Rankings de Agentes Fiduciários de CRA em 2017 são liderados com folga pela Vórtx

Durante os nove meses já decorridos de 2017 se computou a atuação de cinco agentes fiduciários no âmbito do mercado primário de Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRA). O mercado de agentes fiduciários em 2017 apresenta mudanças significativas em quando comparado aos anos anteriores. SLW Corretora e Planner Corretora, participantes já tradicionais deste mercado e ocupantes das primeiras colocações dos rankings de agentes fiduciários de CRA em 2016, reduziram suas participações de mercado de maneira expressiva. Por outro lado, a Vórtx DTVM que ingressou no mercado de CRA em meados do ano passado, já lidera os rankings do TLON de agentes fiduciários para o ano de 2017, tanto em montante emitido quanto número de operações, por larga vantagem.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Emissões de CRA já superam R$ 7 bi; montante referente a lastro pulverizado se expande

Ao longo do ano de 2017 o volume de emissões de Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRA) continua em ritmo recorde. Entre janeiro e agosto de 2017 o mercado primário deste título já atingiu R$ 7,70 bilhões, referentes a 32 operações realizadas, já superando o montante total emitido ao longo de todo o ano de 2015. O alto volume de emissões de CRA este ano se fundamenta no crescimento das operações de lastro corporativo, tal qual ocorrido nos últimos anos. Por outro lado, o volume de operações com lastro pulverizado também vem se expandindo de forma relevante, mesmo que ainda em menor escala, e indica aumento de participação no montante total emitido.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

CRA da Vert obtém classificação de risco preliminar

A Fitch atribuiu, no dia 18/09/2017, de maneira preliminar, a classificação de risco ‘AAA’ à proposta da primeira série da 12ª emissão de CRA sênior da Vert Securitizadora, em montante que pode alcançar R$ 850,0 milhões. De acordo com relatório, “Os recebíveis da operação são representados por notas promissórias emitidas pelos devedores —clientes da Syngenta — em benefício da Vert Créditos Ltda. e posteriormente endossadas à emissora”. A remuneração dos CRA equivalerá a 97,0% do CDI.

CRA da RB Capital recebe ‘AAA’ da Fitch

A Fitch atribuiu, no dia 15/09/2017, a classificação de risco ‘AAA’ à 8ª série da primeira emissão de CRA da RB Capital Companhia de Securitização, em montante de R$ 657,0 milhões. A classificação está diretamente ligada à empresa Solar, já que, segundo a agência, “A Norsa Refrigerantes S.A. (Norsa), responsável pela emissão das debêntures que lastreiam os CRAs, pertence ao grupo da Solar S.A. (Solar), coobrigada e fiadora das obrigações da emissão”. Com relação aos juros, estes devem respeitar a taxa teto equivalente a 96,0% do CDI.

S&P classifica CRA que pode valer R$ 135,0 milhões

No dia 08/09/2017 a S&P atribuiu a classificação de risco preliminar ‘A+’ à primeira série da 20ª emissão de CRA da Gaia Agro. O lastro do CRA será um CDCA devido pela empresa Cocal Comércio Indústria Canaã e Álcool. Segundo a agência, o montante envolvido poderá alcançar a marca dos R$ 135,0 milhões, enquanto que os juros “equivalerão à Taxa DI Over acrescida de uma sobretaxa equivalente ao teto de 1,8% ao ano, a ser definido em processo de bookbuilding”.

CRA com risco Jalles Machado recebe classificação preliminar

A S&P atribuiu, no dia 06/09/2017, a nota de crédito preliminar ‘A+’ à primeira série da 2ª emissão de CRA emitida pela Fortesec, em montante que pode chegar à cifra de R$ 135,0 milhões. A remuneração corresponderá à Taxa DI mais 1,4% ao ano. O CRA será lastreado por uma CPR-F devida pela empresa Jalles Machado.

CRA lastreado em CPR-F da Usina Santo Ângelo é classificado

Em 28/08/2017 a Fitch atribuiu classificação de risco preliminar ‘A-’ à 2ª série da primeira emissão de CRA da Isec. O montante nominal envolvido é de R$ 90,0 milhões e o lastro dos títulos consiste em CPR-F de emissão por parte da empresa Usina Santo Ângelo. Ainda com relação à CPR-F, o produto rural relacionado a tal título é a cana-de-açúcar. A remuneração do CRA equivale a 100,0% da Taxa DI mais 1,8% ao ano.

Após inadimplências, titulares de CRA discutem novos fluxos de pagamentos

Veja abaixo o resumo de decisões tomadas no âmbito de assembleias de CRA divulgadas na CVM entre 16 de janeiro e 04 de agosto de 2017.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Emissões de CRA aumentam em 2017, mas volume de títulos de longo prazo diminui

Findo o sétimo mês de 2017, o mercado primário de Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRA) apresenta considerável crescimento no acumulado do ano. O montante acumulado de emissões esse ano supera em mais de 10,0% o total realizado nos sete primeiros meses de 2016. Quanto ao formato de remuneração dos CRA, mantem-se a predominância, tal qual observado nos últimos anos, de operações atreladas à taxa de Depósitos Interfinanceiros (DI). Mesmo assim, observou-se também um aumento no volume de emissões indexadas ao IPCA. Já em relação ao prazo das operações, destaca-se a redução no volume de emissões com prazo de vencimento superior a seis anos.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Regime informacional proposto por audiência pública de CRA ainda é insatisfatório

Encerrou-se o prazo, no último dia 14 de julho, para a submissão de sugestões e comentários por parte daqueles interessados em participar da audiência pública referente à proposta da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) de Instrução sobre o regime dos Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRA) objeto de oferta pública de distribuição. Como de praxe quando se trata do mercado de securitização, a Uqbar participou desta audiência pública, e disponibiliza abaixo a apreciação sobre a matéria.

Para continuar lendo, faça o seu login ou cadastre-se.

Rankings

Mais Lidos