Matéria veiculada no jornal O Globo em 17 de março dá conta de que “uma dívida de mais de R$ 8 milhões e um aluguel “impagável” de R$ 480 mil mensais levaram a Secretaria estadual de Cultura a optar por mudar sua sede, que atualmente funciona no prédio nº 86 da Rua da Quitanda, para o Convento do Carmo, no Centro [do Rio de Janeiro]”. O prédio mencionado pela matéria é detido integralmente pelo FII Edifício Galeria (EDGA11B), administrado pelo BTG Pactual Serviços Financeiros. De acordo com o Informe Trimestral do fundo, relativo a dezembro de 2016, o órgão estadual representava, à época, 19,1% das receitas oriundas do imóvel. Até o momento da publicação desta Curta, não havia sido publicado Fato Relevante que tratasse do tema. Segundo o Relatório Gerencial referente a janeiro de 2017, o fundo apresentava, ao final de dezembro do ano anterior, vacância física de 24,3%. O mesmo relatório informa que, se concretizadas as saídas de locações anunciadas entre novembro e janeiro (o que não inclui, portanto, a potencial saída da Secretaria de Cultura), a vacância já atingiria o total aproximado de 33,6% da área locável. Em relação à inadimplência, o Relatório acrescenta que o total de valores acumulados das inadimplências era de R$ 8,3 milhões no final do mês de dezembro de 2016, referente a 4 locatários que representam a locação de 18,15% da área total do imóvel. 

Mais Lidos