Emissões de CRA mantêm ritmo vertiginoso de crescimento em 2016

Por mais um ano o mercado de Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRA) apresentou forte crescimento, com um volume de emissões que mais que duplicou em relação aos níveis de recorde estabelecidos no ano anterior, tanto em termos de montante emitido como pelo critério de número de operações realizadas. O forte interesse demonstrado pelos investidores por estes títulos e o bom desempenho do agronegócio brasileiro ao longo de 2016 são fatores que têm impulsionado o crescimento destas operações.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Mercado primário de CRA registra hegemonia de operações corporativas

O ano de 2016 já se consolidou como um ano de volume recorde de emissões de Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRA). Entre janeiro e novembro de 2016 o mercado primário deste título já atingiu R$ 8,46 bilhões, mais de R$ 3,00 bilhões a mais do que o registrado no mesmo período de 2015. Porém, o alto volume de emissões de CRA ocorrido neste ano tem seu principal impulso no forte desempenho das operações de lastro corporativo realizadas neste mercado. Este tipo de operação de CRA já sobrepuja, por larga margem, aquelas de lastro pulverizado, tendo 90,0% das emissões ocorridas em 2016.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Nova oferta de CRA da Ápice recebe registro

Foi registrada na CVM a oferta pública de distribuição da 2ª série da 1ª emissão de Certificados de Recebíveis do Agronegócio da Ápice Securitizadora, no montante total de R$ 862,5 milhões. A oferta será coordenada pelo Banco Itaú BBA. A operação terá como lastro debêntures devidas pela Companhia Brasileira de Distribuição. Os juros remuneratórios dos CRA serão equivalentes a 97,5% da Taxa DI Over e o vencimento da operação será em dezembro de 2019.

Pessoas físicas adquirem mais de dois terços dos CRA

O ano de 2016 tem se mostrado como mais um ano de forte crescimento do mercado primário de Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRA). Até o encerramento de novembro último, haviam sido realizadas mais de 20 operações neste mercado, totalizando quase R$ 9,00 bilhões emitidos, equivalente a um crescimento de quase 100,0% em relação ao mesmo período do ano passado. Além disso, a presença do investidor Pessoa física no mercado primário de CRA tem sido novamente preponderante em 2016, tal qual ocorreu em 2015.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Nova oferta da Octante recebe registro

No último dia 14 de dezembro a CVM concedeu registro de oferta pública à 1ª série da 13ª emissão de CRA da Octante Securitizadora, no montante de R$ 258,0 milhões. A oferta terá a coordenação do Banco Santander. O objetivo da operação é financiar produtores rurais e distribuidores de insumos para compra de defensivos e outros insumos de produção fornecidos pela empresa Bayer Brasil. O lastro da emissão são CPR Financeiras, emitidas por produtores rurais, e CDCA, lastreados por notas promissórias, emitidos por distribuidores.

Primeira operação de CRA da Vert Securitizadora recebe registro de oferta

Foi registrada na CVM a ofertas pública de distribuição das 1ª e 2ª séries da 1ª emissão de Certificados de Recebíveis do Agronegócio da Vert Securitizadora, no montante total de R$ 1,26 bilhão. A oferta será coordenada pelo Bradesco BBI. Os títulos terão como lastro compromissos de pagamento firmados em contratos de fornecimento de produtos envolvendo a BRF, a BRF Global GmbH, a SHB e a BRF Foods GmbH. Esta é a primeira emissão de CRA a ser realizada por esta securitizadora.

Novo CRA da Ápice recebe registro

Recebeu registro na CVM, no dia 12 de dezembro, a oferta pública da 3ª série da 1ª emissão de Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRA) da Ápice Securitizadora. A oferta totaliza um montante de R$ 115,0 milhões e será coordenada pelo XP Investimentos CCTVM. O lastro consiste em uma CPR-Financeira, emitida pela Jalles Machado, e a remuneração do título corresponde à taxa DI mais 2% ao ano.

EcoSec é responsável por quase metade dos CRA emitidos em 2016

O mercado primário de Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRA) no ano de 2016 vem sendo marcado por um expressivo volume de emissões. No cômputo até o fim de novembro, o montante emitido total já atinge R$ 8,46 bilhões, distribuídos em 26 operações de seis securitizadoras. No que diz respeito ao montante individual emitido por essas securitizadoras, a que mais se destaca é a EcoSec, que detém a marca de R$ 3,92 bilhões em CRA emitidos nos onze primeiros meses do ano. Quando se observa o critério de número de operações, pode-se constatar que a EcoSec também é a securitizadora que realizou mais operações em 2016, conquistando, assim, a dupla liderança nos rankings Uqbar de securitizadoras do agronegócio.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Oferta de R$ 402 milhões em CRA recebe registro

Recebeu registro na CVM, no dia 08 de dezembro, a oferta pública das 91ª e 92ª séries da 1ª emissão de Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRA) da Eco Securitizadora. A oferta totaliza um montante de R$ 402,3 milhões e será coordenada pelo Bradesco BBI. Os direitos creditórios do agronegócio serão representados por debêntures devidas pela empresa Camil Alimentos. Os juros remuneratórios das 91ª e 92ª séries serão equivalentes a 99% e a 100% da Taxa DI Over, respectivamente. A Camil atua no mercado de alimentos com mais de 50 tipos de produtos nos segmentos em que atua. O grupo possui também em seu portfólio as marcas União e Coqueiro

CRA com lastro em fornecimento de madeira recebe classificação ‘AA-’

Em 02/12/2016 a S&P atribuiu a classificação de risco ‘AA-’, de forma preliminar, aos CRA correspondentes à 5ª série da 2ª emissão da Ourinvest Securitizadora. Esses títulos, a serem emitidos em montante de R$ 700,0 milhões, serão lastreados por um contrato de fornecimento de madeira celebrado entre a Duratex, na posição de devedora, e a Duratex Florestal, a fornecedora, além de cedente da operação. Tal contrato obriga a devedora a adquirir, semestralmente, um volume específico de madeira da fornecedora. Segundo relatório, “O volume a ser adquirido em cada data será definido de acordo com a razão entre o montante a ser pago aos detentores dos CRAs da Ourinvest 5-2 na próxima data de pagamento dos juros ou da amortização e o preço por metro cúbico de madeira estabelecido na respectiva solicitação de compra. ” A remuneração dos CRA será de 98% da Taxa DI.

Rankings

Mais Recentes