Ao longo de 2018 tanto o Patrimônio Líquido (PL) como o respectivo número de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC) se expandiram, fechando o último mês de dados divulgados, novembro, em patamares recorde. Tal crescimento se fundamentou em operações de carteiras de específicos ativos-lastro. Pelo critério do indicador de PL, o principal impulso que explica a expansão do mercado adveio da categoria de ativo-lastro Setor Público, composta principalmente por fundos que investem em precatórios. Já em relação ao critério de número de fundos, o crescimento relativo mais alto se registrou na categoria de ativo-lastro Crédito Pessoal, ao passo que crescimento maior em termos absolutos foi da categoria Recebíveis Comerciais. A categoria Crédito Pessoa Jurídica (Crédito PJ), que representa os fundos que investem em crédito corporativo de médio e longo prazo, alcançou bom desempenho por ambos os critérios.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

Rankings
Mais Lidos