Gradual, antiga protagonista no mercado de FIDC, tem decretada sua liquidação extrajudicial

O Banco Central do Brasil (BC) decretou nesta terça-feira, 22 de maio de 2018, a liquidação extrajudicial da Gradual CCTVM. A corretora, outrora uma das principais participantes no mercado de prestadores de serviço no segmento de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC), vinha crescentemente convivendo com questões problemáticas, algumas delas relacionadas a fundos dos quais era, ou é, administradora. O ápice recente das dificuldades operacionais e reputacionais da empresa ocorreu em 12 de abril último, quando a Polícia Federal deflagrou a operação Encilhamento, acarretando em detenção de alguns de seus executivos.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

Plano de recuperação do estado do Rio de Janeiro envolve securitização

Em grave crise financeira, o estado do Rio de Janeiro fechou, em 2017, acordo de recuperação fiscal com o governo federal. Nesse âmbito, o banco BNP Paribas foi o vencedor do leilão para emprestar R$ 2,90 bilhões ao governo fluminense. O empréstimo foi divido em três tranches, das quais duas, totalizando R$ 1,90 bilhão, foram objeto de securitização.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

Depois de três rebaixamentos, FIDC reestrutura alguns créditos

O segundo maior FIDC dentre os que atuam no segmento imobiliário vem enfrentando piora de desempenho de sua carteira nos últimos meses, inclusive ocasionando três rebaixamentos de classificação de risco desde setembro. No último dia 16 de abril, cotistas do FIDC GGR Prime I se reuniram em assembleia com objetivo de deliberar sobre, entre outros assuntos, principalmente o “Plano de Reestruturação dos créditos que compõem a carteira do fundo”.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Mercado de FIDC encerra 1º trimestre com captação líquida beirando 2,0 bilhões

O mercado de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC) apresentou captação líquida positiva de R$ 1,92 bilhão no primeiro trimestre de 2018. Trata-se da primeira vez em quatro anos que este montante encerra o primeiro trimestre do ano no campo positivo. Este indicador resulta da diferença entre os montantes realizados de emissões e de amortizações* de cotas no início do ano. Juntamente com a captação líquida consolidada situada no campo positivo em 2018, observou-se a elevação do Patrimônio Líquido (PL) no período, de R$ 80,65 bilhões, em dezembro de 2017, para R$ 83,61 bilhões, ao final de março, este último um recorde para esse mercado.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

Com carteira mais problemática, FIDC Multissetorial Invest Dunas LP destitui consultoras e planeja amortizar

No último dia 11 de abril, reunidos em assembleia extraordinária, os cotistas do FIDC Multissetorial Invest Dunas LP decidiram pela destituição das consultorias especializadas do fundo: DunasPlus Soluções Financeiras e Brazil Plus Participações. O fundo, que até alguns meses atrás era um dos vinte maiores do segmento Multicedente/Multissacado, desde o final de 2017 vem sofrendo com a deterioração da qualidade de sua carteira de direitos creditórios, com impacto expressivo sobre o desempenho de suas cotas. Esta foi a segunda alteração recente de prestadores de serviço no fundo, tendo o mesmo, em fevereiro último, mudado o seu gestor. 

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Precatórios, investimentos em renda fixa e o sofá

A reação de observadores do mercado, e mesmo de alguns participantes, perante investimentos em Fundos de Investimento em Direitos Creditórios Não Padronizados (FIDC NP) que se revelaram frustrados, lembra aquela anedota do cidadão que chega em casa de surpresa e encontra sua cara metade em relações íntimas com o vizinho no sofá da sala, justamente aquele sofá que ele tanto adora. Revoltado, cheio de raiva e com sede de vingança, ele pega seu revólver e atira no sofá. E, para assegurar-se de que a situação não se repetirá, ele retira o sofá da sala.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Liberum classifica novas cotas a serem emitidas pelo Red Performance NP

Na última semana a agência de classificação de risco Liberum realizou atribuição de classificação de risco para duas novas séries de cotas do FIDC RED Performance NP. Trata-se de um dos maiores fundos da indústria de FIDC, sendo um dos principais no setor de Multicedente/Multissacado (FIDC MM), cujos cotistas deliberaram em março pela emissão de aproximadamente mais R$ 600,0 milhões em novas séries de cotas. As notas atribuídas pela agência foram para as cotas sênior de 4ª série e mezanino A do fundo, que juntas totalizarão aproximadamente R$ 350,0 milhões.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

Cotistas agora substituem o administrador dos FIDC Incentivo

As assembleias de cotistas dos FIDC Incentivo I e II já serviram de palco para o curioso caso do cotista que não esteve presente na reunião que ele mesmo convocou, e, há pouco mais de um ano, acusações direcionadas pelo administrador ao gestor do fundo (Incentivo Investimentos), que culminou com a destituição do último. Mais recentemente, em 28 de março, reunidos novamente, as EFPC e RPPS que compõem o rol de cotistas dos fundos deliberaram pela substituição da Gradual da posição de administrador, custodiante e gestor, dando sequência ao desenrolar de fatos envolvendo estes dois FIDC.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

FIDC de cartão de crédito tem cotas classificadas em ‘AA-’

Ao se analisar algumas das características mais recentes da economia brasileira, algo que chama a atenção é a participação nas movimentações financeiras dos pagamentos por meio de cartões de crédito. Em 2017, segundo dados da Associação Brasileira das Empresas de Cartões e Serviços (Abecs), foram transacionados aproximadamente R$ 842,60 bilhões em compras com cartão de crédito no Brasil, um crescimento de 12,4% na comparação com 2016.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

Cotistas decidem não liquidar FIDC após desenquadramento

No último dia 12 de março, cotistas do FIDC Empírica Pérola Empreendedor decidiram em assembleia pela manutenção das atividades do fundo após a ocorrência de evento de avaliação do fundo. O evento se deu após a manutenção do patrimônio líquido médio do fundo inferior a R$ 500,0 mil por período de três meses consecutivos.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

Rankings

Mais Lidos