Jornal

FII vai pré-pagar CRI com recursos de emissão

Uma nova operação de fundo de investimento imobiliário, a do RB Capital Renda I FII, está em vias de receber o registro da CVM, já de roadshow encerrado e com ofertas de investidores recebidas. Trata-se de uma oferta pública de R$ 132.000.053,94 em cotas, sendo que, deste total, R$ 121.466.240,01 se referem a uma emissão primária do fundo, e o restante, de R$ 10.533.813,93, representam uma emissão secundária de cotas atualmente nas mãos do RB Capital Real Estate I - Fundo de Investimento em Participações.

Esta emissão, o tipo de aplicação dos recursos levantados, e a formação da carteira de ativos do fundo trazem para o mercado algumas novidades. O RB Capital Renda I FII foi criado com outro nome, o FII Patrimonial I, o qual tinha um patrimônio líquido de menos de R$ 5,0 milhões. Agora, seguindo sua política de investimentos que prioriza a aquisição de empreendimentos imobiliários construídos e locados na modalidade built-to-suit, com contratos de locação atípicos, o fundo tem como objetivo construir uma carteira com sete grandes locatários nos setores de grandes lojas, centros de distribuição e produção. São eles, espalhados do Paraná à Bahia, imóveis da Ambev, Danfoss, C&A, Leader, Barry Callebaut, Magazine Luiza e Telha Norte.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Classificação/Outubro - FIDC por Índices de Desempenho

Dando prosseguimento à série mensal que analisa o setor de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC), a Uqbar publica a classificação dos FIDC de maior PDD Normalizado (PDDn) e de maior e menor Variação de PDD Normalizada (?PDDn) no mês de outubro.

As classificações não consideram fundos não padronizados e também exclui fundos com nível de Patrimônio Líquido ou de Direitos Creditórios inferior à R$ 10 milhões, evitando-se assim efeitos distorcidos que podem ocorrer no período final de amortização de alguns fundos e comparações com fundos já em fase final de liquidação.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

PDD continua a avançar frente a Atrasos

O montante consolidado de Provisão para Devedores Duvidosos (PDD) do setor de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC) continuou a crescer em outubro a uma taxa marcadamente acima daquelas de outros indicadores consolidados, como por exemplo créditos vencidos e não pagos (Atrasos) e Patrimônio Líquido (PL).

O montante de PDD no final de outubro atingiu R$ 1,44 bilhão, contra R$ 1,29 bilhão no final de setembro, representando um crescimento mensal de 11,6%. Ao mesmo tempo, o montante de Atrasos cresceu de R$ 1,93 bilhão para R$ 2,07 bilhões, o equivalente a 7,2%, e o montante de PL, excluindo o FIDC NP Sistema Petrobras, variou de R$ 32,94 bilhões para R$ 32,16 bilhões, caracterizando uma pequena contração de 2,4%.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Recorde de participantes em operação de FII

A forte demanda por cotas de Fundos de Investimento Imobiliário pode ser confirmada pela quantidade recorde de participantes na mais recente operação envolvendo esses títulos: a oferta pública secundária de cem mil cotas do FII Parque Dom Pedro Shopping Center. Ver Curta do dia 16/11/2009 “Oferta secundária de FII deve atender demanda crescente no setor"

Registrada na CVM no último dia 18, os coordenadores da oferta, Banco Santander (Líder), Banco Ourinvest e Bradesco BBI, montaram um sindicato de distribuição com 41 corretoras - até então o recorde de participação para uma oferta de cotas de FII era de 32 corretoras. Os participantes do sindicato começaram hoje a receber as formalizações dos pedidos de compra. O lote mínimo é de 10 cotas por investidor. Caso a cota seja adquirida pelo preço da oferta de R$ 1.000,00, ela terá uma rentabilidade mensal garantida de 0,83% por três anos.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

FIDC ganha ação contra cedente que redirecionava pagamentos

O risco de redirecionamento do fluxo de pagamentos é característico de algumas operações de securitização, em especial naquelas em que os créditos cedidos ainda vão ser originados ou formalizados.

Felizmente começa a existir no Brasil um importante precedente jurídico que deverá proteger mais os investidores de operações de securitização expostas a esse risco. O Ideal Educação FIDC acaba de ganhar ação cautelar contra a Fundação das Escolas do Planalto Catarinense visando reverter a situação na qual se encontra há quase um ano.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Ofertas primárias de FII continuam a vir a mercado

Agora é a vez do Lindencorp Offices Fundo de Investimento Imobiliário. Mais uma oferta primária de cotas de FII foi registrada na CVM, cotas estas que também serão negociadas no mercado secundário na BM&FBOVESPA. Trata-se de 100 mil cotas, a um valor unitário de R$ 1.000,00, para um total de R$ 100,0 milhões.

De forma um tanto de praxe, serão duas emissões: a primeira de 20 mil cotas, as quais, uma vez integralmente subscritas, tornam o fundo constituído e em condições de funcionamento; e a segunda de 80 mil cotas que requer uma subscrição mínima de 1.000 cotas para ser considerada efetiva.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Oferta secundária de FII deve atender demanda crescente no setor

O Fundo de Investimento Imobiliário Parque Dom Pedro Shopping Center está aguardando para qualquer momento a concessão de registro da CVM para uma oferta secundária de 100 mil cotas a um valor unitário de R$ 1.000,00, para um total de R$ 100,0 milhões. O fundo garante um rendimento mensal mínimo de R$ 8,30 para os primeiros 36 meses após a subscrição das cotas. O mercado tem mostrado apetite crescente por esse tipo de papel. A expectativa da Uqbar é de continuação desta tendência.

A oferta terá como coordenador líder o Banco Santander e ainda como coordenadores o Bradesco BBI e o Banco Ourinvest, este último também administrador. A operação está sendo estruturada pela Brazilian Mortgages.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Assembléias FIDC - Outubro 2009

Durante o mês de outubro foram realizadas 18 assembléias gerais de cotistas de fundos de investimento em direitos creditórios (FIDC). Abaixo apresentamos as principais decisões destas assembléias organizadas pelos principais assuntos da pauta e em ordem cronológica.

ADMINISTRATIVO

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Assembléias FIDC - Setembro 2009

Durante o mês de setembro foram realizadas 23 assembléias gerais de cotistas de fundos de investimento em direitos creditórios (FIDC). Abaixo apresentamos as principais decisões destas assembléias organizadas pelos principais assuntos da pauta e em ordem cronológica.

ADMINISTRATIVO

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Secundário se ajusta à nova emissão de FII

O Fundo de Investimento Imobiliário Hospital Nossa Senhora de Lourdes (FII N S de Lourdes) está fazendo uma nova oferta pública primária de cotas, com registro já concedido na CVM, no valor de R$ 45.016.000,00, para financiar a expansão do hospital homônimo. O preço da cota do fundo na oferta será de R$ 170,00, um valor 9% abaixo do preço negociado da cota no mercado secundário na BM&FBOVESPA no dia 10/11, de R$ 186,00, 16% abaixo do preço médio negociado da cota durante os meses de setembro e outubro, de R$ 198,00, e 35% abaixo do preço negociado da cota em uma pequena transação no final de setembro, de R$ 229,00.

O FII N S de Lourdes foi constituído no começo de 2006 quando o hospital realizou a integralização por inteiro da primeira série da primeira emissão do fundo com todo seu patrimônio imobiliário, pelo preço total de R$ 60,0 milhões e valor de cota de R$ 100,00. Uma vez integralizadas as cotas, o hospital promoveu a oferta secundária de todas as suas cotas no fundo, devidamente registrada na CVM. Primeiramente vieram duas séries de 300 mil cotas: a primeira a R$ 100,00 a cota e a segunda saindo com um ágio, a R$ 118,00 a cota.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Rankings
fii
fidc
cri
cra
Mais Lidos