Cotistas alteram gestão e regulamento do Porto Forte FIDC Multissetorial

No último dia 28 de março foi realizada a Assembleia Geral de Cotistas do Porto Forte Fundo de Investimentos em Direitos Creditórios Multissetorial (Fundo). Com a presença de 81,7% dos cotistas seniores e 100% dos subordinados, os cotistas enfim decidiram sobre a substituição do gestor do Fundo, a Porto Forte Participações, Assessoria e Fomento Mercantil S.A. (Porto Forte), e aincorporação do papel de consultoria especializada, também exercida pela Porto Forte, às funções do gestor do Fundo. O novo gestor do Fundo é a Nova S.R.M. Administração de Recursos e Finanças S.A. (SRM).

Além das alterações de responsabilidades descritas acima, outro fator relevante foi a mudança regulamentar que possibilitou a emissão de Cotas Subordinadas com características distintas pelo Fundo. Foram criadas Cotas Subordinadas de Classe A e B, estas últimas serão subscritas exclusivamente pela SRM ou por quem esta indicar.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Mattos Filho e Souza Cescon lideram rankings de advogados de FIDC em 2010

Os escritórios de advocacia Mattos Filho, Veiga Filho, Marey Jr. e Quiroga Advogados (Mattos Filho) e Sousa, Cescon, Barrieu e Flesch (Sousa Cescon) terminaram o ano de 2010 como líderes dos Rankings de Advogados de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC) da Uqbar. O ranking cujo critério de classificação é o montante de cotas emitidas e que considera apenas fundos que entraram em operação em 2010 foi liderado pelo Mattos Filho. O escritório assessorou quatro novos fundos, que emitiram conjuntamente R$ 3,5 bilhões em 2010. Destaque para as operações do FIDC Crédito Corporativo Brasil e FIDC Globex Crédito Mercantil, dois dos quatro fundos que captaram mais de R$ 1,00 bilhão no ano.

Na vice-liderança deste Ranking está o escritório Pinheiro Guimarães Advogados que assessorou a criação de cinco novos fundos. Estes fundos emitiram um total de R$ 3,4 bilhões. O escritório Souza Cescon ficou na terceira colocação deste Ranking, seus fundos emitiram um total de R$ 2,8 bilhões.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Cotistas do Porto Forte FIDC Multissetorial adiam decisão.

Após mudanças nos itens de sua convocação do dia primeiro de março e conseguinte inclusão de novos itens (“ d ”,“ e ”,“ f ”, “ g ” e “ h ”) na sua convocação do dia três, foi realizada no dia quinze de março a Assembleia Geral de Cotistas do Porto Forte Fundo de Investimentos em Direitos Creditórios Multissetorial. Mesmo contando com a presença de 81,7% dos cotistas seniores e 100% dos subordinados, os cotistas, ao tomarem conhecimento da possibilidade da própria Porto Forte apresentar proposta para alteração dos responsáveis pela gestão e consultoria especializada* do Fundo, decidiram definir nova assembleia para o dia 28 de março de 2011.

Além de se tratar de assunto principal para a pauta de deliberações, a proposta mencionada acima fez com que a deliberação a respeito de todas as matérias do dia estivesse temporariamente prejudicada. Seguem abaixo os assuntos a serem deliberados na próxima reunião:

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Caixa altera regulamentos e nomes de FIDC do Panamericano que ficarão sob sua administração

Desde o dia 28 de Fevereiro, os fundos de investimento em direitos creditório (FIDC) Master Panamericano Fundo de Investimento em Direitos Creditórios Originários de CDC Veículos e o Autopan Fundo de Investimento em Direitos Creditórios Originários de CDC Veículos são administrados pela Caixa Econômica Federal. A partir desta data, suas denominações também foram alteradas para respectivamente Caixa Fundo de Investimento em Direitos Creditórios Master CDC Veículos do Banco Panamericano e Caixa Fundo de Investimento em Direitos Creditórios CDC Veículos do Banco Panamericano.

A decisão foi tomada em assembleias extraordinárias de cotistas realizadas no dia 13 de Janeiro. A leitura das atas destas reuniões indicam que outras mudanças, além dos nomes dos fundos, aconteceram com a troca da administração dos fundos. Cinquenta e nove alterações, 42 inclusões e 19 exclusões, foram feitas identicamente em ambos os regulamentos. Dentre as modificações de cada regulamento, a maioria foi feita nos capítulos sobre Administração, Política de Investimento e Cotas do Fundo, as quais destacam-se:

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Classificação - FIDC por Índices de Desempenho - Dez/2010

Dando prosseguimento à série mensal que analisa o setor de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC), a Uqbar publica a classificação dos FIDC de maior PDD Normalizado (PDDn) e de maior e menor Variação de PDD Normalizada (?PDDn) no mês de Dezembro de 2010.

As classificações excluem fundos com níveis de Patrimônio Líquido e de Direitos Creditórios inferiores a R$ 10,0 milhões, evitando-se assim efeitos distorcidos que podem ocorrer no período final de amortização de alguns fundos e comparações com fundos já em fase final de liquidação.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

No fim de 2010 setor de FIDC registra aumento de PL e de Atrasos, e queda de PDD

No último bimestre do ano, mesmo com um crescimento do nível consolidado de Patrimônio Líquido (PL) no setor de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC), o valor total registrado de Provisão para Devedores Duvidosos (PDD) apresentou queda. O nível de PDD consolidado vinha subindo nos primeiros dez meses de 2010, mas reverteu esta tendência no último bimestre do ano. Por outro lado, o nível consolidado de Atrasos no setor, que tinha permanecido estável durante os primeiros dez meses, terminou o ano com alta acentuada.

O setor de FIDC encerrou o ano de 2010 com valor total de PL igual a R$ 43,51 bilhões e composto por 293 fundos, obtendo um crescimento de 28,0% em relação ao final de 2009. Estes números, como de praxe, excluem o FIDC NP Sistema Petrobras.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Liquidez no secundário de FIDC diminuiu em 2010 mas dezembro foi um mês de alta

O mercado secundário de cotas de Fundo de Investimentos em Direitos Creditórios (FIDC), que engloba tanto as negociações registradas na CETIP como as executadas na BM&FBOVESPA, encerrou 2010 com volume anual de montante negociado seguindo movimento declinante. Porém, o mês de dezembro destoou da tendência, apresentando aumento de volume e atingindo nível bem superior em relação ao restante do ano.

Em 2010, o volume total transacionado neste mercado chegou a R$ 1,3 bilhão, correspondente a 757 negócios. Este desempenho representa quedas de 27,5 % e 16,5% em relação ao ano anterior, em termos de montante negociado e número de negócios respectivamente. A trajetória anual tem sido de queda desde 2007, ano em que foi registrado o recorde histórico, com R$ 4,9 bilhões em montante transacionado e 1.166 negociações.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

CVM coloca em audiência pública nova instrução para FIDC

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) publicou hoje em seu site minuta da instrução que trata do envio de dados sobre investimentos dos fundos de investimento em direitos creditórios (FIDC) ao Sistema de Informações de Créditos (SCR) do Banco Central do Brasil (BACEN). A minuta da nova instrução está em audiência pública até o dia 7 de fevereiro de 2011.

De acordo com o texto da minuta, administradores de FIDC passarão a ser obrigados a enviar mensalmente, até o décimo dia útil de cada mês, informações da carteira de créditos do fundo, incluindo a identificação de devedores com obrigações acima de R$5.000,00 junto ao fundo.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Índices de PDD das classes de FIDC de pior desempenho têm boa melhora em novembro

As categorias de ativo-lastro de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC) com maior nível relativo de Provisão para Devedores Duvidosos (PDD) vêm apresentando melhora gradual de desempenho ao longo de 2010. Uma comparação entre o nível associado a este indicador no final de novembro e nos meses anteriores, para as três classes de FIDC de pior desempenho, indicam um progresso consistente, especialmente para a classe de Títulos Mobiliários.

A Uqbar dá continuidade hoje à sua publicação mensal da classificação dos grupos consolidados de FIDC por ativo-lastro, usando como critério os mesmos índices construídos para classificar os FIDC individualmente, quais sejam, o PDDn, e a Variação de PDD Normalizada, ou ?PDDn (ver definição dos índices no artigo de 20/08/09 Classificação de Carteiras de FIDC por Índices de Desempenho).

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Novo FIDC comprará ativos do Banco Panamericano

No começo deste mês, um novo fundo de investimento em direitos creditórios (FIDC) que tem como cedente o Banco Panamericano, foi registrado na Comissão de Valores Mobiliários. O Fundo de Investimento em Direitos Creditórios FBP - Financeiro (FBP) adquirirá ativos originados pelo Banco Panamericano em suas operações de empréstimos a pessoas físicas nas modalidades de crédito consignado, crédito pessoal e financiamento de veículos.

O FBP foi constituído no último dia 30 de novembro sob a forma de condomínio aberto e contará com duas classes de cotas: (i) as sênior que serão subscritas e integralizadas exclusivamente pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC) ou por um fundo de investimento destinado exclusivamente ao FGC; e (ii) as subordinadas que serão subscritas e integralizadas exclusivamente pelo Banco Panamericano e empresas do Grupo Sílvio Santos, seus sócios ou controladores. As cotas não terão classificações de risco realizadas por terceiros, nem serão registradas para negociação no mercado secundário.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Rankings

Mais Lidos