Pregão BM&FBOVESPA (FII) - 19/Ago/15 - Rentabilidade

No pregão de 19 de agosto 84 diferentes cotas de Fundos de Investimento Imobiliário foram negociadas na BM&FBOVESPA, das quais 37 apresentaram valorização de preço, 38 apresentaram desvalorização, 6 não tiveram alteração e 3 não haviam sido negociadas no pregão anterior. Segue as três melhores e as três piores variações de preço no dia, acompanhadas dos respectivos preços médios, volumes negociados e números de negócios.

Melhores Variações

FII Ticker Variação (%) Preço (R$) Montante (R$) Nº Negócios
Edifício Ourinvest EDFO11B 6,49 220,00 220 1
Multigestão Renda Comercial DRIT11B 5,38 98,00 588 1
Presidente Vargas PRSV11 2,55 549,24 65.360 7

Piores Variações

FII Ticker Variação (%) Preço (R$) Montante (R$) Nº Negócios
Castello Branco Office Park CBOP11 -3,09 622,81 39.860 10
CSHG JHSF Prime Offices HGJH11 -3,56 1.041,57 104.157 7
Domo DOMC11 -4,76 600,00 6.000 5

 

Pregão BM&FBOVESPA (FII) - 19/Ago/15 - Liquidez

No pregão de 19 de agosto 84 diferentes cotas de Fundos de Investimento Imobiliário foram negociadas na BM&FBOVESPA. Foram 3.841 negócios que totalizaram R$ 20,9 milhões. A cota com maior montante negociado e maior número de negócios foi a do FII BB Progressivo II (BBPO11), com R$ 2,6 milhões em 628 negócios.

Rendimentos mensais de FII atingem 0,94% em julho

O cômputo individual do Dividend Yield (DY) mensal de cada um dos 79 Fundos de Investimento Imobiliário (FII) cujas cotas, negociadas na BM&FBOVESPA, atenderam ao critério de liquidez mínima¹, redundou em média de 0,94% em julho. Segmentados por tipo de ativo-lastro, os fundos que investem preponderantemente em imóveis auferiram DY médio mensal da ordem de 0,87%. Dentro desta categoria, os FII de escritórios – que compõem a maioria dos fundos de Imóveis - registraram DY médio ligeiramente superior, 0,89%. Fundos que possuem em sua carteira imóveis caracterizados como shopping centers marcaram DY médio de 0,88%. Por sua vez, o DY dos FII classificados na categoria Renda Variável obteve média de 0,84%, a menor dentre as categorias consideradas. Por fim, os FII que investem em Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) e Letras de Crédito Imobiliário (LCI), entre outros, recebendo assim a chancela Renda Fixa, não por acaso assinalaram DY médio de 1,33%.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Pregão BM&FBOVESPA (FII) - 17/Ago/15 - Rentabilidade

No pregão de 17 de agosto 83 diferentes cotas de Fundos de Investimento Imobiliário foram negociadas na BM&FBOVESPA, das quais 45 apresentaram valorização de preço, 28 apresentaram desvalorização, 3 não tiveram alteração e 7 não haviam sido negociadas no pregão anterior. Segue as três melhores e as três piores variações de preço no dia, acompanhadas dos respectivos preços médios, volumes negociados e números de negócios.

Melhores Variações

FII Ticker Variação (%) Preço (R$) Montante (R$) Nº Negócios
Shopping Pátio Higienópolis SHPH11 2,91 617,44 125.958 11
RB Capital Renda II RBRD11 1,79 66,70 36.151 23
Castello Branco Office Park CBOP11 1,78 640,00 10.240 4

 

Piores Variações

FII Ticker Variação (%) Preço (R$) Montante (R$) Nº Negócios
Floripa Shopping FLRP11B -2,19 601,54 18.046 2
CEO Cyrela Commercial Properties CEOC11B -6,53 42,69 709.246 122
Kinea II Real Estate Equity KNRE11 -10,00 1,08 11 2

Pregão BM&FBOVESPA (FII) - 17/Ago/15 - Liquidez

No pregão de 17 de agosto 83 diferentes cotas de Fundos de Investimento Imobiliário foram negociadas na BM&FBOVESPA. Foram 2.762 negócios que totalizaram R$ 17,5 milhões. A cota com maior montante negociado e maior número de negócios foi a do FII BTG Pactual Corporate Office Fund (BRCR11), com R$ 2,2 milhões em 443 negócios.

Pregão BM&FBOVESPA (FII) - 14/Ago/15 - Rentabilidade

No pregão de 14 de agosto 81 diferentes cotas de Fundos de Investimento Imobiliário foram negociadas na BM&FBOVESPA, das quais 39 apresentaram valorização de preço, 32 apresentaram desvalorização, uma não teve alteração e 9 não haviam sido negociadas no pregão anterior. Segue as três melhores e as três piores variações de preço no dia, acompanhadas dos respectivos preços médios, volumes negociados e números de negócios.     

Melhores Variações

FII Ticker Variação (%) Preço (R$) Montante (R$) Nº Negócios
CEO Cyrela Commercial Properties CEOC11B 4,15 45,67 1.175.148 202
Gávea GVFF11 3,97 784,98 23.549 3
Max Retail MAXR11B 3,36 1.100,00 39.600 5

Piores Variações

FII Ticker Variação (%) Preço (R$) Montante (R$) Nº Negócios
Merito Desenvolvimento Imobiliário I MFII11 -1,37 100,01 100 1
Hotel Maxinvest HTMX11B -1,43 108,54 131.231 30
CSHG JHSF Prime Offices HGJH11 -3,45 1.047,59 64.950 10

Pregão BM&FBOVESPA (FII) - 14/Ago/15 - Liquidez

No pregão de 14 de agosto 81 diferentes cotas de Fundos de Investimento Imobiliário foram negociadas na BM&FBOVESPA. Foram 7.283 negócios que totalizaram R$ 20,3 milhões. A cota com maior montante negociado foi a do FII BTG Pactual Corporate Office Fund (BRCR11), com R$ 2,7 milhões. Já a cota com maior número de negócios foi a do FII Santander Agências (SAAG11), com 1.053 negócios.

Apesar de advento de locatário, CEOC11B ficará sem fluxo de alugueis por um total de quatro anos

O BTG Pactual Serviços Financeiros DTVM, administrador do FII CEO Cyrela Commercial Properties (CEOC11B), publicou Fato Relevante para comunicar que foi concluído processo de locação da totalidade da área detida pelo fundo no empreendimento denominado “CEO Corporate Executive Offices”, localizado na Avenida João Cabral de Mello Neto, nº 850, Barra da Tijuca, cidade do Rio de Janeiro/RJ. O locatário da área que soma 11.942m² é a Tim Celular S.A., que pagará um aluguel mensal de R$ 949.109,54, reajustado pelo IPCA. O prazo de locação é de 180 meses a partir de agosto de 2015, porém, há um prazo de carência de dois anos, de tal forma que o imóvel, vazio há dois anos, completará um total de quatro anos antes de começar a gerar fluxo de pagamentos. Durante o período de carência os custos ordinários incorrerão por conta da locatária, mas obras relacionadas ao piso, ar condicionado, paginação do forro, luminárias e combate de incêndio, que somam até R$ 6,8 milhões, ficarão por conta da locadora.

Peugeot ficará em imóvel de FII mais tempo do que o acordado

O Citibank DTVM e a TRX Gestora de Recursos, respectivamente administrador e gestor do FII TRX Edifícios Corporativos (XTED11), publicaram Fato Relevante para comunicar que a Peugeot Citröen do Brasil Automóveis Ltda., atual locatária do imóvel situado na Rua Engenheiro Francisco Pitta Brito, nº 779, em São Paulo/SP, pertencente à carteira do fundo, manifestou interesse de permanecer no mesmo por mais tempo do que o acordado e previamente informado. Em Fato Relevante divulgado em 12 de maio de 2015, a data acordada para o fim de sua permanência havia sido a de 27 de agosto de 2015. Agora, de acordo com a Peugeot, a permanência adicional não deve ultrapassar o dia 31 de outubro de 2015. O documento informa que durante a permanência serão devidos ao fundo os respectivos aluguéis. Há tratativas em andamento para a locação de dois pavimentos do imóvel, acrescenta o documento, e, em caso de sucesso na negociação, os cotistas e o mercado serão devidamente informados. A TRX, na qualidade de gestor e consultor imobiliário, ressalta estar envidando todos os esforços para buscar no mercado novo(s) locatário(s) para ocupar o imóvel do fundo com a maior celeridade possível. 

Imóveis do FII CSHG JHSF Prime Offices são reavaliados para baixo

A Credit Suisse Hedging-Griffo, administrador do FII CSHG JHSF Prime Offices (HGJH11), publicou Fato Relevante para informar que os imóveis do fundo foram avaliados a mercado pela empresa Cushman & Wakefield. Segundo o documento, a reavaliação resultou em valor 9,8% inferior ao valor contábil atual. O administrador acrescenta que as informações completas estarão disponíveis no informe contábil mensal de agosto, a ser disponibilizado ao mercado até 15 de setembro de 2015. O FII CSHG JHSF Prime Offices possui em sua carteira dois imóveis de alto-padrão localizados em São Paulo/SP, o Edifício Metropolitan e o Edifício Platinum.

Rankings
Mais Recentes
cri