Mesmo com retração, montante negociado de FII em novembro supera R$ 600 mi

No último novembro, a liquidez consolidada do mercado secundário de cotas de Fundos de Investimento Imobiliário (FII), negociadas no âmbito da B3, apresentou redução, tanto em relação ao montante negociado quanto em número de negócios. Após quatro meses seguidos com crescimento em termos de montante negociado, o indicador recuou em novembro e fechou o mês na ainda expressiva marca de R$ 645,1 milhões. Já quando medida pelo critério do número de negócios, a liquidez apresentou queda pelo quinto mês seguido e fechou novembro com 138.971 negócios realizados.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

VLOL11 enfrenta rescisão de locação e inadimplência

A Oliveira Trust DTVM e a RB Capital Asset Management, administrador e gestor, respectivamente, do FII Vila Olímpia Corporate (VLOL11), publicaram Fato Relevante para informar que foi recebida a notificação do Instituto de Desenvolvimento Gerencial S/A, comunicando sobre a rescisão antecipada do contrato de locação de imóvel comercial, firmado em 03 de fevereiro de 2014 e aditado em 03 de dezembro de 2016, entre a locatária e o FII. O objeto do contrato é a locação dos conjuntos 92 e 94 do 9º andar, do Edifício Vila Olímpia Corporate (Torre B), localizado em São Paulo/SP, e tem prazo de duração de 94 meses, contados a partir de 03 de fevereiro de 2014. O aluguel do referido imóvel representa aproximadamente 12,69% da receita imobiliária total do VLOL11 (base novembro/2017). A locatária informou na referida comunicação que pretende permanecer no imóvel até 03 de março de 2018 e, por disposição contratual, é devida multa compensatória correspondente a três locações mensais vigentes por ocasião do término do contrato. Em 30 de novembro administrador e gestor já haviam divulgado outro Fato Relevante relativo ao fundo, daquela vez informando que a Ford Models Brasil Ltda. não havia efetuado o pagamento do aluguel referente a competência do mês de outubro/2017 (mês caixa novembro/2017). O aluguel do referido imóvel representa aproximadamente 5,36% da receita imobiliária total do FII (base outubro/2017). Não obstante o fato do referido inquilino ter optado pela rescisão antecipada do respectivo contrato de locação, conforme divulgado em Fato Relevante publicado em 06 de outubro de 2017, o aluguel referente à competência do mês de outubro/2017 permanece devido. Finalmente, administrador e gestor acrescentam que vêm tomando todas as medidas necessárias para preservar os direitos do fundo e que informará quaisquer evoluções decorrentes dos fatos apresentados.

UBS e REC propõem comprar ativos do BRCR11

O BTG Pactual Serviços Financeiros DTVM e a BTG Pactual Gestora de Recursos, administrador e gestor, respectivamente, do FII BTG Pactual Corporate Office Fund (BRCR11) e do FII Prime Portfolio publicaram Fato Relevante para informar que, em 04 de dezembro de 2017, após o fechamento dos mercados, receberam uma nova proposta não vinculante e não solicitada para aquisição de ativos detidos pelos referidos FII. A proposta foi encaminhada pela UBS Brasil Serviços de Assessoria Financeira Ltda. e a REC Gestão de Recursos S.A. tendo como proponente a GTIS Partners Brasil Aquisições e Participações Ltda. e traz como preço de compra para a aquisição do portfólio o valor de R$ 2,33 bilhões, sendo R$ 1,10 bilhão para o BRCR11 e R$ 1,22 bilhão para o FII Prime Portfolio. Segundo o documento, a proponente afirma que a proposta, com validade de 60 dias, "corresponde a um valor patrimonial líquido (net equity value) por cota do BC Fund de R$ 115,00 em 30 de setembro de 2017." O gestor, por sua vez, verificou que o preço proposto corresponde a um valor patrimonial aproximado de R$ 112,14 por cota em 31 de outubro de 2017, data do último fechamento contábil divulgado pelo FII. O gestor afirma que se pronunciará sobre a proposta oportunamente, finda sua análise, que considerará, dentre outros fatores, o laudo semestral de avaliação dos ativos realizado por consultor independente que será divulgado em breve, seguindo a periodicidade previamente adotada pelo administrador. Em 2 de outubro os fundos já haviam recebido proposta encaminhada pelos mesmos proponentes, com o preço de compra de R$ 2,19 bilhões, mas à época o gestor optou por não aceitá-la. 

Cotistas de FII aprovam aumento de montante ofertado para R$ 200 milhões

Veja abaixo o resumo destas e de outras decisões tomadas no âmbito de assembleias de FII divulgadas na CVM entre 27 de novembro e 1 de dezembro de 2017.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Cotistas de FII aprovam chamada de capital de R$ 10 milhões

Veja abaixo o resumo destas e de outras decisões tomadas no âmbito de assembleias de FII divulgadas na CVM entre 20 e 24 de novembro de 2017.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

FII de agências bancárias se destacam entre os negociados com maior ágio

O Fundo de Investimento Imobiliário Edifício Ourinvest (EDFO11B), detentor de determinados andares de imóvel de mesmo nome, é o fundo que em outubro de 2017 acusa maior valor do indicador que é razão entre a Capitalização de Mercado (CM) e Patrimônio Líquido (PL). Nesse sentido, o valor de mercado das cotas do EDFO11B supera seu valor contábil em 178,8%. Em termos consolidados, os preços das 93 cotas de FII negociadas no mercado secundário da B3¹ implicaram em uma CM² de R$ 31,01 bilhões, o que, ao se comparar com o PL total de R$ 29,12 bilhões, se traduz em indicador consolidado CM/PL de 106,5%, assinalando que, em geral, as cotas nesse mercado foram negociadas com ágio em outubro.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

FII deliberam sobre alocação e contratação de assessor legal

Veja abaixo o resumo destas e de outras decisões tomadas no âmbito de assembleias de FII divulgadas na CVM entre 13 e 17 de novembro de 2017.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Rentabilidade dos FII em 2017 atinge 22%

O Fundo de Investimento Imobiliário (FII) REAG Renda Imobiliária foi o fundo de maior rentabilidade efetiva média mensal em outubro de 2017. A sua reformulação, em conjunto com a aprovação da emissão de R$ 500,0 milhões em novas cotas, atuam como pano de fundo deste cenário de melhor desempenho recente do fundo, cuja rentabilidade alcançou 11,2% no período. Do total de 93 fundos considerados na análise¹, o Grand Plaza Shopping (ABCP11) registra a rentabilidade mais negativa, -31,1%. Apesar da amplitude da variação entres as rentabilidades destes dois fundos, com intensidade maior na ponta negativa, a rentabilidade média do mercado para o mês de outubro se fixou em 2,0% positivos.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Em disputa ruidosa cotistas decidem pelo tamanho da redução de taxa de administração de FII

Veja abaixo o resumo destas e de outras decisões tomadas no âmbito de assembleias de FII divulgadas na CVM entre 6 e 10 de novembro de 2017.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

FII com RMG registra maior dividend yield em outubro

O Fundo de Investimento Imobiliário (FII) que apresentou maior nível relativo de rendimento (dividend yield realizado - DY) mensal em outubro de 2017 é um dos últimos a ainda usufruir do mecanismo de renda mínima garantida (RMG). O fundo de shopping centers General Shopping Ativo e Renda (FIGS11), cuja RMG se estenderá até abril de 2019, assinalou DY mensal de 1,04%, ao passo que a média do mercado se fixou em 0,53%.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Rankings
Mais Lidos