No ano em que o montante emitido de cotas de Fundos de Investimento Imobiliário (FII) superou o já excelente ano de 2012, os investidores Pessoas Físicas continuaram dando mostra de vigor e adquiriram fatia equivalente 63,4% do montante emitido de cotas de FII em 2013. Ao repetir a tendência já verificada em 2012 – quando esta classe de investidor foi responsável por três quartos do total – o número total de pessoas físicas ultrapassou, ainda no início de 2013, a simbólica marca de 100.000 investidores, chegando ao final de dezembro à 101.710 pessoas físicas, segundo dados da BM&FBovespa.

Com a distribuição construída com base em Anúncios de Encerramento aos quais a Uqbar obteve acesso, e que correspondem a 54,9% (R$ 6,09 bilhões) do total de emissões realizadas ao longo de 2013, pretende-se estabelecer uma composição dos investidores do mercado primário de cotas de FII, em termos de montante emitido. Nota-se então, pela análise da Figura 1, que, salvo com relação às pessoas físicas, o quadro que se desenha mantém um padrão razoavelmente diversificado.

A classe de investidor Pessoas Jurídicas auferiu participação de 11,6% do total, o que denota crescimento, tanto em montante absoluto, que cresceu de R$ 444,0 milhões em 2012 para R$ 708,8 milhões em 2013, quanto em participação no mercado, haja vista que em 2012 sua fatia correspondia a 5,3% do total.

Figura 1 - Composição do Montante Emitido em 2013 por Classe de Investidor (% de Montante)





Já os fundos de investimento, que tradicionalmente obtêm participação suficiente para a segunda colocação, encerraram 2013 com participação menor do que a do ano anterior. Esta classe adquiriu, em 2013, 7,1% do montante emitido, contra 9,0% no ano anterior.

Quando se trata das pessoas (juríricas ou físicas) ligadas aos participantes do consórcio de distribuição da oferta, a fatia alcançada corresponde a 6,0%, um ponto percentual acima do registrado em 2012. As entidades de previdência privada, onde estão incluídos os fundos de pensão brasileiros, ampliaram sua partitipação com relação a 2012. O montante adquirido por essas entidade somou 5,4% do total emitido em 2013. Comparativamente, em 2012 esse percentual correspondia a 4,2%.

Contudo, a classe de investidor que despontou em 2013 foi a dos investidores estrangeiros. Em termos de montante adquirido, esta classe cresceu 666,8% entre 2012 e 2013. Com isso, a participação no mesmo período chegou a 2,6% em 2013, tendo aumentado de irrisórios 0,2% no ano anterior.

Como exercício comparativo, ao se cotejar o perfil do investidores do mercado primário de cotas de FII com o de investidores do mercado primário de ações, nota-se que a composição do segundo ocorre de forma diversa do mercado de FII. Segundo dados da BM&FBovespa os investidores estrangeiros adquiriram ações equivalentes a 56,0% do total de R$ 20,4 bilhões das ofertas públicas de ações de 2013, seguido de perto pelos investidores institucionais, para que só então os investidores pessoas físicas apareçam na terceira colocação.

Uma análise completa dos mercados primário e secundário de FII será realizada no Anuário Imobiliário 2014 da Uqbar.
Rankings
Mais Lidos