A Fitch atribuiu a classificação de risco ‘BBB-(exp)sf(bra)’ à emissão da 1ª série de cotas sênior do FIDC Empírica Sorocred Cartões, no valor de até R$ 39,0 milhões. Este fundo terá como objetivo investir em recebíveis relativos a compras feitas com cartões de crédito de bandeira privada, emitidos pela Sorocred – Crédito, Financiamento e Investimento, cedente da operação. Estes cartões são nacionais, com foco nas classes C, D e E, de menor poder aquisitivo. Dentre os fundamentos da classificação de risco citados pela agência, pode-se destacar: (i) o reforço de crédito proporcionado pela taxa de subordinação de 40,0%; (ii) o baixo alinhamento de interesse econômico entre o cedente e o fundo, tendo em vista que os devedores possuem a prerrogativa de efetuar os pagamentos dos direitos creditórios em valor inferior ao estabelecido nas faturas, pagando na data de vencimento. Assim, a Sorocred, como cedente e servicer, tem baixo incentivo em cobrar o pagamento integral da fatura nas datas de vencimento, pois, em caso de atrasos, o fundo não terá direito ao recebimento dos juros; e (iii) o entendimento, pela agência, de que a cedente desempenha papéis cruciais para a boa performance da operação (originação, análise de crédito, emissão de faturas e cobrança própria de créditos inadimplentes), de forma que uma piora da qualidade de crédito da Sorocred poderá afetar o desempenho dos créditos cedidos para a operação. Até o dia 20 de agosto este fundo não constava na lista de FIDC registrados na CVM.

Rankings
Mais Lidos