Jornal

Locatário deixa de efetuar pagamento de aluguel, pondo em risco rendimentos de FII

No último dia 30 de novembro foi divulgado Fato Relevante vinculado ao Fundo de Investimento Imobiliário Hospital Nossa Senhora de Lourdes (NSLU11B), no qual a Brazilian Mortgages Companhia Hipotecária (administradora) comunicou ao mercado que o Hospital e Maternidade Nossa Senhora de Lourdes - locatário do único imóvel de propriedade do fundo - deixou de efetuar o pagamento da parcela do aluguel referente ao mês de outubro de 2011.

Esta situação se apresenta como o ápice de uma crise iniciada no dia 07 de outubro de 2011, quando o locatário solicitou redução do aluguel de aproximadamente 33,3%. Desde então duas AGC foram realizadas e em ambas a situação não foi resolvida, pois os cotistas defendem que uma redução perene - tal como proposta pelo Hospital - está fora de cogitação.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Dados no novo Informe Mensal para FIDC geram dúvidas

Ao longo de novembro começaram a ser disponibilizados no site da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) os primeiros Informes Mensais (IM) de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC) em acordo com o novo modelo, conforme disciplinado no Anexo A da Instrução CVM nº 489/11. Uma primeira análise dos números publicados feita pela Uqbar, geraram questionamentos quanto à qualidade e quantidade dos dados publicados.

A Uqbar analisou todos os IM publicados no período de julho a outubro de 2011. Esse universo corresponde a 1.342 IM de 446 fundos diferentes. Os primeiros IM no novo formato foram publicados em agosto. Naquele mês, 18 fundos divulgaram informações no novo modelo. Nos dois meses seguintes, 23 e 17 fundos se juntaram a esse grupo. Logo, em outubro, 57fundos, de um universo de 334 fundos em operação no final daquele mês, divulgaram IM no novo formato.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Rentabilidade efetiva de cinco FII supera 40% nos últimos doze meses

Nos últimos doze meses, cinco Fundos de Investimento Imobiliário (FII) apresentaram rentabilidade efetiva superior a 40,0%. A rentabilidade efetiva é equivalente à Taxa Interna de Retorno (TIR) do fluxo de caixa que considera as amortizações e os rendimentos distribuídos pelos fundos nos últimos doze meses e os preços médios ponderados por montante negociado, nos meses de outubro de 2010 e outubro de 2011.

Dentre os 61 FII que são negociáveis no mercado secundário da BM&FBOVESPA, 50 fundos foram negociados no mês de outubro de 2011 e, dentre estes, 32 foram negociados no mesmo mês do ano de 2010 fazendo assim parte do ranking de rentabilidade efetiva anual.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Resumo das atas de assembleias de cotistas de FII divulgadas entre 21/11/2011 e 25/11/2011

Resumo das atas de assembleias de cotistas de FIIdivulgadas entre 21/11/2011 e 25/11/2011

AG de cotistas do FIIIndustrial do Brasil(Em constituição) realizada em 29/07/2011

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Resumo das atas de assembleias de cotistas de FIDC divulgadas entre 21/11/2011 e 25/11/2011

AGO de cotistas do FIDC Global Mercantil Multissetorial(CNPJ:11.122.490/0001-15) realizada em 28/04/2011

Ordem do dia - Deliberar as demonstrações financeiras do fundo apresentadas pela administradora (Sociedade Corretora Paulista S/A), relativas ao exercício social findo em 31/12/2010.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Retorno estimado de rendimentos de FII se mantém estável em 8,9% em outubro

O retorno estimado médio linear dos rendimentos das cotas dos Fundos de Investimento Imobiliário (FII) (dividend yield de doze meses), cujas cotas são negociadas na BM&FBOVESPA, encerrou o mês de outubro no mesmo patamar do de setembro de 2011, ou seja, em 8,9%. O cálculo leva em conta as distribuições mensais nos últimos doze meses e o preço médio das cotas dos fundos no mês de outubro, sendo que este último é calculado de forma ponderada por volume negociado.

Dentre os 34 fundos cujas cotas foram negociadas no último mês, o fundo que apresentou o maior nível de dividend yield de doze meses foi o FII RB Capital Agre, que alcançou a marca de 23,7%. O fundo, que se manteve na liderança que já tinha no mês passado, tem por objeto investir, indiretamente, em um portfólio diversificado de empreendimentos imobiliários residenciais através de participação na Agra Maligawa. O fundo distribuiu ao longo do último ano corrido o total de R$ 13,45 por cota. Desde fevereiro de 2011, 56,4% do seu valor patrimonial de emissão de R$ 100,00 já foi amortizado, o que acarretou em uma redução no preço de negociação de suas cotas no mercado secundário durante o ano.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Resumo das atas de assembleias de cotistas de FII divulgadas entre 14/11/2011 e 18/11/2011

Resumo das atas de assembleias de cotistas de FIIdivulgadas entre 14/11/2011 e 18/11/2011

AGE de cotistas do FIISigma(CNPJ:01.503.008/0001-33) realizada em 20/10/2011

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Resumo das atas de assembleias de cotistas de FIDC divulgadas entre 14/11/2011 e 18/11/2011

AG de cotistas do FIDC Garson(CNPJ:12.254.372/0001-23) realizada em 31/10/2011

Ordem do dia - Deliberar a substituição do custodiante do fundo, Banco Paulista S/A, em favor do Deutsche Bank S/A, a nova emissão de cotas sênior do fundo, e a consolidação de novo regulamento.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Operação Caixa/FGTS altera ranking de montante emitido de CRI em 2011

Como era esperado, a maior operação de Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) já realizada no mercado nacional (ver artigo “R$ 2,02 bilhões é o novo recorde de emissão de uma operação de CRI” do último dia 09) trouxe uma mudança na liderança do ranking de montante emitido de CRI no ano até outubro.

Após a emissão das duas séries de CRI no valor de R$ 2,02 bilhões, lastreadas nos recebíveis imobiliários cedidos pela Caixa Econômica Federal e adquirida, no caso da cota sênior (R$ 1,86 bilhão), pelo Fundo de Garantia por Tempo de Serviço, a Gaia passou a liderar o ranking de montante emitido com uma participação de 26,4% do total emitido até outubro. No ano, a securitizadora realizou dezessete operações que somam R$ 2,71 bilhões. Até setembro a Gaia ocupava a quinta posição neste rankingSecuritizadora1/1/2011 a 31/10/20111/1/2011 a 30/09/2011PosiçãoMontante Emitido (R$ milhões)Participação(%)PosiçãoParticipação(%)Gaia12.70726,458,6Brazilian Securities22.21021,6126,8Cibrasec31.98419,4224,5RB Capital41.75817,2320,9PDG59479,3411,8Outras-6396,3-7,4

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Nível de valorização anual de cotas de FII, de 8,25%, é metade de seis meses atrás

A rentabilidade média anual do setor de Fundos de Investimento Imobiliário (FII) cujas cotas são negociadas na BM&FBOVESPA, avaliada apenas pela valorização média do preço das cotas nos últimos doze meses, foi 0,6 pontos percentuais menor do que a registrada no final de setembro que foi de 8,9%. A valorização média anual do preço das cotas dos FII no mercado secundário, que ficou em 8,25% no final de outubro, vem caindo gradualmente desde o final de abril último, quando tinha atingido 16,5%.

Em outubro, o FII BB Progressivo foi o mais rentável nos últimos doze meses por este critério de rentabilidade. Com uma ótima valorização de preço de cota durante o mês de outubro, tal qual aconteceu em setembro, respectivamente de 10,7% e 14,8%, o fundo manteve a primeira colocação no ranking de doze meses.Em outubro de 2011 o preço médio ponderado de suas cotas alcançou R$ 3.792,55, o equivalente a uma valorização de 55,4% em relação ao preço de R$ 2.440,68 registrado em outubro do ano anterior.

Para continuar lendo, faça o seu login ou assine TLON.

Rankings
fii
fidc
cri
cra
Mais Recentes
fii
cri