wftech_fidc_home_topo

Liquidez no secundário de FIDC diminuiu em 2010 mas dezembro foi um mês de alta

O mercado secundário de cotas de Fundo de Investimentos em Direitos Creditórios (FIDC), que engloba tanto as negociações registradas na CETIP como as executadas na BM&FBOVESPA, encerrou 2010 com volume anual de montante negociado seguindo movimento declinante. Porém, o mês de dezembro destoou da tendência, apresentando aumento de volume e atingindo nível bem superior em relação ao restante do ano.

Em 2010, o volume total transacionado neste mercado chegou a R$ 1,3 bilhão, correspondente a 757 negócios. Este desempenho representa quedas de 27,5 % e 16,5% em relação ao ano anterior, em termos de montante negociado e número de negócios respectivamente. A trajetória anual tem sido de queda desde 2007, ano em que foi registrado o recorde histórico, com R$ 4,9 bilhões em montante transacionado e 1.166 negociações.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

CVM coloca em audiência pública nova instrução para FIDC

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) publicou hoje em seu site minuta da instrução que trata do envio de dados sobre investimentos dos fundos de investimento em direitos creditórios (FIDC) ao Sistema de Informações de Créditos (SCR) do Banco Central do Brasil (BACEN). A minuta da nova instrução está em audiência pública até o dia 7 de fevereiro de 2011.

De acordo com o texto da minuta, administradores de FIDC passarão a ser obrigados a enviar mensalmente, até o décimo dia útil de cada mês, informações da carteira de créditos do fundo, incluindo a identificação de devedores com obrigações acima de R$5.000,00 junto ao fundo.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Índices de PDD das classes de FIDC de pior desempenho têm boa melhora em novembro

As categorias de ativo-lastro de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC) com maior nível relativo de Provisão para Devedores Duvidosos (PDD) vêm apresentando melhora gradual de desempenho ao longo de 2010. Uma comparação entre o nível associado a este indicador no final de novembro e nos meses anteriores, para as três classes de FIDC de pior desempenho, indicam um progresso consistente, especialmente para a classe de Títulos Mobiliários.

A Uqbar dá continuidade hoje à sua publicação mensal da classificação dos grupos consolidados de FIDC por ativo-lastro, usando como critério os mesmos índices construídos para classificar os FIDC individualmente, quais sejam, o PDDn, e a Variação de PDD Normalizada, ou ?PDDn (ver definição dos índices no artigo de 20/08/09 Classificação de Carteiras de FIDC por Índices de Desempenho).

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Novo FIDC comprará ativos do Banco Panamericano

No começo deste mês, um novo fundo de investimento em direitos creditórios (FIDC) que tem como cedente o Banco Panamericano, foi registrado na Comissão de Valores Mobiliários. O Fundo de Investimento em Direitos Creditórios FBP - Financeiro (FBP) adquirirá ativos originados pelo Banco Panamericano em suas operações de empréstimos a pessoas físicas nas modalidades de crédito consignado, crédito pessoal e financiamento de veículos.

O FBP foi constituído no último dia 30 de novembro sob a forma de condomínio aberto e contará com duas classes de cotas: (i) as sênior que serão subscritas e integralizadas exclusivamente pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC) ou por um fundo de investimento destinado exclusivamente ao FGC; e (ii) as subordinadas que serão subscritas e integralizadas exclusivamente pelo Banco Panamericano e empresas do Grupo Sílvio Santos, seus sócios ou controladores. As cotas não terão classificações de risco realizadas por terceiros, nem serão registradas para negociação no mercado secundário.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Classificação - FIDC por Índices de Desempenho

Dando prosseguimento à série mensal que analisa o setor de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC), a Uqbar publica a classificação dos FIDC de maior PDD Normalizado (PDDn) e de maior e menor Variação de PDD Normalizada (?PDDn) no mês de novembro de 2010.

As classificações excluem fundos com nível de Patrimônio Líquido ou de Direitos Creditórios inferior a R$ 10,0 milhões, evitando-se assim efeitos distorcidos que podem ocorrer no período final de amortização de alguns fundos e comparações com fundos já em fase final de liquidação.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

FIDCs do Panamericano sofrem resgates acima de meio bilhão de reais em novembro

O mês de novembro provou ser, conforme esperado, um grande teste de liquidez para os administradores e gestores de dois fundos de investimento em direitos creditórios (FIDC), que têm como cedentes o Banco Panamericano e que são fundos abertos. No mês passado, a Uqbar publicou um artigo analisando os riscos de crédito e de liquidez do maior FIDC ligado ao Banco Panamericano Os riscos de crédito e de liquidez do maior FIDC do Panamericano (17/11/10). De acordo com o artigo, os eventos financeiros que assolaram o Banco Panamericano há pouco mais de um mês se traduziriam, no âmbito do FIDC Master Panamericano CDC Veículos (MasterPan), primeiramente em um grande desafio de liquidez.

O MasterPan, juntamente com o outro FIDC que também tem o Banco Panamericano como cedente, o AutoPan FIDC CDC Veículos (Autopan), sofreu resgates pesados no mês de novembro. Entre os dois fundos foram R$ 552,7 milhões de cotas sênior resgatadas. Somente no FIDC MasterPan os resgates somaram R$ 450,03 milhões, ou seja, 20,7% do seu patrimônio liquido (PL) no mês anterior.O PL do fundo no final de novembro era de R$ 1,95 bilhão.

Uqbar comenta última Audiência Pública da CVM sobre normas contábeis de FIDC

No mês passado a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) submeteu à audiência pública nova minuta de instrução que dispõe sobre as normas contábeis aplicáveis às demonstrações financeiras dos Fundos de Investimento em Direitos Creditórios - FIDC. Como de praxe, a Uqbar participou da audiência. Abaixo reproduzimos na íntegra nossos comentários e sugestões sobre as propostas do edital.

1) Classificação e Registro Contábil das Operações de Transferência de Ativos Financeiros

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Índices de PDD das classes de FIDC de pior desempenho têm leve alta em outubro

As categorias de ativo-lastro de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC) com maior nível relativo de Provisão para Devedores Duvidosos (PDD) apresentaram pequena piora de desempenho em outubro, diferentemente do que vinha ocorrendo ao longo de 2010. A exceção foi a categoria Títulos Mobiliários que andou em direção oposta.

A Uqbar dá continuidade hoje à sua publicação mensal da classificação dos grupos consolidados de FIDC por ativo-lastro, usando como critério os mesmos índices construídos para classificar os FIDC individualmente, quais sejam, o PDDn, e a Variação de PDD Normalizada, ou ?PDDn (ver definição dos índices no artigo de 20/08/09 Classificação de Carteiras de FIDC por Índices de Desempenho).

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Classificação - FIDC por Índices de Desempenho

Dando prosseguimento à série mensal que analisa o setor de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC), a Uqbar publica a classificação dos FIDC de maior PDD Normalizado (PDDn) e de maior e menor Variação de PDD Normalizada (?PDDn) no mês de outubro de 2010.

As classificações excluem fundos com nível de Patrimônio Líquido ou de Direitos Creditórios inferior a R$ 10,0 milhões, evitando-se assim efeitos distorcidos que podem ocorrer no período final de amortização de alguns fundos e comparações com fundos já em fase final de liquidação.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Novo FIDC inaugura classe de ativo-lastro no mercado brasileiro

O mercado de securitização brasileiro é caracterizado pela grande diversidade de tipos de ativos que lastreiam operações realizadas principalmente através de fundos de investimento em direitos creditórios (FIDC). A partir do começo do próximo mês este universo provavelmente será expandido com a criação de mais uma classe de ativo-lastro*: Recebíveis Médicos.

O fundo Petra FBH Cred Saúde (Cred Saúde), registrado na Comissão de Valores Mobiliários em julho deste ano, deve entrar em funcionamento no próximo mês investindo predominantemente em: (i) contratos de prestação futura de serviços médico-hospitalares, celebrados entre prestadores de serviços médicos (entidades hospitalares, clínicas e laboratórios de diagnósticos) e administradoras de planos de saúde, cooperativas médicas, cooperativas odontológicas, instituições médicas filantrópicas, autogestões médicas, seguradoras especializadas em saúde, medicina de grupo e odontologia de grupo ligadas ao Sistema Suplementar de Saúde (Operadoras de Saúde); e (ii) contratos de seguro saúde celebrados entre as Operadoras de Saúde e empresas para o fornecimento de planos de saúde a seus empregados.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Rankings

Mais Lidos