E agora a Cielo prepara novo FIDC de antecipação de recebíveis com oferta de R$ 5 bi; outros fundos de CC são lançados

Em resposta a Ofício da Superintendência de Acompanhamento de Empresas da B3, a Cielo afirmou, na última quinta-feira, 22 de junho, estar estudando alternativas para operações de antecipação de recebíveis (AR), e que, inclusive, um novo Fundo de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC) para captar recursos no mercado está sendo estruturado. A companhia também informa que, uma vez em operação, o FIDC deverá ser o principal veículo para as operações de AR da Cielo. Como o texto dá a entender, a credenciadora já está vinculada a um FIDC, do segmento NP, que abriga a operação de AR da credenciadora. No entanto, sua estrutura difere significativamente do que se planeja para o novo FIDC Cielo.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Fitch atribui classificação em operação onde a credenciadora é o cedente

A primeira emissão de cotas sênior do FIDC Bancos Emissores de Cartao de Crédito Stone recebeu, no dia 23/06/2017, a classificação de risco ‘AA+’ da Fitch, em montante nominal de R$ 1,0 bilhão. Segundo a agência, a operação “é uma securitização de direitos creditórios da Stone Pagamentos S.A. (Stone) devidos por bancos de primeira linha, conforme as regras de estruturação de pagamentos, e oriundos de transações de pagamento entre os estabelecimentos credenciados e os usuários finais, provenientes da aquisição de bens e serviços quando da utilização de cartões de crédito das bandeiras Visa ou Mastercard como instrumento de pagamento. ” A rentabilidade estabelecida é de 106,8% do CDI. O relatório da agência também menciona que foram emitidas cotas subordinadas em montante nominal de R$ 108,0 milhões, correspondentes a pelo menos 9,75% do patrimônio líquido do fundo.

Liberum classifica cotas de FIDC onde a credenciadora é o devedor

No dia 26/06/2017 a Liberum atribuiu classificações de risco para a primeira série de cotas sênior e para as cotas mezanino do FIDC LF I. As cotas sênior receberam a nota ‘BBB+’, enquanto que as cotas mezanino foram classificadas como BBB. Segundo a agência, os “...direitos creditórios do FIDC Listo (cujo nome no regulamento é FIDC LF I) serão formados por recebíveis da Empresa Listo S.A (cedente/Credenciador Associado/ Listo) contra seus respectivos sacados/devedores elegíveis, notadamente Global Payments - Serviços de Pagamentos S.A (sacado/ Credenciado/ Global Payments) que possui acordo de parceria com a Listo e já apresenta histórico operacional.“ Tais direitos creditórios são oriundos de transações com instrumentos de pagamento feitas por portador, já em valor líquido de descontos, como por exemplo a remuneração de bandeiras, de emissores e de credenciadores. No relatório da agência ainda é mencionado que em relação às cotas sênior se observa subordinação mínima de 10,0% do patrimônio líquido e remuneração de 125,0% do CDI, enquanto as cotas mezanino serão remuneradas a 150,0% o CDI.

Emissão da 10ª série de cotas sênior do Multissetorial R&G LP NP é aprovada

Veja abaixo o resumo desta e de outras decisões tomadas no âmbito de assembleias de FIDC divulgadas na CVM entre 19 e 23 de junho de 2017.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Número de FIDC continua crescendo, mas PL tem redução

Após o considerável crescimento apresentado ao longo do ano passado, tanto em termos de número de fundos em operação quanto em Patrimônio Líquido (PL), o mercado de Fundos de Investimentos em Direitos Creditório (FIDC) apresenta movimento diferente este ano. Ao longo de 2017, os indicadores, número de fundos e PL, apresentam variações apenas marginais, tendo o PL se reduzido levemente, e o número de fundos aumentado um pouco. Grande destaque do setor de FIDC no ano de 2016, com crescimento de mais de 50,0%, o segmento de FIDC do tipo Não Padronizado (NP) cessou seu crescimento e apresentou redução em ambos os indicadores em 2017.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

BRL Trust assume administração do FIDC Franquias

Veja abaixo o resumo desta e de outras decisões tomadas no âmbito de assembleias de FIDC divulgadas na CVM entre 12 e 16 de junho de 2017.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Afinal de contas, quanto rendem as cotas subordinadas dos FIDC?

Dentre os diversos indicadores que refletem a performance dos Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC), aquele que provavelmente melhor encapsula uma medida de desempenho corresponde à rentabilidade alcançada pelas cotas destes fundos ao longo do tempo. Apesar da rentabilidade aqui tratada se fundamentar em uma avaliação contábil das cotas dos fundos, dada a baixa liquidez do mercado secundário destes títulos, este indicador ainda é a melhor medida de desempenho, se uma análise depender de apenas um indicador. Ademais, alinhado com a ideia de um mercado de FIDC cuja prática de transparência e qualidade informacional se aprimorem com o tempo, o indicador de rentabilidade das cotas tende a se tornar uma medida cada vez mais eficaz de desempenho.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Aprovada a manutenção regular das atividades do BB Votorantim Highland Infraestrutura

Veja abaixo o resumo desta e de outras decisões tomadas no âmbito de assembleias de FIDC divulgadas na CVM entre 05 e 09 de junho de 2017.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

O desempenho de FIDC MM sob o prisma de Atrasos e Recompras

Uma forma de abordar o desempenho de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC) do segmento Multicedente/Multissacado (FIDC MM) pode se fundamentar nos indicadores referentes aos montantes de créditos vencidos e não pagos (Atrasos), especificamente os créditos vencidos há no máximo 30 dias e os créditos vencidos entre 30 e 60 dias atrás. Tais dados, de ambas faixas de prazo, se mostram relevantes para ilustrar variáveis de desempenho de efeito recente, que são significativas tendo em vista que os fundos deste segmento geralmente têm parcela preponderante de seu Patrimônio Líquido (PL) investido em créditos de curto prazo, e pelo fato de que os montantes de Atrasos na faixa entre 30 e 60 dias tendem a ser bem menores que os montantes de Atrasos até 30 dias, mas não muito diferentes dos montantes das faixas de Atrasos superiores a 60 dias.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Cotistas do FIDC Martins decidem não liquidar o fundo

Veja abaixo o resumo desta e de outras decisões tomadas no âmbito de assembleias de FIDC divulgadas na CVM entre 29 de maio e 02 de junho de 2017.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Rankings
Mais Lidos