de oferta pública, nos ritos da ICVM 400, referente à 3ª emissão de cotas do FII Kinea Índices de Preços (KNIP11), no montante de R$ 701,5 milhões. A oferta será coordenada pelo Banco Itaú BBA. O fundo é administrado pela Intrag DTVM e tem por objeto o investimento preponderante (superior a 50,0% do patrimônio líquido do fundo, segundo o regulamento) em CRI, podendo investir ainda em Letras de Crédito Imobiliário, Letras Hipotecárias e outros ativos financeiros.

Vacância do FII CENESP pode subir para 50%

O BTG Pactual Serviços Financeiros, administrador do FII CENESP (CNES11), publicou Fato Relevante para informar que a General Electric do Brasil Ltda., locatária do 3º andar do Bloco B, cuja área corresponde à 2.844,00 m² do Centro Empresarial de São Paulo (CENESP), localizado em São Paulo-SP, enviou notificação, em 21 de fevereiro, informando sua intenção de rescindir o contrato de locação, que deverá ocorrer até o dia 20 de junho de 2018. Segundo o administrador, a locatária deverá, durante esse período, cumprir todas as disposições contratuais, notadamente o pagamento dos aluguéis e encargos. Na hipótese de se concretizar essa saída, a vacância do FII irá para 50,3% (contra os atuais 45,5%) e resultará na redução da distribuição subsequente em 16,49 % com base na última distribuição de rendimentos. Segundo o documento, o administrador e gestor estão envidando os melhores esforços para tentar manter o locatário no Imóvel e informará ao mercado quanto a eventuais desdobramentos e definições que venham a ser formalizada entre as partes.

FII Edifício Galeria renova locação, mas reduz valor

O BTG Pactual Serviços Financeiros, administrador do FII Edifício Galeria (EDGA11), proprietário de 100% do imóvel homônimo, publicou Fato Relevante para informar que assinou aditivo ao contrato de locação com a Regus do Brasil, locatária dos conjuntos 201 e 203 localizados no segundo pavimento do imóvel. Segundo o documento, foi estendido o prazo de vigência da locação por um período de 70 meses contados a partir do prazo de término originalmente fixado, permanecendo o contrato vigente até 31 de outubro de 2022, bem como a atualização do valor da locação mensal. Em razão das condições da negociação, estipulou-se que a atualização do valor da locação mensal seria aplicável a partir do mês de novembro de 2017. Assim, durante o período compreendido entre novembro de 2017 e dezembro de 2017, a locatária pagou o valor original contratado sem considerar as novas condições comerciais negociadas, de modo que a diferença a mais paga pela locatária neste período será compensada no aluguel do mês de competência janeiro de 2018 com vencimento em fevereiro de 2018. Isso acontecerá porque o administrador informa ter buscado “adequar o valor da locação aos parâmetros de mercado com objetivo de manter o nível de ocupação do imóvel”, gerando uma redução na receita do fundo de 3,64% em comparação às receitas do mês de dezembro de 2017. A distribuição de rendimentos será impactada negativamente em aproximadamente 8,85%, em relação à última distribuição realizada.

Problema operacional da TIM deixa CEOC11 sem rendimentos de janeiro

O BTG Pactual Serviços, administrador do FII CEO Cyrela Commercial Properties (CEOC11), proprietário de sete andares, e parte de outro, da Torre South Corporate do Edifício Corporate Executive Offices, publicou Fato Relevante para comunicar que a TIM Celular, locatária do imóvel, por problemas operacionais internos, não conseguiu efetuar o pagamento do aluguel referente a competência janeiro de 2018 com vencimento em 04 de fevereiro de 2018. Dessa forma, pontifica o administrador, em desconformidade com o regulamento do fundo, não haverá distribuição de rendimentos referente a competência de janeiro de 2018 até que o aluguel em aberto seja regularizado. A TIM se comprometeu a realizar o pagamento dentro do mês de fevereiro e o CEOC11 cobrará multa e os encargos devidos, conforme previsto no contrato de locação. O BTG ressalta que irá divulgar a distribuição de rendimentos no dia em que o pagamento do aluguel for realizado e o pagamento aos cotistas ocorrerá 5 dias úteis após a sua divulgação, prazo necessário para realizar a liquidação na Bolsa.

SHPH11 compra novas frações do Shopping Pátio Higienópolis

A Rio Bravo Investimentos, administrador do FII Shopping Pátio Higienópolis (SHPH11), publicou Fato Relevante para comunicar que celebrou escrituras de venda e compra visando a aquisição de frações ideais integrantes do centro comercial. Segundo o documento, o FII pagou R$ 10,4 milhões por: (i) fração ideal correspondente a 0,6775% e dos imóveis inscritos nas matrículas nº 97.202 a nº 97.445; (ii) de 0,7321% dos imóveis inscritos nas matrículas nº 66.322 e nº 98.107; e (iii) dos direitos da promitente cessionária do imóvel inscrito na matrícula nº 111.344, todas registradas no 2º Cartório de Registro de Imóveis da Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo. O administrador acrescenta que, a partir da aquisição ora citada, a distribuição de rendimentos do SHPH11 deverá aumentar na mesma proporção, sendo que por cota deverá permanecer inalterada, podendo variar conforme futuros resultados do empreendimento.

Consultora decide baixar remuneração em FII de desenvolvimento imobiliário

A Oliveira Trust DTVM, a RB Capital Asset Management e a RB Capital Realty Investimentos Imobiliários, respectivamente, administrador, gestor e consultor imobiliário do FII RB Capital Desenvolvimento Residencial II (RBDS11), publicaram Fato Relevante para comunicam que, a partir de janeiro de 2018, por decisão da gestora, em conjunto com a consultora imobiliária, ocorrerá uma redução de aproximadamente 25% da taxa de administração global do FII, passando de 2% ao ano para 1,5% ao ano sobre o PL do fundo. Segundo o documento, a redução se refere exclusivamente à taxa de consultoria imobiliária do RBDS11, permanecendo as demais taxas inalteradas.

Rankings
Mais Lidos